segunda-feira, 10 de maio de 2021
Início Blog Página 3

Linn da Quebrada revela processo de criação de novo álbum em Podcast

Linn da Quebrada mostra em podcast o processo de criação de novo álbum
Foto: Cais Vicente / Divulgação

Trava Línguas, o aguardado segundo disco de Linn da Quebrada, está em processo de produção, e a artista nos mostra como a obra está nascendo em uma série de áudios e podcast.

O projeto, intitulado de mundinho trava línguas, está disponível em um grupo no Facebook e no Spotify.

Linn da Quebrada

A empreitada surgiu porque a equipe da artista percebeu um crescimento notável de público nos formatos mais voltados ao áudio, como podcasts e afins. Além disso, o conceito do trabalho está na palavra e no corpo como palavra. “Quando me amparo na palavra, eu me acalmo. Meu corpo é a matéria prima dessa palavra, que podendo ser escrita, neste instante é falada e no disco se apresenta a partir de outras estéticas”, explica Linn.

O objetivo principal aqui é fomentar a interação com os fãs por meio de revelações dos bastidores do disco, narrando etapa por etapa da pré-produção.

Trava Línguas tem lançamento previsto para o meio do ano. O registro tem sua produção musical compartilhada entre Linn, a DJ e produtora BADSISTA e a percussionista Dominique Vieira.

Bobby Gillespie (Primal Scream) e Jehnny Beth (Savages) se unem no clipe de “Chase It Down”; assista

Bobby Gillespie
Crédito: reprodução

Os vocalistas da banda escocesa Primal Scream e da britânica Savages, Bobby Gillespie e Jehnny Beth, respectivamente, juntaram forças e estão prestes a lançar um álbum em conjunto intitulado Utopian Ashes.

Antes disso, eles divulgaram o single “Remember We Were Lovers” e agora liberaram o clipe de “Chase It Down”.

O vídeo foi dirigido por Thomas James e mostra os dois artistas dentro de uma casa, separados em algumas cenas e juntos, se confrontando, em outras.

As gravações de Utopian Ashes também contaram com Martin Duffy (piano) e Darrin Mooney (bateria), ambos do Primal Scream, e Johnny Hostile (baixo), parceiro musical de Beth.

O disco será lançado através da Third Man Records em 2 de Julho.

Novas músicas: Attack Attack!, AT THE GATES, Atreyu, Burial e Wavves

Attack, Attack!
Crédito: reprodução

A banda de metalcore americana Attack Attack! divulgou nas plataformas de streaming o clipe da canção “Brachyura Bombshell”.

Esta é a segunda música que o grupo libera desde seu retorno às atividades no ano passado, depois de um longo hiato.

Na carreira, a banda tem os álbuns Someday Came Suddenly (2008), Attack Attack! (2010) e This Means War (2012).

AT THE GATES

AT THE GATES
foto: reprodução

O grupo sueco AT THE GATES divulgou nas plataformas digitais o single “Spectre Of Extinction“, que chega acompanhado de um clipe dirigido por Patric Ullaeus.

A faixa integra o sétimo álbum de estúdio da banda, The Nightmare Of Being, que tem lançamento previsto para 2 de Julho.

“É sempre muito difícil escolher qual música será liberada para o público primeiro, especialmente tendo este álbum diversas texturas e camadas. A gente realmente sentiu, entretanto, que esta, a faixa de abertura do disco, representa a cara do álbum,” disseram os integrantes em comunicado.

Atreyu

Atreyu
foto: reprodução

A Atreyu divulgou no YouTube a faixa “Catastrophe”, que estará presente no oitavo álbum de estúdio do grupo, Baptize.

Este será o primeiro trabalho desde que o vocalista Alex Varkatzas deicou a banda. Quem então assumiu os vocais foi o baixista Marc “Porter” McKnight.

Baptize será lançados no dia 4 de Junho.

Burial

Burial
foto: reprodução

O músico britânico William Bevan, conhecido artisticamente como Burial, se juntou ao produtor Blackdown para dividir a realização do EP SHOCK POWER OF LOVE.

O compacto liberado pela Keysound Recordings apresenta quatro músicas e cada metade é assinada por um dos dois artistas .

No ano passado, Burial lançou o single “Chemz”.

Wavves

Wavves
foto: reprodução

A banda americana Wavves lançou nas plataformas de streaming a faixa “Help is on the Way”, que sucede o single “Sinking Feeling”.

Este é o segundo lançamento desde 2017, quando o grupo liderado pelo vocalista Nathan Williams divulgou o álbum You’re Welcome.

Novos vídeos: Big Scenic Nowhere, Serj Tankian, The Kid LAROI e Miley Cyrus, Waterparks e Rise Against

The Kid LAROI convida Miley Cyrus para nova versão de
Reprodução / YouTube

O coletivo de desert rock Big Scenic Nowhere, formado por membros das bandas Fu Manchu, Yawning Man, Mos Generator e mais, irá lançar seu segundo disco The Long Morrow em Outubro.

O grupo que pretende liberar uma música por mês até a estreia do novo álbum disponibilizou sua segunda faixa, “LeDu”.

De acordo com a banda, o nome do single que apresenta um som pesado foi influenciado por Led Zeppelin e Husker Du. O guitarrista Gary Arce explicou (via Brooklyn Vegan):

‘LeDu’ foi inspirado por uma das minhas bandas favoritas de todos os tempos, Husker Du, e uma das minhas canções favoritas do Led Zeppelin, ‘Achilles Last Stand’. Eu inventei o riff e todos se juntaram naturalmente, adicionando suas próprias coisas. Uma coisa que eu realmente gosto no Big Scenic Nowhere é que é uma verdadeira colaboração de diferentes estilos e influências se unindo sem pensar duas vezes.

Confira a nova música no vídeo abaixo.

Serj Tankian

O vocalista do System Of A Down liberou mais um ótimo clipe para uma das faixas do seu elogiado EP solo Elasticity.

A música escolhida foi “Rumi”, uma homenagem ao poeta persa do século XIII e ao filho de Serj Tankian de seis anos de idade de mesmo nome. Sobre a faixa, o artista explicou (via blabbermouth):

A especificidade lírica na música é geralmente desencorajada porque menos pessoas as internalizam, pois têm menos conexão pessoal. Mas há casos em que é vital que a inspiração e a musa sejam específicas. Nesse caso, um pai falando ao filho e reverência ao poeta que inspirou o nome do filho não poderia ser reescrito para generalizar.

Assista ao novo clipe de Tankian dirigido e produzido por Craig Ray.

The Kid LAROI e Miley Cyrus

O rapper de 17 anos de idade gravou uma nova versão do seu single de sucesso “Without You” com a participação de Miley Cyrus.

A faixa que ganhou um clipe dirigido pela própria Miley está presente na edição deluxe do novo álbum de The Kid LAROI, F*ck Love (Savage) que conta com a participação do saudoso Juice WRLD, e também de Marshmello e Machine Gun Kelly.

O artista contou ao Entertainment Tonight (via Rolling Stone) que conheceu a dona de Plastic Hearts através do produtor Omer Fedi e ela lhe deu alguns conselhos sobre como conduzir sua carreira.

Confira o ótimo clipe abaixo.

Waterparks

A banda pop Waterparks vem liberando clipes para as faixas que irão integrar o seu próximo disco Greatest Hits, previsto para ser lançado em Maio.

A última música a ser apresentada pela banda foi You’d Be Paranoid Too (If Everyone Was Out To Get You) que também ganhou um divertido clipe.

Até agora o grupo americano já disponibilizou as faixas “Numb”, “Snow Globe” e “Lowkey As Hell”.

Assista ao novo clipe!

Rise Against

Quem também disponibilizou um novo vídeo foi a banda Rise Against, que recentemente anunciou o seu próximo disco Nowhere Generation.

Dirigido pelo coletivo ativista americano Indecline, que é composto por grafiteiros, fotógrafos, cineastas e ativistas, a faixa “The Numbers” ganhou um forte e impressionante lyric video acompanhado por imagens de protestos e ilustrações.

Membros do Indecline acreditam que a letra da música reflete alguns de seus valores e falaram sobre o convite do Rise Against para criar o vídeo (via Loudwire):

‘The Numbers’ deu ao nosso coletivo outra oportunidade não apenas de trabalhar com uma banda que procuramos como inspiração desde o início, mas também uma chance de criar o tipo de conteúdo visual forte que visa inspirar e educar.

Além de simplesmente mostrar movimentos de protesto global, este vídeo serve como um lembrete de que todos nós estamos vivendo em uma era de ouro de resistência e precisamos usar nossos privilégios para nos comprometermos de todo o coração a puxar a corda na direção oposta.Para ser mais franco, não seja como a geração de seus pais. Dê a mínima e prove.

Confira o incrível vídeo abaixo!

Família de Chris Cornell faz acordo na Justiça com médico do cantor

Chris Cornell do Soundgarden em 2012
Foto de Chris Cornell via Shutterstock

A família de Chris Cornell segue resolvendo pendências relacionadas ao falecimento do músico em 2017.

Enquanto a briga judicial com o Soundgarden ainda segue acontecendo, pelo menos um capítulo chegou ao fim: segundo informações da Rolling Stone (via NME), a família Cornell chegou a um acordo com o médico Robert Koblin, que cuidava do vocalista.

O processo foi iniciado em 2018, cerca de um ano e meio após a morte de Chris, e culpava o doutor por ter prescrito oxicodona ao músico e nunca ter feito exames ou estudos clínicos para monitorar a resposta ao tratamento.

A família acredita que a droga pode ter tido um papel na morte do cantor, ainda que o relatório do legista tenha deixado claro que nenhuma das substâncias encontradas em seu corpo na autópsia contribuíram para a causa da morte.

Além disso, Koblin é acusado de não ter avisado Cornell dos possíveis efeitos colaterais de tomar Lorazepam. O vocalista recebeu receita para 940 doses da medicação em 2015 e, de acordo com sua família, um “indivíduo propenso ao vício” como ele não deveria ter recebido uma quantidade tão grande.

Apesar do acordo, o médico negou as acusações e afirmou que Chris estava “bastante ciente” dos efeitos colaterais e perigos dos remédios, tendo escolhido “não ser informado” sobre os riscos. Ele também diz que suas receitas foram feitas de acordo com a necessidade do paciente.

Os valores do acordo não foram revelados.

Madonna fuma baseado em novo clipe de Snoop Dogg; assista ao vídeo

Madonna fuma baseado em novo clipe de Snoop Dogg
Reprodução / YouTube | Reprodução / Instagram

Amigo de inúmeras celebridades, Snoop Dogg surpreendeu seus fãs com a participação de Madonna no clipe do seu novo single “Gang Signs”, em parceria com o rapper Mozzi.

A rainha do pop aparece no vídeo recebendo um baseado, ilustrando os versos da música que rimam exatamente sobre isso.

Fazendo o ‘crip walk’ com a minha amiga Martha / Enquanto entrego baseados a Madonna.

Apesar de ser uma breve participação, com cerca de cinco segundos, a cantora é um dos maiores destaques da nova produção de Snoop.

Snoop Dogg – “Gang Signs”

O vídeo do rapper que apresenta diversas cenas de ostentação ainda conta com aparições do rapper americano Mistah F.A.B. e do ex-jogador de basquete Gary Payton. O clipe foi produzido pelo grupo The Mekanix com direção de 4 rAx.

Vale lembrar que o uso recreativo da maconha é permitido em diversos estados norte-americanos.

A música que integra o novo disco de Dogg, From Tha Streets 2 Tha Suites, foi bastante comentada após seu lançamento pois na letra o rapper sugere ter fumado maconha com o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Assista ao novo clipe de Snoop Dogg no player abaixo.

“Ciúme louco”: Scott Ian revela o que sentiu quando escutou Metallica pela primeira vez

Anthrax
Crédito: reprodução

Para comemorar seus 40 anos de carreira, o Anthrax preparou uma websérie exibida no YouTube para relembrar fatos e momentos da extensa trajetória da banda.

A exemplo do número de aniversários do grupo, serão liberados 40 episódios com depoimentos de membros atuais, ex-integrantes e também amigos de um dos maiores nomes do Metal.

Nessa semana, as lendas do rock disponibilizaram o segundo episódio da série e foi narrada a história por trás da gravação do disco de estreia, Fistful of Metal, lançado em 1984.

Anthrax e Metallica

O que chamou atenção mesmo foi a revelação a respeito da primeira vez em que o guitarrista e cofundador da banda, Scott Ian, ouviu o som do Metallica.

Em sua fala para a série, o músico americano diz que conheceu a banda de James Hetfield através de Jon Zazula, também conhecido como Jonny Z e cofundador da Megaforce Records:

Jonny disse algo tipo, ‘Scott, eu tenho essa coisa, espere até você ouvir, vai explodir sua mente! Eu tenho essa demo dessa banda de São Francisco, eles se chamam Metallica’. Então, ele coloca a porra da fita e é como… ouvir as guitarras, os arranjos das músicas, a rigidez da banda. Eu fiquei admirado, eu amei isso e ao mesmo tempo eu estava com um ciúme louco.

Scott ainda contou que foi invadido por uma necessidade de saber quem eram as pessoas que tocavam na demo No Life ‘Til Leather:

‘Quem são esses caras? Qual a idade deles?’ Jonny respondeu, ‘Eles são iguais a você, têm a mesma idade.’ Tudo sobre isso (a demo) era melhor do que as coisas que estávamos fazendo como uma banda naquela altura, sabe. Jonny então disse: ‘Estou trazendo eles de San Francisco para Nova York e vamos colocá-los no estúdio para gravar um álbum e conseguir um contrato com uma gravadora!’

De forma bem-humorada, Scott Ian ainda completou dizendo que reagiu com algo como “O quê? E nós?”

LEIA MAIS: James Hetfield diz que grande clássico do Metallica é “uma porcaria”

Myles Kennedy fala sobre relação com Slash: “muito fácil de trabalhar”

Slash e Myles Kennedy
Foto: Leslie Michele Derrough

Nem parece, mas já são quase 10 anos de parceria entre Myles Kennedy Slash!

Os músicos de Alter Bridge Guns N’ Roses lançaram seu primeiro disco conjunto, Apocalyptic Love, em 2012 e, desde então, têm feito várias turnês e já divulgaram outros dois álbuns completos nesse tempo — o mais recente sendo Living the Dream, de 2018.

Quando o guitarrista iniciou seu projeto solo, a ideia foi convidar diversos vocalistas diferentes. O disco autointitulado trouxe nomes como Ozzy Osbourne Lemmy Kilmister, além do próprio Myles, que acabou se dando tão bem com Slash que virou o cantor fixo.

Falando sobre essa relação já bastante duradoura à Audio Ink Radio (via Blabbermouth), Kennedy não poupou elogios ao “chefe” e deixou bem claro o quanto é prazeroso trabalhar com essa lenda do Rock:

Ele é muito legal. Digo, é muito fácil trabalhar com ele. Não há nada de intimidante de jeito nenhum, na verdade, no que diz respeito a escrever com ele, por conta do fato de que ele não é todo ‘precioso’ com suas ideias. Essa é uma das desvantagens de muitas pessoas criativas, que você tende a meio que ficar protetor e territorial, e você deixa seu ego entrar na equação.

E com ele, o que eu aprendi desde cedo no processo é que ele estava aberto para qualquer coisa. Então, ter essa habilidade e saber que ele vai fazer o que for melhor para a canção é muito libertador. Ele é um cara muito legal. Ele é só um gato muito dócil que ama tocar música mais do que qualquer coisa no mundo. Então, é divertido.

Bom, não é à toa que a dupla já está trabalhando em novas músicas, né? Vamos aguardar o que vem por aí! Por enquanto, você pode ouvir essa entrevista na íntegra (em inglês) pelo vídeo abaixo.

Myles Kennedy fala sobre parceria com Slash

Surreal: Tatá Werneck é criticada por se proteger contra COVID-19 em velório de Paulo Gustavo

Tatá Werneck protegida contra COVID
Reprodução/Instagram

São tempos difíceis os que vivemos e, se você ainda precisa de (mais) provas disso, a internet não falha em concedê-las. O exemplo mais recente é uma situação envolvendo Tatá Werneck, que acabou viralizando após ir toda protegida contra a COVID-19 ao velório de Paulo Gustavo.

Muito amiga do ator e humorista que faleceu justamente após complicações da doença que já matou mais de 400 mil no país, a atriz usou duas máscaras e um faceshield para sair de casa com a maior segurança possível. Para alguns usuários do Instagram, infelizmente, isso foi o suficiente para criar “ranço”.

Por mais absurdo que pareça, algumas pessoas disseram que a atitude de Tatá mostra que ela é uma “biscoiteira chata” e que “faltou o abacaxi na cabeça”, insinuando que Werneck não estaria se protegendo mas sim buscando atenção.

As críticas se estenderam para outras pessoas, com alguns dos comentários dizendo que há pessoas que saem “parecendo astronauta”, como se isso fosse algo ruim em meio à tentativa de tantas pessoas de sobreviverem em um país que promove aglomerações e tem uma das campanhas de vacinação mais ineficientes do planeta.

Felizmente, uma publicação apontando a surrealidade dessa crítica atingiu mais de 150 mil curtidas no Twitter, como você pode ver abaixo, e recebeu inúmeras respostas de apoio a Tatá, com várias pessoas dizendo que fazem o mesmo ainda que sejam julgadas ocasionalmente.

Vale ressaltar ainda que um usuário da rede social apontou para outra publicação da mesma pessoa que fez as críticas iniciais, na qual ela diz ser a “prova viva” de que “ser filho de pai rico não paga os seus boletos” ao comentar o caso de Fiuk, que te explicamos melhor por aqui.

Tatá Werneck criticada por se proteger contra COVID

Em seu Instagram, a cantora mandou uma mensagem diretamente à pessoa que fez a publicação dizendo que tinha pego “ranço” e questionando o porquê de tantas críticas, explicando que tem “pânico” e por isso estava protegida daquela forma.

Ela deletou essas postagens, mas fez outra no Twitter afirmando:

As pessoas são bobas demais. Criticam quem não se protege. E na mesma medida quem se protege demais. Prefiro ser chamada de exagerada do que de irresponsável :)

Você pode ver essa publicação logo abaixo também.

“Imperdoável”: Canisso (Raimundos) fala sobre treta de Pe Lu e Digão

Canisso fala sobre treta de Pe Lu e Digão
Reprodução/YouTube

Canisso, baixista dos Raimundos, acaba de estrear seu canal no YouTube falando logo de um assunto em alta e polêmico: a treta entre Digão Pe Lu que vem movimentando o Rock brasileiro nos últimos dias.

Caso você não tenha visto, tudo começou quando o músico ex-Restart falou que tinha “decepção” por “roqueiro reaça”, citando o vocalista e guitarrista como exemplo disso. A declaração pegou mal com Digão, que respondeu atacando a carreira de Pe Lu em uma atitude que movimentou Tico Santa Cruz, vocalista do Detonautas com passagem pelo Raimundos, que fez live de quase uma hora sobre o tema e chamou o ex-colega de banda de “bunda mole”.

Em seu vídeo, Canisso abordou o tema com muita sinceridade e deu sua opinião sobre tudo que está acontecendo. O baixista frisou que a atitude de Digão com Pe Lu foi “inadmissível, imperdoável”, uma vez que “ao invés de defender sua liberdade de escolha, de posicionamento, ele ficou com a cabeça tão quente que foi correndo atacar o Pe Lu como artista e como pessoa”, mas também defendeu o colega de banda:

O Digão não tem essa profundidade toda pra discutir política. A gente tem que reconhecer. Ele tem um espírito meio intenso demais, ele pode passar essa impressão de arrogante, mas no fundo ele tem um coração enorme; ele ajuda muitas pessoas, ele é uma força da natureza. Ele canta, toca, carrega essa banda nas costas… se a banda chegou a essa longevidade é muito por conta do esforço natural dele, da sua entrega, da sua paixão por essa banda.

Se você perguntar pra ele sobre banda, sobre arranjo, sobre música, ele vai saber falar tudo, ele vai saber te dar uma aula. Mas ele é músico, velho. Se você quer saber de política, vai perguntar pra um cientista político, vai perguntar pros caras da CNN.

Canisso fala sobre Pe Lu, Digão e política

Ainda na mesma publicação, Canisso aproveitou para mencionar como acredita que a polaridade das discussões políticas está sendo bastante negativa nas vidas das pessoas. O baixista comentou que precisamos “dar a chance para as pessoas que estão erradas ou que pensam diferente buscarem seu próprio caminho” e, em caso de arrependimento, “ter a hombridade e o acolhimento necessário para recebê-las de volta”.

O músico apontou para o fato de os políticos estarem “sempre jogando com essa dualidade” — ou seja, se aproveitando da discussão acalorada entre amigos e familiares — e citou que muitas relações foram perdidas nos últimos tempos por conta de discordâncias políticas. Para ele, isso é algo que não faz sentido uma vez que essas pessoas estão “perdidas, procurando uma saída” e precisamos “nos unir e buscar uma solução”.

Ele finalizou com uma daquelas declarações que só amigos de longa data podem fazer um sobre o outro:

O Digão é um bobo, com certeza. É um bobo, mas é o meu bobo, sacou? Não mexe com o meu bobo. Deixa que eu cuido dele. No palco, tudo funciona lindamente e eu cuido pra que isso se perpetue. Aqui, meu irmão, é Raimundos. É uma família. Não é por causa de uma crença política ou um desentendimento besta que vamos acabar com essa história. Aqui ainda tem muita lenha pra queimar.

Você pode conferir o vídeo na íntegra logo abaixo, no qual o músico dos Raimundos também comenta o posicionamento de Tico Santa Cruz e frisa que algumas de suas publicações foram tiradas de contexto pelo cantor.

FBI publica novos documentos sobre investigação da morte de Kurt Cobain

Kurt Cobain no Nirvana Live And Loud

Em 05 de Abril de 1994, o lendário Kurt Cobain tirou a sua própria vida em uma residência onde vivia em Seattle, nos Estados Unidos.

A cidade que havia se tornado o berço do Grunge era também amplamente conectada às origens do líder do Nirvana e foi ali que o autor de “Smells Like Teen Spirit” usou uma arma para disparar contra a própria cabeça e partir, cedo demais, aos 27 anos de idade.

Essa é a versão oficial dos fatos, revelada por autoridades que estiveram no local e investigaram o caso, mas durante longos anos houve muitas pessoas que questionaram o que realmente teria acontecido com Kurt Cobain.

Entre as principais teorias “alternativas”, está o sentimento de que Kurt poderia ter sido assassinado, e mesmo com todas as provas apontando para o suicídio, até documentários foram feitos a respeito de quem poderia ter matado um dos maiores nomes da história da música.

FBI e Kurt Cobain

Pois agora, curiosamente 27 anos (!) depois do fato em si, o FBI resolveu publicar um arquivo de 10 páginas contendo informações a respeito da curta investigação que conduziu a respeito da morte de Kurt Cobain.

Como aponta a revista Rolling Stone, o órgão tem o costume de disponibilizar documentos a respeito das investigações de grandes nomes periodicamente, e o fez há alguns dias com o músico sem muito alarde.

Infelizmente não há muito conteúdo nas poucas páginas do documento que foram analisadas, mas é possível perceber que o rápido envolvimento do FBI tem como pontos centrais duas cartas que dizem basicamente a mesma coisa: Kurt Cobain teria sido assassinado.

As cartas foram enviadas ao FBI por pessoas que tiveram as suas identidades preservadas, sendo que uma delas, de Setembro de 2003, lê:

Milhões de fãs ao redor do mundo gostariam de ver as inconsistências em torno da sua morte serem resolvidas de uma vez por todas.

Essa carta ainda cita o diretor Nick Broomfield, responsável pelo documentário Kurt & Courtney, que põe dúvidas em relação ao comportamento de Courtney Love, viúva de Cobain.

Cartas Para o FBI

A outra carta, que segue a mesma linha, tem passagens como essa abaixo:

A polícia responsável pelo caso nunca levou a sério a investigação como um assassinato, e desde o início insistiu que o que aconteceu foi suicídio. Isso me incomoda porque o assassino ainda está à solta.

Como é comum em casos assim, os “investigadores por conta própria” usam informações divulgadas na mídia e/ou fabricadas, e esse especificamente cita que “não há impressões digitais na arma que ele supostamente usou para se matar”, ainda afirmando que a carta de despedida de Kurt “não dizia nada sobre a vontade de se matar, a não ser em uma parte ao final que foi adicionada depois, com outra letra”.

Resposta

Além desses pedidos de investigação por parte do FBI, o documento também mostra as respostas dos oficiais aos pedidos.

Como a questão dizia respeito à polícia local e não a um órgão federal, as diversas respostas enviadas por agentes do FBI contam com mensagens similares como essa abaixo:

Nós apreciamos a sua preocupação a respeito da possibilidade do Sr. Cobain ter sido vítima de homicídio. Entretanto, a maioria das investigações de homicídio geralmente se enquadram na jurisdição das autoridades municipais ou estaduais.

Os responsáveis ainda afirmam que “não foi possível identificar qualquer tipo de violação da lei federal dentro da jurisdição investigativa do FBI.”

Sendo assim, a agência não seguiu adiante com qualquer tipo de investigação.

Músicos Sob Suspeita

Vale lembrar que o FBI manteve arquivos a respeito de diversos músicos lendários ao longo da história.

O assassinato do rapper Notorious B.I.G., por exemplo, tem um relatório de mais de 300 páginas, enquanto a banda The Monkees ganhou uma investigação por conta de “mensagens subliminares contra os EUA” que seriam veiculadas por eles em vídeo nos seus shows.

Membros do Bee Gees também tiveram suas vidas investigadas pelo FBI, bem como o lendário John Denver, que teria recebido ameaças de mortes em 1979.

Por fim, vale lembrar que há alguns anos a polícia de Seattle disponibilizou fotos tiradas no local onde o corpo de Kurt Cobain foi encontrado, justamente com a ideia de que teorias da conspiração fossem derrubadas.

As fortes imagens mostram o corpo do guitarrista e vocalista do Nirvana, e na mesma época houve a liberação de outros cliques, como registros da arma utilizada por ele.

Será que agora os defensores de outras teorias não-oficiais irão acreditar no que parece estar mais que claro?

“Absurdo”: músicos brasileiros se manifestam sobre chacina no Rio de Janeiro

Chacina no Rio de Janeiro
Ilustração: Twitter @ManoelFrancoJr3

O Brasil ficou em choque nesta quinta-feira (6) ao presenciar a maior chacina da história do Rio de Janeiro.

Uma operação policial no Jacarezinho, Zona Norte do Rio, deixou 25 pessoas mortas e é a mais letal até então. As informações são do G1, a partir de um levantamento do Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos (Geni) da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da plataforma Fogo Cruzado.

De acordo com a Polícia Civil, 24 assassinados eram criminosos, e o 25° morto foi o policial civil André Leonardo de Mello Frias, da Delegacia de Combate à Drogas (Dcod). Os oficiais não revelaram identidades ou circunstâncias do assassinato dos supostos traficantes, e a falta de informações — aliada ao alto número de mortos – revoltou o país.

Além disso, diversos relatos de invasões de casas de inocentes e até tiros que atingiram passageiros do metrô surgiram na internet, como é possível ver nas publicações abaixo.

Marcelo D2, revoltado com a situação, comentou:

Isso é de uma ignorância e falta de humanidade, com todos envolvidos… 25 mortes numa operação, provocar esse confronto é uma irresponsabilidade.

Quem também comentou foi Tico Santa Cruz (Detonautas):

Gente que coisa absurda!!!! Trabalhadores baleados dentro do Metrô!!! Se não bastasse o Covid ainda precisam desviar de Tiros!!!

Eddie Vedder se emociona ao finalmente pisar em um palco novamente

Eddie Vedder empolgado subir ao palco
Reprodução/Instagram

Eddie Vedder ficou bem animado por voltar a tocar em um estúdio nos últimos dias.

Aconteceu no último domingo (2) o concerto Vax Live: The Concert to Reunite the World, no SoFi Stadium, na Califórnia. Além de Vedder, o show ainda contou com nomes como Jennifer Lopez e Foo Fighters, e tinha como objetivo incentivar as pessoas a se vacinarem nos Estados Unidos.

Em um vídeo filmado por Hugh Evans, organizador da Global Citizen, o vocalista do Pearl Jam aparece bem animado e até emocionado. No clipe, Eddie celebra a possibilidade de estar novamente em um grande palco, algo que os artistas não têm feito por conta da pandemia.

Na apresentação, Vedder cantou “Corduroy”, faixa do PJ, e uma cover de “I Am a Patriot”, de Little Steven. Para esta último, o músico chamou Josh Klinghoffer, ex-guitarrista do Red Hot Chili Peppers, ao palco. O evento contou com um público reduzido, e nós te contamos por aqui sobre como será possível assistir à transmissão amanhã, dia 08 de Maio.

No vídeo abaixo, você poderá assistir a tudo a partir das 21 horas.

Confira também o vídeo de Eddie Vedder logo abaixo! Que saudades de um showzão, hein?

LEIA TAMBÉM: Mike McCready (Pearl Jam) confunde modelo de guitarra e tatua número errado no braço

Eddie Vedder

Coldplay lança a nova “Higher Power” com clipe de outro mundo; veja

Coldplay - Higher Power
Reprodução/YouTube

O Coldplay acaba de lançar seu novo single, a primeira música nova da banda em dois anos.

“Higher Power” é a primeira faixa do novo disco do grupo, ainda sem muitas informações divulgadas. A música tem produção de Max Martin, com quem os caras já trabalharam em outros hits.

No clipe, lançado nesta quinta-feira (6), Coldplay aparece ao lado de hologramas de alienígenas — um tema no qual a banda vem trabalhando ultimamente. Nas redes sociais, o grupo de Chris Martin escreveu:

‘Higher Power’ é uma música que nasceu em um pequeno teclado e uma pia de banheiro no início de 2020. Ela foi produzida por Max Martin, uma verdadeira maravilha do universo.

Massa, hein? A música será estreada ao vivo no dia 9 de maio, este domingo, no American Idol. Dois dias depois, o grupo também toca no BRIT Awards e, no dia 22, na edição online do Glastonbury para a qual você pode garantir ingressos por aqui.

Coldplay – “Higher Power”

Snoop Dogg pede que fãs orem por ele e por sua mãe: “estou sendo testado”

Snoop Dogg (Tomorrowland)
Foto via Wikimedia Commons

O lendário Snoop Dogg é muito ativo em suas redes sociais e busca sempre entreter seus seguidores, mas parece que ele está passando por alguma situação delicada e decidiu compartilhar.

No início desta semana, o rapper publicou em sua conta do Instagram uma foto de sua mãe Beverly Broadus pedindo para que seus fãs enviassem pensamentos positivos e orassem por ela e por ele.

Enviando orações especiais pela minha mãe esta manhã, todos orem por ela e por mim.

O artista não compartilhou detalhes sobre o estado de saúde de sua mãe mas após muitos seguidores se manifestarem, ele decidiu agradecer e enviar uma mensagem.

Snoop Dogg pede Ajuda

Em uma nova publicação ele colocou na legenda: “Obrigado a todos por todas as suas orações” e gravou um vídeo dizendo:

Tenho que ficar forte, continuar avançando. Eles dizem que Deus não põe nada em seus ombros que você não possa suportar. Estou sendo testado agora, sim. Certifique-se de orar por mim e minha família.

Com o novo recado do integrante do Mt. Westmore, artistas como E-40, Xzibit, LL Cool J, Warren G, KXNG Crooked e Dem Jointz enviaram mensagens de apoio a Snoop.

Estamos na torcida para que tudo fique bem.

LEIA TAMBÉM: Snoop Dogg sugere que teria fumado maconha com Barack Obama

Childish Gambino é novamente acusado de plágio por “This is America”; compare

Childish Gambino - clipe This Is America
Foto: Reprodução/YouTube

Três anos após Childish Gambino lançar a aclamada música “This is America”, o artista está sendo novamente acusado de plágio.

Dessa vez quem está apontando semelhanças da música com uma de suas canções é o rapper Emelike Nwosuocha, conhecido pelo nome Kidd Wes.

De acordo com informações do TMZ (via Stereogum), Wes está processando Donald Glover por violação de direitos autorais. Ele argumenta que o ritmo, a letra e o gancho da música são “sem dúvidas substancialmente similares, se não praticamente idênticos” aos de sua faixa “Made In America”, lançada em 2016.

Childish Gambino e o Suposto Plágio

Kidd Wes aponta como principal cópia o trecho de “This is America” que diz: “Esta é a América / Armas na minha área / Eu tenho a alça / Eu tenho que carregá-los”, e compara com o início da sua música: “Eu sou feito na America / Flex no rádio / Me tornou um terrorista / Negros pessimista / Você deveria apenas valorizar isso”.

Além de Glover que é coautor da faixa, o rapper está processando por danos a gravadora que lançou a música, Roc Nation e também Young Thug, que gravou o vocal de apoio da música.

Anteriormente, o hit de Childish Gambino foi acusado de plágio após seguidores do rapper Jase Harley notarem semelhança com a música “American Pharaoh”, de 2016, lançada pelo artista.

Ouça abaixo as faixas de Wess e de Gambino e compare as músicas.

Mas, hein? Mechas do cabelo de Kurt Cobain estão à venda em leilão

Kurt Cobain entrevista Dave Grohl
Reprodução/YouTube

Algumas mechas do cabelo de Kurt Cobain estão à venda em um leilão nos Estados Unidos.

A primeira edição do leilão Amazing Music, feita pela casa IconicAuctions, começa nesta quinta-feira (6) às 20h. Além do cabelo do líder do Nirvana, itens dos Beatles, Cream e Van Halen também estão à venda.

As madeixas de Cobain, segundo o leilão, foram conseguidas em 1989 durante um corte de cabelo do músico com uma amiga. A IconicAuctions diz (via Louder Sound):

Este artefato único é totalmente novo no mercado e é acompanhado por uma linhagem impecável que prova sua veracidade, incluindo fotos de Kurt posando com a mulher que cortou o cabelo, com a tesoura na mão, e uma foto fantástica do cabelo realmente sendo cortado! A amiga sortuda que aparou as icônicas mechas loiras do vocalista do Nirvana foi uma de suas primeiras confidentes, Tessa Osbourne, que cortou seu cabelo em 1989 — bem antes do lançamento de ‘Nevermind’ – durante a turnê de ‘Bleach’. Tessa deu as mechas para a artista Nicole DePolo, de Seattle, como um presente sincero após a morte de Kurt.

A casa de leilões ainda conta que Tessa conheceu Kurt na Inglaterra, e que a mulher “sentiu” que ele se tornaria um grande rockstar.

Leilão beneficente

Uma parte do lucro deste leilão vai beneficiar o Crew Nation, o fundo de ajuda global a artistas e profissionais da música e dos shows que estão enfrentando dificuldades por conta da pandemia de COVID-19.

Para saber mais e dar seu lance, é só clicar aqui.

5 motivos pelos quais você não pode perder o show do IDLES no Glastonbury

IDLES no Paleo Festival, Suíça, 2018
Foto do IDLES via Shutterstock

No próximo dia 22 de Maio o lendário festival de Glastonbury irá realizar um evento virtual.

Impedido de acontecer na Inglaterra por causa da pandemia do Coronavírus, o evento tomará conta da Internet com shows de Coldplay, Damon Albarn, HAIM, Jorja Smith, Kano, Michael Kiwanuka, Wolf Alice e mais.

Quem também irá tocar no evento é a banda britânica IDLES, uma das mais interessantes dos últimos anos, e nós compartilhamos aqui 5 motivos pelos quais você não pode perder o show dos caras no festival.

Vale lembrar que é preciso garantir ingressos para o Glastonbury 2021 e você pode fazê-lo por aqui.

1 – Performances Ao Vivo Incríveis

A banda vem sendo conhecida como uma das mais enérgicas no palco e definitivamente não vai medir esforços para mostrar esse cartão de visitas após um período tão longo sem shows.

 

2 – Discos Elogiados

Em 2018 a banda lançou o que é sua obra prima até agora, o ótimo Joy as an Act of Resistance, o melhor disco do ano na lista do TMDQA!, inclusive.

Mas a discografia dos caras é mais do que isso: antes, tivemos o potente Brutalism em 2017 e depois veio Ultra Mono, lançado em 2020 com duras canções como “Grounds” e “War”.

 

3 – Ativismo

O grupo liderado pelo vocalista Joe Talbot é conhecido por defender causas sociais e celebrar movimentos como o feminismo, apoio a imigrantes e a defesa as causas LGBTQIA+.

Não à toa, passa mensagens fortes em suas letras e shows, e definitivamente é uma chance de aprender a respeito de questões importantes no mundo todo.

 

4 – Ligação Britânica

O palco do Glastonbury vai ser uma verdadeira casa para o IDLES, já que a banda é britânica e o festival, um dos maiores do planeta, também.

Isso significa que eles provavelmente estarão ainda mais à vontade para mostrar todas as suas armas.

 

5 – Sdds de um show!

O último show do IDLES com público aconteceu em Dezembro de 2019 e de lá pra cá a banda até realizou algumas sessões online, mas nenhuma com o porte e audiência de um festival tão importante.

Definitivamente a saudades dos caras irá se transformar em uma apresentação histórica!

 

Você pode correr e garantir seu ingresso para o Glastonbury Online clicando aqui.

Na televisão: Kings of Leon, Manchester Orchestra e girl in red

Kings of Leon faz apresentação ao vivo na abertura do Draft da NFL
Reprodução / YouTube

O Kings of Leon realizou seu primeiro show ao vivo desde o início da pandemia na última semana abrindo as atividades do Draft da NFL.

A apresentação aconteceu em um palco montado próximo ao Hall da Fama do Rock and Roll, em Cleveland. Antes do show a banda fez uma visita ao local e aproveitou para comentar sobre o evento. O baterista Nathan Follwill brincou dizendo (via Billboard):

Espero não tocar uma música que um linebacker não goste e ele decida vir nos tirar dali.

Uma das músicas apresentadas pela banda foi o seu grande sucesso “Use Somebody”, lançado em 2008 no disco Only by the Night. Além disso, eles apresentaram três faixas do seu novo álbum When You See Yourself: “Echoing”, “Stormy Weather” e “The Bandit”.

Os músicos ainda comentaram que como eles iriam se apresentar do Draft, eles já poderiam ser convocados para tocar no Super Bowl. O guitarrista Matthew Followill apontou:

Acho que eles nunca nos convidariam. Não somos esse tipo de artista. Faríamos isso, mas começaríamos a ensaiar agora durante 10 anos.

Confira o show do Kings of Leon no player abaixo.

Manchester Orchestra

O Manchester Orchestra tocou recentemente uma belíssima cover de “Harvest Moon” de Neil Young.

A nova versão foi apresentada pelos integrantes Andy Hull e Robert McDowell no programa SiriusXM. Por lá eles ainda divulgaram seu novo disco The Million Masks Of God, que você pode ouvir aqui.

Essa não foi a primeira vez que o grupo apresentou a faixa de Young. A banda costumava tocá-la durante sua turnê de 2010.

Assista ao vídeo da performance abaixo.

girl in red

A norueguesa girl in red fez sua estreia na TV Americana no programa The Tonight Show de Jimmy Fallon.

Divulgando seu primeiro disco if i could make it go quiet, a ótima Marie Ulven cantou “Serotonin”, faixa coproduzida por FINNEAS.

Confira a incrível performance no vídeo abaixo.

Válvera lança clipe forte sobre “Holocausto Brasileiro”, episódio lamentável na história do país

Válvera
Foto: Reprodução / Facebook

A banda paulista de neo-thrash Válvera lançou em Agosto de 2020 o seu elogiado terceiro álbum de estúdio (e o segundo em inglês), Cycle of Disaster, e segue firme na promoção do registro.

No último dia 30 de Abril, o grupo divulgou o videoclipe para o single “The Damn Colony“.

Novo clipe da Válvera

Classificada como “impactante e contundente, tanto no espectro sonoro como no seu conteúdo e apelo visual”, a produção chega para somar forças à Luta Antimanicomial. A letra de “The Damn Colony” aborda um dos episódios mais vergonhosos e tristes da história brasileira: a barbárie do manicômio Colônia, em Barbacena, Minas Gerais.

Estima-se o genocídio de mais de 60.000 pessoas entre 1903 e 1980, no que ficou conhecido como o “Holocausto Brasileiro”. Segundo o baterista Leandro Peixoto, a escolha da música para receber o clipe se deu pela importância de seu tema extremamente delicado e pouco divulgado no país.

O hospital era destinado à contenção dos indesejáveis. Cerca de 70% dos internados não tinha nenhum diagnóstico de doença mental. Para lá eram enviadas ‘pessoas não-agradáveis e incômodas’, como opositores políticos, prostitutas, homossexuais, mendigos, entre outros grupos marginalizados da sociedade. Como artistas, temos a obrigação de falar, de sermos a voz do povo, de se fazerem questões para que episódios como este jamais se repitam.

Com atuação de Carla Costa, Pedro Pellegrino e Jaque Rofer, o vídeo expõe algumas das formas de torturas que eram realizadas no Hospital Colonial de Barbacena, que desde 1996 abriga o impactante Museu da Loucura. A produção conta com direção de Plinio Scambora.

Assista a seguir ao clipe de “The Damn Colony”.

Continua após o vídeo.

Hospital Colônia de Barbacena

Fundado em 1903, com capacidade para até 200 leitos, o hospital chegou a receber uma média de 5.000 pacientes simultâneos em 1961 e ficou conhecido pelo genocídio em massa ocorrido especialmente entre as décadas de 60 e 80.

Trens com vagões lotados (chamados de “trens de doido”), semelhantes aos dos campos de concentração alemães, despejavam diariamente os “dejetos humanos” para “tratamento” no hospital. Sobre o modo desumano como os internos eram tratados, Gabriel Prado, baixista da Válvera, comenta:

É um assunto realmente horrendo, sinistro e até inacreditável. Nesse hospital, as roupas das pessoas eram arrancadas, seus cabelos raspados e seus nomes apagados. Nus no corpo e na identidade, a humanidade sequestrada, homens, mulheres e até mesmo crianças comiam ratos e fezes, bebiam esgoto ou urina, dormiam sobre capim, eram espancados e violentados até a morte.

O psiquiatra italiano Franco Basaglia, pioneiro na luta antimanicomial na Itália, esteve no Brasil e conheceu o Colônia em 1979. Na ocasião, chamou uma coletiva de imprensa e desabafou: “Estive hoje num campo de concentração nazista. Em lugar nenhum do mundo, presenciei uma tragédia como essa”.

Desde 16 de Agosto de 1996, o prédio do antigo Hospital Colônia de Barbacena abriga o Museu da Loucura, através de uma parceria entre a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) e a Fundação Municipal de Cultura de Barbacena (Fundac). O projeto tem como objetivo principal resgatar a história do primeiro hospital psiquiátrico de Minas Gerais. Oferece um espaço para discussão e reflexão acerca das atuais diretrizes no campo da saúde mental.

Cycle of Disaster

Além de Leandro Peixoto (bateria) e Gabriel Prado (baixo), a Válvera conta com Glauber Barreto (vocal/guitarra) e Rodrigo Torres (guitarra). O terceiro álbum de estúdio da banda foi lançado pela Brutal Records (EUA e Canadá), Plastic Head (Europa) e Voice Music (Brasil).

Gravado no Dual Noise Studio, em São Paulo/SP, o registro foi produzido pela própria banda em conjunto com Rogério Wecko (masterização, mixagem e engenharia de som). O disco, que você confere abaixo, tem capa assinada pelo experiente Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, Metal Allegiance, Kreator).

Steven Tyler e ZZ Top tocam clássico do Fleetwood Mac em vídeo; assista

Steven Tyler canta clássico do Fleetwood Mac com ZZ Top
Reprodução / Instagram

Foi liberado um novo vídeo de Steven Tyler ao lado de Billy Gibbons, do ZZ Top, mandando ver em uma cover de Fleetwood Mac.

O registro do vocalista do Aerosmith cantando o sucesso de 1969 “Oh Well” junto com um time de peso foi filmado em Fevereiro de 2020 durante um show organizado por Mick Fleetwood para homenagear seu ex-companheiro de banda Peter Green, que nos deixou no ano passado.

Mick Fleetwood And Friends

O show, chamado Mick Fleetwood and Friends – A Celebration For Peter Green, ainda contou com apresentações de David Gilmour (Pink Floyd), Kirk Hammett (Metallica), Noel Gallagher, Zak Starkey (The Who) e muitos outros artistas. Sobre o tributo, Mick comentou (via Loudersound):

O concerto foi uma celebração dos primeiros dias do blues onde todos nós começamos. E é importante reconhecer o profundo impacto que Peter e o primeiro Fleetwood Mac tiveram no mundo da música. Peter foi meu maior mentor e me deu muita alegria homenagear seu incrível talento.

Tive a honra de dividir o palco com alguns dos muitos artistas que Peter inspirou ao longo dos anos e que compartilham meu grande respeito por esse músico notável.

Na última sexta-feira esse incrível registro foi disponibilizado em formato de LP quádruplo, CD duplo, Blu-ray que inclui um mediabook de 20 páginas e uma edição super deluxe que apresenta livro de capa dura com notas de Anthony Bozza, coautor das memórias de Mick Fleetwood, Play On: Now, Then e Fleetwood Mac.

O livro também irá contar com fotos do evento e citações dos artistas que participaram. Já o show na íntegra será exibido nos cinemas da Europa e depois divulgado por meio de compra online. Você pode ouvir o áudio da apresentação aqui.

Confira o vídeo da cover de “Oh Well” abaixo e ouça o disco nas plataformas digitais!

Plutão Já Foi Planeta traz pista de dança oitentista em “Depois das Dez”

Plutão Já Foi Planeta em 2021

Trabalhando sua nova fase, a Plutão Já Foi Planeta divulgou o single “Depois das Dez”.

A faixa traz os elementos eletrônicos característicos das pistas de dança dos anos 80 ao mesmo tempo em que soa contemporânea, com diversos recursos da música pop e alternativa. A letra fala de saudade de forma leve, sempre pelo ponto de vista do reencontro.

Esse é a segunda canção divulgada pela banda potiguar após a entrada da rondoniense Cyz Mendes como sua nova vocalista. Recentemente eles lançaram “Acostuma”, que ganhou um clipe oficial.

Atualmente, além de Cyz, o grupo tem os guitarristas Sapulha Campos Gustavo Arruda ao lado do baterista Renato Léllis.

Promoção: concorra a um pôster exclusivo de Filipe Ret em edição limitada

Filipe Ret foi o Artista do Mês de março aqui no TMDQA! e agora temos um presente para quem curte o rapper.

Em um papo exclusivo com o site, Ret falou sobre seu novo disco, o elogiado Imaterial; contou sobre sua relação com Bob Marley e Marcelo Falcão; e ainda se colocou novamente como o melhor rapper branco em atividade.

Para mais essa fase incrível do projeto, desenvolvemos uma arte exclusiva que se tornou um pôster numerado à mão, limitado e que agora pode ser seu.

Pôster Filipe Ret

Iremos sortear 10 unidades do pôster através da participação no perfil do Instagram do Tenho Mais Discos. No post abaixo, você pode conferir todas as regras e deixar seu comentário.

O resultado será anunciado no dia 11 de maio. Boa sorte!

New Found Glory lança vídeo com versão acústica de “All Downhill From Here”; assista

New Found Glory acústico

O New Found Glory acaba de liberar uma prévia de seu novo acústico.

A banda vai transmitir neste sábado (8) o show NFG Unplugged Total Request, gravado seguindo todas as regras de distanciamento social.

No Instagram, o grupo publicou a performance de “All Downhill From Here”, que estará na transmissão. Na legenda, a banda avisa que o show será pago, e os ingressos já estão disponíveis por aqui.

Confira abaixo!

O mais recente disco de estúdio lançado pela banda de Pop/Punk da Flórida, uma das mais influentes do gênero em todos os tempos, se chama Forever + Ever x Infinity.

Desde o lançamento do álbum em 2020, o grupo tem feito vários eventos online com ingressos vendidos para seus fãs, aproveitando as novas canções e entoando clássicos para compensar a falta de shows causada, obviamente, pela pandemia da COVID-19.

Em 2021, completam-se 21 anos desde que a banda do vocalista Jordan Pundik lançou seu segundo álbum, New Found Glory, o primeiro por uma major label e “casa” para o hit “Hit Or Miss”, que catapultou o NFG às rádios.

LEIA TAMBÉM: “Não sou pedófilo” – Steve Klein (ex New Found Glory) escreve carta e explica condenação recente

New Found Glory – “All Downhill From Here”

Nirvana é processado por causa de camiseta vendida nos anos 90

Nirvana nos Anos 80
Foto por Richard Davis (via Reprodução/Facebook)

O Nirvana está sendo processado por conta de uma camiseta que vendeu nos anos 90.

Jocelyn Susan Bundy abriu o processo contra a banda alegando que a peça exibia uma arte não autorizada de seu avô, C.W. Scott-Giles. O desenho apareceu também em canecas e outros itens do grupo.

A imagem mostra um mapa dos círculos do inferno, conforme descrito no livro de Dante Alighieri, A Divina Comédia. O documento aberto na justiça alega ainda que a Live Nation também usou a imagem sem permissão, chegando até a reivindicar os direitos autorais dela.

Apesar da camiseta ser de 1997, Bundy alega que a banda usou a imagem desde 1989. O processo diz (via Digital Music News):

Em documentos apresentados em duas outras ações de direitos autorais perante este tribunal, o réu Nirvana deu a entender que Kurt Cobain criou a ilustração ou, alternativamente, que a ilustração é de domínio público nos Estados Unidos.

O documento continua:

Pesquisas posteriores revelaram que alguns dos usos não autorizados da ilustração em mercadorias com a marca Nirvana datam de 1989. Pesquisas posteriores também revelaram que, ao longo dos anos, a banda e outras partes agindo em seu nome costumavam fazer falsas alegações de propriedade dos direitos autorais na ilustração, colocando avisos de direitos autorais falsos nos produtos infratores, substancialmente neste formato ‘© [Ano] Nirvana’.

Camiseta do Nirvana

Camiseta do Nirvana é alvo de processo na justiça

Bundy teria descoberto o uso não autorizado em janeiro de 2021, quando decidiu mover a ação. Além do Nirvana, a Live Nation, Merch Traffic e Silva Artist Management também estão sendo processados.

Eita.