segunda-feira, 28 de setembro de 2020

ISWC: agora o “CPF musical” vai ficar mais fácil de ser gerado

Disco de vinil
Foto via Shutterstockl

Fonograma é toda fixação de sons, pode ser um podcast por exemplo, mas geralmente utilizamos este termo para falar de música gravada. Ou seja, a gravação de uma música é um fonograma.

Artistas costumam ter familiaridade com o ISRC, código que identifica gravações. Porém, tem um outro código que costuma ser ignorado: o ISWC (International Standard Musical Work Code). Na tradução livre seria algo como: Código Internacional Padrão para Obras Musicais. Obra musical é uma composição e fonograma é a gravação da composição.

Por exemplo, “Garota de Ipanema”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes é uma composição com várias gravações. Uma banda que componha uma música e faça, além da gravação original, versão acústica, ao vivo e remix, por exemplo, terá uma composição só com vários fonogramas.

Pois o ISWC é o código que identifica a obra musical, como se fosse um CPF. Ao contrário do ISRC, quem gera o ISWC não é o próprio produtor fonográfico (quem financia a gravação). Assim, o caminho tradicional é enviar as informações sobre a obra para a associação de direitos autorais a que você está filiado, que irá gerar o código junto ao ECAD.

A novidade é que a Confederação Internacional das Sociedades de Autores e Compositores (Cisac) desenvolveu tecnologia para centralizar a emissão do código ISWC, que antes era feito por associações em todo o mundo.

Conforme comunicado da UBC (União Brasileira de Compositores):

Trata-se da primeira grande mudança no sistema ISWC em 15 anos, um período no qual mais de 50 milhões de ISWCs foram emitidos. Agora, a identificação das obras será mais acurada e rápida, o que permitirá às sociedades de autores que cobram e repassam os direitos autorais aos titulares controlar seu uso com um nível de eficiência inédito.

Uma curiosidade é que o primeiro código ISWC foi criado para a música “Dancing Queen”, do ABBA, que tem o código T-000.000.001-0. Björn Ulvaeus, o famoso compositor sueco (ex-membro do grupo Abba) hoje é presidente da Cisac.

É possível consultar informações como esta, sobre obras de todo o mundo, pelo portal da ISWC Network.

ISWC no Brasil

Segundo Guilherme Coutinho, fundador da Phonolite e um dos criadores do curso
Música Como Profissão, a medida vem em boa hora:

Muitos artistas estão perdendo dinheiro por não gerarem o ISWC e aquela minoria que já está atenta sofre com demoras e complicações na emissão. Além disso, são centenas de associações gerando um código que precisa ser padronizado, assim a centralização pode permitir maior rapidez e segurança.

Ficou confuso ou quer entender mais sobre o assunto?

O curso online Música Como Profissão já está disponível e tem material específico sobre Direitos Autorais, entre outros temas fundamentais para ter uma carreira próspera no mundo musical, seja sob os holofotes ou nos bastidores.

Você pode comprá-lo por apenas R$ 499,00, parcelados em até 12 vezes, e ainda garantir 10% de desconto com o código TMDQA até o dia 27 de Setembro às 13 horas!

É só clicar aqui.

Caetano Veloso lança “Narciso em férias” em livro

Caetano Veloso - Narciso em Férias

Por Nathalia Guimarães e Sousa

“Narciso em férias”, lançado recentemente também em documentário, é uma edição avulsa do capítulo do livro “Verdade Tropical”, lançado originalmente em 1997 e depois em 2017, em que Caetano Veloso narra sua experiência de prisão nos tempos da ditadura civil-militar brasileira, período marcado pelo autoritarismo, repressão, perseguição e censura.

A ditadura que durou 21 anos (de 1964 a 1985), teve como um dos principais eixos de resistência a música. O alinhamento e a confluência entre a dimensão política e a dimensão cultural nesse período, possibilitaram a organização da sociedade como um todo e, especificamente, da classe artística na busca do reconhecimento de um sentimento, de uma prática e de uma representação participativa na contestação ao regime vigente.

O descontentamento com o abuso do poder gerava transformações e um processo de “superpolitização” dos artistas, marcando um forte engajamento na vida política e social, pública e privada.

Nesse período Caetano Veloso estava inserido no movimento tropicalista que representava uma nova linguagem na música popular brasileira, expondo a novidade através das letras e arranjos das canções.

Popularizando-se cada vez mais, principalmente em decorrência dos festivais da canção exibidos pela televisão, Caetano foi visto pelo regime militar como uma ameaça.

Caetano Veloso e Gilberto Gil foram presos arbitrariamente sem qualquer explicação e o motivo de suas prisões só foi revelado tempos depois. A experiência da prisão gerou em Caetano memórias traumáticas, dolorosas de serem recordadas, mas, ao mesmo tempo, necessárias.

Refletir sobre esses tempos passados nos leva a perceber a força da História no tempo presente. Conhecer a nossa história é fundamental para que tenhamos uma percepção crítica dos acontecimentos e nos auxilia a enxergar perspectivas do que a gente quer para nós mesmos, para os outros e para o país.

O livro então conta histórias de um passado, nem tão passado assim, e conta com o adicional de documentos que estavam guardados no Arquivo Nacional, com registros do processo que foi aberto contra Caetano e que só foram revelados em 2018.

Assista ao trailer de Narciso em Férias logo abaixo.

Escute também a playlist imersiva de Caetano Veloso com episódios de podcast
narrados por ele e intercalados de canções que marcaram o período em que
foi preso no player abaixo.

A boa do final de semana é ouvir o novo disco do Deftones com essa experiência visual

Deftones - Ohms audiovisual

Na última sexta-feira a sempre ótima banda norte-americana Deftones lançou seu novo disco, Ohms.

Além de colocá-lo nas plataformas de streaming, o grupo liderado por Chino Moreno ainda disponibilizou uma experiência audiovisual incrível para acompanhá-lo, com um vídeo oficial para cada faixa.

Em seu site oficial é possível encontrar os links para todas as canções, todas batizadas novamente com nomes em espanhol como “El Valiente”, “La Onda”, “La Estrella”, “El Cuchillo”, “La Mano” e mais.

Você pode assistir à playlist com todos os vídeos logo abaixo.

Vem correndo assistir ao último show do Beastie Boys na íntegra!

Último show do Beastie Boys

A sempre ótima banda de Hip Hop Beastie Boys disponibilizou seu último show da carreira na íntegra.

O vídeo faz parte da retransmissão de apresentações do festival Bonnaroo, nos Estados Unidos, e a banda decidiu que a apresentação realizada em 2009 ficaria no ar durante todo o final de semana para ser removida depois.

Sendo assim, corra para assistir ao último show de um dos grupos mais inventivos dos últimos anos no vídeo abaixo.

Beastie Boys

Vale lembrar que o trio encerrou a carreira em 2012 após Adam “MCA” Yauch nos deixar, cedo demais, aos 47 anos de idade, vítima de um câncer.

Borat 2 terá título bizarramente maravilhoso e “pornográfico”

Sacha Baron Cohen como Borat em 2006
Foto de Borat via Shutterstock

Há alguns dias nós falamos por aqui sobre como Sacha Baron Cohen estava filmando a sequência da sua aclamada comédia Borat.

Agora, de acordo com o site Consequence Of Sound, o título de “Borat 2” foi revelado oficialmente e como era de se esperar, vem cheio de piadas ao melhor estilo do humor ácido do personagem.

Anota aí, o novo longa se chamará Borat: Gift of Pornographic Monkey to Vice Premiere Mikhael Pence to Make Benefit Recently Diminished Nation of Kazakhstan, ou algo como Borat: Presente do Macaco Pornográfico para o Vice Premiere Mikhael Pence para Fazer Beneficiar a Recentemente Nação Diminuída do Cazaquistão.

Mike Pence, citado no título, é o atual vice-presidente dos Estados Unidos, respondendo ao presidente, Donald Trump. É possível, então, que o filme gire em torno de uma saga de Borat para entrar em contato com o político de alguma forma.

Ainda não há detalhes de como o filme seria lançado, mas dadas as circunstâncias do mercado hoje em dia, muita gente está apostando em algum serviço de streaming.

Borat

Vale lembrar que o filme original foi lançado em 2006 e mostra o personagem viajando para os Estados Unidos e tendo encontros reais com pessoas que não faziam ideia de que estavam sendo trolladas por um comediante.

Na época, o original também teve um nome longo, atendendo por Borat! Cultural Learnings of America for Make Benefit Glorious Nation of Kazakhstan, ou Borat! Aprendizados Culturais da América para Fazer Beneficiar a Gloriosa Nação do Cazaquistão.

LEIA TAMBÉM: Sacha Baron Cohen prega peça em grupo de extrema direita

John Frusciante diz que Rock está morrendo e explica sua volta ao Red Hot Chili Peppers

John Frusciante com o RHCP em 2020
Foto de John Frusciante via JFEffects

Até que fazia um tempinho, mas voltamos a ter a discussão sobre a “morte” do Rock And Roll em evidência e agora é por causa do guitarrista John Frusciante.

O músico que voltou ao Red Hot Chili Peppers em 2019 e deveria estar excursionando com a banda se não fosse a pandemia do novo Coronavírus esteve no podcast RA Exchange, do Resident Advisor, veículo especializado em música eletrônica.

Por lá, falou sobre os elementos que o inspiram a lançar discos voltados ao gênero com o qual tem trabalhado mais nos últimos anos e também abordou o estilo musical da banda que o catapultou ao mundo.

John Frusciante e o Rock And Roll

Frusciante foi questionado sobre seu retorno aos Chili Peppers, com o apresentador dizendo que ele havia confidenciado que sentia um grande impacto sobre como as músicas que criou ao lado da banda ainda significam tanto para muita gente.

Após falar sobre como ainda é um “choque” saber que tantas pessoas se conectam com as canções, ele ainda falou sobre como é um “desafio” fazer músicas boas no Rock And Roll e disse (via Alternative Nation):

É um tipo específico de desafio fazer música para um público específico que irá achar que aquilo é bom. E o Rock é um tipo de música que, para os meus ouvidos, está morrendo há algum tempo, e está realmente em seus últimos suspiros nesse exato momento. Parecia ser um desafio interessante tentar fazer boas músicas de rock que têm ideias sobre as quais as pessoas ainda não pensaram.

Muita gente acha que um tipo de música está morrendo porque todas as possibilidades foram exploradas e utilizadas. Eu não acho isso sobre nenhum tipo de música, e eu acho que você ainda pode criar grandes canções de blues, ou ótimas músicas envolvendo o Rock And Roll dos Anos 50. Para mim, especialmente, há muita coisa que eu posso fazer com a ideia do jungle que é inovadora, e com a banda é a mesma coisa.

Para compor música eletrônica, sou um grande colecionador de discos de soul e funk dos Anos 60 e 70. Nós temos a nossa forma de abordar esses estilos, é algo que eu só consigo fazer com essas pessoas [Red Hot Chili Peppers]. Como o que o jeito que o Flea toca baixo faz com que mude a minha forma de tocar guitarra, isso é o que me faz querer tocar guitarra. Eu não me interessaria muito se não fosse pelo Flea.

Quando eu componho um conjunto de progressão de acordes, eu consigo ouvir como ele toca baixo em cima disso. Ele tem uma forma específica de tocar algo que foi composto e está lá escrito mas ao mesmo tempo é improvisada e muito divertida de ouvir nos ensaios. Eu acho que eu nunca encontraria isso em outro baixista, e os nossos estilos nasceram para se complementar.

É uma das coisas que parece que caiu do céu e eu provavelmente não poderia esperar que isso acontecesse com qualquer outro baixista. Então é isso, todas essas coisas contribuíram para a minha decisão de aceitar a oferta de tocar na banda.

Você pode ouvir o episódio na íntegra, em inglês, clicando aqui.

LEIA TAMBÉM: John Frusciante ensina Funk em aula de guitarra no YouTube

LIVES DO FIM DE SEMANA: Beastie Boys, Dave Matthews, Elza Soares e mais

Jack White por Kris Krüg (Flickr)
Foto: Kris Krüg (Flickr)

Chegou o último final de semana de Setembro e já estamos todos nos preparando para brincar com Billie Joe Armstrong, do Green Day, e seu hino “Wake Me Up When September Ends”.

Antes disso, porém, há uma programação intensa de lives ainda no Sábado e no Domingo, dias 26 e 27 de Setembro, e nós separamos transmissões de shows nacionais e internacionais para você dar uma olhada logo abaixo.

Divirta-se!

26 de Setembro (sábado)

Virtual ROO-ALITY: A edição online do aclamado festival Bonnaroo acontece entre os dias 24 e 26 de Setembro, sempre com início às 18h30 e transmissão pelo YouTube. Por lá, serão exibidos shows de arquivo de nomes como Jack WhiteBeastie Boys (a última performance do grupo), Alabama ShakesJames BrownMetallicaMy Morning JacketNile Rodgers & ChicRun the JewelsTears for FearsThe White Stripes, The xx e mais. Ainda haverá participação ao vivo de nomes como Hayley Williams, Bruce HornsbyCharli XCXChromeoDavid LynchDenzel CurryLaura Jane Grace  e muito mais.

Há possibilidade incríveis como, por exemplo, ver o último show da história do Beastie Boys, disponível apenas até o final do Domingo.

Gal Costa: Atendendo a pedidos dos fãs, Gal irá celebrar seu aniversário de 75 anos com uma live pra lá de especial. A transmissão será gratuita pelo canal do YouTube da TNT Brasil, a partir das 22h.

Farm Aid: Celebrando seu 35º aniversário em edição virtual, o festival terá participação de Willie NelsonNeil YoungJohn MellencampDave MatthewsChris StapletonLukas Nelson & Promise of the RealMargo PriceNathaniel RateliffBlack Pumas e muito mais. Acontece a partir das 21h no YouTubeAXS TV, e fans.com.

Pitchfork: O portal internacional irá transmitir filmagens de arquivo de festival com shows de nomes como Angel OlsenBeach HouseBig ThiefBlood OrangeCarly Rae JepsenCharli XCXDanny BrownFKA twigsGrimesJamila WoodsKamasi WashingtonLCD SoundsystemMitskiPerfume GeniusRico NastyRobynRun the JewelsSolangeWilco. Acontece no próprio site da Pitchfork, a partir das 20h.

Festival IMuNe 2020: O festival Instante da Música Negra se encerra neste sábado com shows de Elza Soares e RenegadoIMuNeMeninos de MinasFavelinha DanceMC Dellacroix e uma atração surpresa. Os shows serão projetados em empenas de Belo Horizonte e transmitidos via YouTube a partir das 20h.

Darkest Hour: Celebrando 25 anos de existência, a icônica banda de Metalcore melódico fará um show a partir das 20h. Os ingressos estão à venda aqui.

Luan Santana, Luísa Sonza e Giulia Be: O trio de artistas brasileiros irá se apresentar ao vivo no YouTube a partir das 20h.

Say Hi: O artista fará uma “turnê” usando o aplicativo Zoom com salas de 30 a 50 pessoas por vez e isso terá início às 20h. Compre os ingressos aqui.

27 de Setembro (domingo)

Richard ThompsonO músico apresentará canções do Fairport Convention dos anos 60 e 70 em uma live paga. Os ingressos podem ser comprados por aqui.

Bowl Hashanah: Em celebração a datas especiais do judaismo, bandas relacionadas à religião irão se apresentar na festa virtual. Nomes como Brian Chase (Yeah Yeah Yeahs), Alex Bleeker (Real Estate) e Eric Slick (Dr. Dog) estarão por lá durante os três dias de evento, sempre com início às 20h30 e transmissão por este link.

Say Hi: O artista fará uma “turnê” usando o aplicativo Zoom com salas de 30 a 50 pessoas por vez e isso terá início às 20h. Compre os ingressos aqui.

Michelle Bolsonaro pode processar o Detonautas e Tico Santa Cruz se manifesta

Tico Santa Cruz e Micheque
Foto de Tico Santa Cruz: Marta Ayora / TMDQA!

Há alguns dias a banda brasileira Detonautas lançou uma nova música chamada “Micheque”.

Na canção, o vocalista Tico Santa Cruz entoa uma letra bastante direta a respeito do chamado “caso Queiroz”, questionando valores repassados pelo ex-assessor da família Bolsonaro à primeira-dama.

Além disso, a música ainda fala sobre os outros membros do “clã”, como os filhos do atual presidente da república, Jair Bolsonaro, citando apelidos de Eduardo e Flávio Bolsonaro.

Processo Contra o Detonautas

Uma matéria foi publicada ontem (25) pela revista Veja dizendo que Michelle Bolsonaro deve “partir para o ataque” em relação a diversas pessoas que questionaram os depósitos em sua conta.

Segundo a reportagem, seus advogados teriam provas de crimes como injúria e difamação, inclusive na música do Detonautas, e estariam armando processos na justiça para os próximos dias:

Antes silenciosa, Michelle, desta vez, se prepara para uma guerra que pretende travar contra seus detratores virtuais. Assessores da família presidencial têm passado um pente-fino nas redes sociais montando um enorme acervo com todos os ataques que a primeira-dama sofreu nas últimas semanas. A ideia é gerar uma onda de processos. Até uma banda de rock está na mira.

Resposta de Tico Santa Cruz

Em sua conta oficial no Twitter, o vocalista falou a respeito do caso em mais de uma mensagem, dizendo coisas como “Não se pode mais cantar uma música que faz um questionamento?“:

Hoje a Veja publicou uma matéria dizendo que Michele Bolsonaro estuda processar o Detonautas por conta da canção ‘Micheque’ – seria isso uma tentativa de CENSURA?

Além disso, falou que os seguidores da família Bolsonaro não deveriam questioná-lo, mas sim a primeira-dama:

Pessoas, não adianta vocês que seguem e gostam do Bolsonaro ficarem putos comigo! Vocês deveriam cobrar do presidente que esclareça esse episódio, para dar um fim ao assunto. Assim não precisam ficar nessa posição constrangedora. Só fiz uma pergunta. Respondeu, acabou.

Por fim, agradeceu o apoio de seus seguidores:

Agradeço o apoio de todos. Seguiremos fazendo músicas e representando o desejo legítimo de manifestação da liberdade de expressão. Deixo claro, nunca será através de injúria, calúnia ou difamação!

 

Letra de “Micheque”

Logo abaixo você pode ver a letra da música do Detonautas, cujo lyric video já chegou a quase 800 mil visualizações no YouTube.

Hey Michelle, conta aqui pra nós
A grana que entrou na sua conta é do Queiroz?
Hey capitão, como isso aconteceu?
Levante a mão pro alto e agradeça muito a Deus
Zero 1 é Willy Wonka
Zero 2 é Bananinha
Zero 3 Tonho da Lua, que comanda a turminha
Passa o dia conspirando, arrumando confusão…
Mas é tudo gente boa, gente de bom coração, então…
Hey Michelle, conta aqui pra nós
A grana que entrou na sua conta é do Queiroz?
Hey capitão, como isso aconteceu?
Levante a mão pro alto e agradeça muito a Deus!
Se liga rapá, quem tu tá pensando que enganou?
Agora vem cá e mostra tudo que você pregou
Porque eu sei lá, quando a gente passa alguém pra trás e fica impunemente sempre se arriscando mais!
O risco é maior e a ganância toma tudo então, e quanto mais tem mais se sente o dono da situação
Só que comigo não, nunca me enganou
Então responde logo como que essa grana aí entrou
Hey Michelle, conta aqui pra nós
A grana que entrou na sua conta é do Queiroz?
Hey capitão, como isso aconteceu?
Levanta a mão pro alto e agradeça muito a Deus
Hey Michelle, conta aqui pra nós
A grana que entrou na sua conta é do Queiroz?
Hey capitão, como isso aconteceu?
Levante a mão pro alto e agradeça muito a Deus

Você pode assistir ao vídeo oficial da canção clicando aqui.

LIVE: Gal Costa celebra seus 75 anos com primeira transmissão na Internet; assista

Hoje, dia 26 de Setembro, a incrível Gal Costa está completando os seus 75 anos de idade.

Seguindo passos de colegas como Caetano Veloso, a artista resolveu fazer uma festa em grande estilo com a primeira live da carreira, a ser realizada a partir das 22 horas deste sábado.

A live da Gal Costa irá passar na TV, mais precisamente no canal TNT, mas você também pode ver pelo YouTube no player do início desse post, inclusive.

Live da Gal Costa

A icônica artista baiana contou, em entrevista ao Estadão, que a mobilização dos fãs teve um papel importantíssimo para a decisão de fazer uma live no aniversário.

Segundo ela, nomes como Gilberto Gil e Fafá de Belém a inspiraram:

Muita gente tem feito [live].

Eu vi a do Gil, do Caetano, da Fafá de Belém, vi algumas, e acho que é bem legal fazer. Então, para mim, não é difícil. Não tenho que estar no palco para cantar. Sei que também é uma oportunidade que você tem de levar às pessoas um pouco de música.

Na verdade, é um grande alento para elas. Música é um bálsamo para a alma: não só para quem faz, como eu, como também é para as pessoas que ouvem, que gostam. Para mim, é mais do que importante fazer essa live. E é uma nova maneira de se comunicar com o público num momento difícil como este.

Agora que você já sabe como assistir à live da Gal, não perca por nada!

Lançamentos nacionais: Illy, Flying Chair, Malu & Andro, nana e Gabriel Feijão

Illy
Crédito: Julia Pavin

A cantora baiana Illy lançou no YouTube o clipe para sua versão de “Desafio”, sucesso gravado por Belo em 2000 no álbum de mesmo nome.

A canção é uma das músicas mais marcantes do show Voo Longe, que a artista realizou antes da paralisação das atividades na área do entretenimento por conta da Covid-19. Por causa da quarentena, o vídeo, dirigido por Maria de la Gala, foi filmado em casa.

“É uma faixa que tem a cara do meu som. Uma onda bem Bahia com uma sonoridade bem Rio de Janeiro,” comenta Illy sobre a regravação que mistura o pop com o samba reggae e o samba carioca.

“Cantar Belo é uma responsabilidade muito grande. Ele é um dos maiores intérpretes populares do país. Canta muito e faz parte da memória afetiva de muita gente, inclusive a minha. Botei essa música no repertório a pedido do meu irmão e desde a primeira vez que cantei no show o público enlouqueceu. O poder do samba, né? Ele mexe com a gente de uma forma muito especial,” completa ela, que em Abril lançou o álbum Te Adorando pelo Avesso, baseado no repertório de Elis Regina.

Este ano, Illy também participou do disco Onze inéditas de Adoniran Barbosa.

Flying Chair

Flying Chair
foto: Thiago Almeida

A banda Flying Chair liberou nas plataformas digitais a música “Toda Cor”, sucesso dos Titãs gravado em 1984. O projeto é liderado pelo ex-integrante e um dos fundadores do grupo veterano Ciro Pessoa, falecido em Maio passado.

Nas gravações, o saudoso músico, que divide os vocais com o amigo Fernando Ceah, da banda Vento Motivo, foi acompanhado por Chico Marques (guitarra), Cláudio Costa (guitarra solo), Icaro Scagliusi (baixo) e Ricardo Topfer (bateria).

“Toda Cor” faz parte da trilha sonora do documentário Quem É Ciro Pessoa?, dirigido por Wladimir Cruz e que deve ser lançado pela Blue Screen Of Death Filmes até o final do ano em diversas cidades.

O álbum completo da Flying Chair vai sair no dia 30 de outubro pela Curumim Records.

Malu & Andro

Malu & Andro
foto: divulgação

O músico Andro Baudelaire se juntou a Malu Guedelha, ex-integrante da banda O Cinza, para lançar o projeto Malu & Andro.

Recentemente, os dois divulgaram o clipe da canção “Não, Amor”, que marca a estreia da parceria e foi dirigido pelo próprio Andro. A música foi escrita por Malu e vai estar no EP que leva o nome da dupla.

Com previsão de lançamento para Setembro, o compacto é assinado pelo selo Urtiga e foi gravado em meio à pandemia do coronavírus, com os vocais da cantora captados pelo celular, à distância.

nana

nana
foto: divulgação

A cantora e compositora baiana nana liberou nas plataformas de streaming o clipe feito para a canção “Independência ou Morte”, que integra o disco CMG-NGM-PDE, de 2017.

Com direção de Agnes Cajaiba, o vídeo foi filmado no sertão da Bahia, mais especificamente Salgadalia, distrito de Conceição do Coité, a partir do direcionamento artístico e montagem da artista visual Clarice Maxado.

nana estreou em 2013 com o álbum pequenas margaridas e também tem no currículo o EP berli(m)possível, lançado em 2015 pelo selo Novomundo.

Gabriel Feijão

Gabriel Feijão
foto: divulgação

O cantor, compositor e instrumentista carioca Gabriel Feijão divulgou o clipe da música “Pistas”, produzido em parceria com a Znit Produtora.

O vídeo, que traz a performance de Cleiton Sobreira, foi roteirizado pelo próprio artista junto com Tathiana Braz e e Marcela Brasil.

“‘Pistas’ é um grito de socorro e ao mesmo tempo, um suspiro de alívio. A música conta a história de um cara que estava cansado de viver como um robô, num loop de trabalho-casa-trabalho-casa. Na mesma época que comecei a trabalhar nessa música, fui diagnosticado com transtorno de ansiedade generalizada, e parecia que quanto mais o tempo passava, mais a letra fazia sentido,” revela Gabriel, que está prestes a lançar seu EP de estreia solo.

SIM São Paulo: inscreva sua banda para uma chance nos showcases oficiais

Sim São Paulo: inscrições para a edição 2020 se encerram nesta semana
Foto: Reprodução

A Semana Internacional de Música de São Paulo, também conhecida como SIM São Paulo e maior feira dedicada aos negócios da música na América Latina, está com inscrições abertas mas é melhor se apressar para não perder os prazos.

Os showcases oficiais são uma importante vitrine para artistas de diversos estilos musicais mostrarem seu trabalho aos principais agentes da indústria global. Os interessados em participar tem até domingo, dia 27, para se inscrever através do site do evento.

Os 40 selecionados se apresentam entre os dias 2 e 5 de dezembro, dentro da programação do evento transmitida pelo portal da SIM.

Considerando a pandemia, a edição deste ano será online. Cada artista poderá ser transmitir seu show diretamente de sua cidade ou em estúdio montado pela SIM São Paulo durante o evento na capital paulista, sempre seguindo com os protocolos de segurança de cada local. Os selecionados serão anunciados em 12 de Outubro.

Vale ressaltar que além dos showcases, o evento ainda conta com 70 painéis, entre palestras, debates, workshops e meetups com convidados de diversos países.

Lançamentos nacionais: Sr. Apache, Ga Setúbal, Lara Thomaz, Roger Deff e Filmes de Baixo Custo

Sr. Apache
Crédito: divulgação

A Sr. Apache lançou no YouTube o clipe feito para a faixa “High”, distribuída através do selo latino-americano Kind Music.

O vídeo foi realizado inteiramente em animação e nele os integrantes são transportados para um universo nos moldes cartoon psicodélico, visual que busca transmitir a sensação ao escutar a música.

Formada por Arthur Covales, Caio Bataglia, Gabriel Poiani e Lucas Henrique, a banda estreou em 2018 com o EP Furta-Cor, sucedido pelo single “Noites”, lançado no ano seguinte.

Também em 2019, o grupo apresentou as canções “Noventaenove”, “Tentei Te Esquecer” e “Rosé”, que integram o EP Corpo Mente Transe (2020).

Ga Setúbal

Ga Setúbal
foto: reprodução

O músico paulista Ga Setúbal, em parceria com a cantora Luiza Lian, disponibilizou o lyric video para a faixa “Volúpia Pura”.

O material foi dirigido por Lufe Bollini e traz uma estética que mistura diferentes tipos de cenas eróticas a partir de uma cinematografia mais alternativa, que inclui produções italianas, japonesas, filmes raros e cults.

“Por ser uma música que fala precisamente do prazer sensitivo, do desejo causado pelas formas, beleza e imagem, a ideia do vídeo foi compilar imagens de filmes que tivessem esse caráter magnético e atraente. Nas escolhas de imagens do Lufe Bollini estão presentes a beleza, a sensualidade e os gestos que nos captam, que dão ‘água na boca’. No Fim, tudo na música se resume a isso: Água na boca…,” afirma Ga, ex-integrante da banda Pitanga em Pé de Amora.

O lançamento dá sequência à série de singles que vão fazer parte do primeiro álbum solo de Setúbal, ainda sem título revelado.

Lara Thomaz

Lara Thomaz
foto: Karoline Leal

A cantora e compositora Lara Thomaz divulgou o clipe da música “Paciência”, o primeiro de sua carreira.

No vídeo, produzido durante o isolamento social pela artista junto com a fotógrafa Karoline Leal, Lara se desnuda para pedir por liberdade e refletir sobre a impaciência diante de regras e protocolos.

“O medo e a imposição não são de agora. Desde sempre, as mulheres e outros grupos sociais foram ‘colocados na caixinha’ em um lugar de silenciamento. Nós vivemos em uma sociedade repleta de relacionamentos abusivos, de opressão religiosa. O que precisamos é de liberdade plena. De corpo e mente,” opina Lara, que faz um desabafo em forma de canção.

A artista, que participa do coletivo Vagão Delas, fomentando a participação feminina na cena artística, estreou em 2019 com o single “Sem Mim”.

Roger Deff

Roger Deff
foto: Flávio Charchar

O rapper Roger Deff, ex-integrante da banda Julgamento, liberou recentemente o clipe para a faixa “Ladeira”, em que homenageia a ancestralidade e as origens da população preta.

Gravado no ano passado, ou seja, antes da pandemia da Covia-19, o vídeo foi dirigido por Israel Oliveira e apresenta cenas registradas no bairro Jardim Alvorada, na periferia de Belo Horizonte, onde Deff morou da infância até boa parte da vida adulta.

Nas imagens, aparecem as participações dos familiares do músico e também o artista mineiro Luciano “Cuíca Play” Andrei. A música foi composta em parceria com Flávio Renegado e faz parte do álbum Etnografia Suburbana, lançado em 2019.

Filmes de Baixo Custo

Filmes de Baixo Custo
foto: reprodução

O primeiro EP do projeto Filmes de Baixo Custo, cinema fechado 1: a fuga, foi disponibilizado no YouTube, com capas animadas para cada música. A composição e captação do trabalho foram realizadas pela dupla Felipe Quadros e Johnny Oliveira.

Através de músicas instrumentais que misturam a estética lo-fi com elementos mais orgânicos, o projeto desenvolve uma narrativa focada em um personagem que decide viajar e esquecer do trabalho, mas seu destino se revela uma praia assolada por um desastre natural.

The Smashing Pumpkins lança duas músicas inéditas de seu novo álbum; ouça

Capa do álbum
Foto: Divulgação

A aclamada banda norte-americana The Smashing Pumpkins lançou duas novas músicas.

São elas “Confessions Of A Dopamine Addict” e “Wrath”, sendo que as duas estarão no próximo disco de estúdio da banda, CYR, com data de lançamento marcada para o dia 27 de Novembro.

Você pode ouvir as duas novas dos Pumpkins na sua plataforma de streaming favorita e/ou logo abaixo.

Comemorações do Smashing Pumpkins

Vale lembrar que a banda está celebrando os 25 anos do clássico álbum duplo Mellon Collie and the Infinite Sadness com uma linha de roupas incrível que, infelizmente, já esgotou.

 

Neto viraliza ao desabafar sobre Flamengo, futebol e Bolsonaro

Neto desabafa sobre Flamengo, COVID-19, Futebol e Bolsonaro

No meio da pandemia do novo Coronavírus, o futebol brasileiro está rolando a todo vapor com rodadas do Campeonato Brasileiro onde os times estão viajando por longas distâncias até os estádios de seus adversários.

Na América do Sul, o torneio continental Libertadores da América também está acontecendo normalmente e, é claro, isso tem as suas consequências.

Nos últimos dias, boa parte do elenco do Flamengo foi atingida pela COVID-19 e agora o time está tendo problemas para escalar atletas em uma partida contra o Palmeiras, de São Paulo.

Flamengo e o Coronavírus

Acontece que o clube do Rio de Janeiro foi um dos que mais fez pressão pelo retorno do futebol o mais cedo possível e, inclusive, teria se vangloriado pela forma como havia definido um protocolo de testes e isolamento em relação à COVID-19.

Tudo isso ainda se soma ao fato de que os dirigentes do Flamengo foram até Brasília para realizar reuniões com o atual presidente da república, Jair Bolsonaro, pedindo para que o futebol voltasse e também que a polêmica Medida Provisória 984/2020 fosse aprovada, mudando a forma como os direitos de partidas são negociados no país.

Pois o ex-jogador do Corinthians e atual apresentador/comentarista esportivo Neto resolveu falar sobre tudo isso de uma vez só em seu programa, Os Donos da Bola.

Por lá, ele destacou principalmente o fato de que o Flamengo fez pressão pelo retorno e agora, quando foi atingido, quer adiar partidas.

Além disso, ainda coloca luz na hipocrisia de federações e dirigentes que não lutaram pelo adiamento quando clubes menores como Goiás e CSA foram acometidos pela COVID-19 e tiveram que jogar mesmo assim.

Um vídeo viralizou nas últimas horas com o desabafo do “Craque Neto”, e você pode ver tudo logo abaixo, inclusive o trecho em que o ex-camisa 10 diz que Bolsonaro, palmeirense, vestiu uma “camisa falsa” do Flamengo:

Veste a original, né? Pelo menos isso, né? Pra pagar imposto, pra fazer as coisas certo pra quem vende a camisa, né?

Fast Forward recebe Coquetel Molotv e Casa:Link para debater estrutura e futuro de eventos online e presenciais

Fast Forward e Coquetel Molotov
Reprodução / arquivo pessoal

Por Natalia Salvador

Por conta do isolamento social provocado pelo novo coronavírus, o setor de eventos, de maneira geral, sofreu e continua sofrendo grandes impactos econômicos. Ao se depararem com o cancelamento de suas atividades os profissionais da área precisaram se reinventar e buscar alternativas. Para entender um pouco mais dessa realidade atual, o podcast Fast Forward recebeu os idealizadores do festival Coquetel Molotov e do espaço cultural Casa:Link para debater novos formatos e as expectativas para o futuro. Saiba mais!

No bate papo, Ana Garcia, criadora do Coquetel Molotov, contou como foi o processo de pesquisa para o desenvolvimento da edição online do festival. Para ela, o mais importante antes de pensar em qualquer formato era passar por diferentes experiências e proporcionar vivências especiais para seu público. Depois do sucesso da primeira edição reformulada, Ana afirma que é preciso ser criativa todos os dias. “Vão ser liberados eventos para grupos pequenos? As pessoas vão preferir se reunir em casa para curtir um festival juntos?”, mencionou.

Isolamento social estimula criação de diferentes propostas para entretenimento

Já Ricardo Rodrigues, criador da agência Let’s Gig e do espaço cultural virtual Casa:Link, sentiu a necessidade de criar suas próprias possibilidades. Para artistas de médio e pequeno porte as oportunidades de lives patrocinadas estavam voltadas aos grandes artistas. Pensando nisso, surgiu a Casa:Link, uma identidade que traz para o digital a lógica de comunidade e pertencimento tão presentes nesse tipo de eventos quando presenciais.

O podcast Fast Forward discute temas do mercado da música semanalmente e é uma parceria entre Milk, Musica Copyright & Tecnologia, U.Got Studios e Tenho Mais Discos Que Amigos.

A conversa completa sobre o momento atual do segmento de shows e eventos você confere no player abaixo:

35 discos que você deveria ter ouvido em Setembro

35 discos para ouvir em Setembro

Promessa é dívida aqui no TMDQA! e, depois de um tempinho ausente, a nossa lista mensal de lançamentos nacionais e internacionais está de volta para ficar.

Sempre ao final do mês, iremos trazer as nossas seleções entre tantos lançamentos de discos importantes, ainda mais em um 2020 no qual a arte é uma das poucas coisas que nos resta.

Pois estamos chegando ao fim do mês de Setembro e, com todos os problemas que vêm se acumulando no mundo, pelo menos temos uma seleção incrível de discos para tornar a vida um pouco mais agradável.

Separamos uma lista com 35 novos álbuns que passeiam por títulos nacionais e internacionais, indo desde nomes consagrados como Deftones Fleet Foxes lançando trabalhos muito aguardados até boas revelações da nova geração, como a dupla brasileira Hot e Oreia.

Divirta-se e aproveite também para começar a acompanhar o Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!.

Por lá, toda sexta-feira, falamos sobre os assuntos mais comentados da semana e os principais lançamentos do dia!

Por Felipe Ernani e Tony Aiex

A. G. Cook – Apple

A. G. Cook - "Apple"

Fundador da PC Music — literalmente, pelo menos no que diz respeito à gravadora —, A. G. Cook lançou seu segundo disco de estúdio e o segundo de 2020. Apple alterna entre momentos bem mais próximos do eletrônico e outros em que a sonoridade acústica predomina, e mostra um equilíbrio bem interessante.

Alicia Keys – ALICIA

Alicia Keys - "ALICIA"

Sempre genial, Alicia Keys não decepcionou nem um pouco com o novo disco ALICIA. “Underdog” já entra certamente para o rol de clássicos da cantora, e o disco ainda tem outros grandes momentos como “Show Me Love”, parceria com Miguel, e a poderosa “Love Looks Better”. Em geral, é o que se esperaria: a mistura perfeita de R&B, Soul e Pop que consagrou Alicia há tanto tempo.

Big Sean – Detroit 2

Big Sean - "Detroit 2"

Detroit 2 colocou Big Sean para dominar as paradas mundiais, então só por isso já seria injusto deixá-lo fora dessa lista. Mais do que isso, no entanto, o disco é um dos grandes trabalhos do Rap em 2020 e se consagra pela capacidade de conciliar sons modernos e clássicos, como fica claro em “Guard Your Heart” e “Lithuania”.

BK’ – O Líder em Movimento

BK' - "O Líder em Movimento"

Sem dúvidas um dos discos mais aguardados do ano, O Líder em Movimento cumpre toda a promessa que BK’ fez sobre o trabalho. Épico, poderoso, forte e, claro, cheio de batidas sensacionais, o novo disco mostra que o rapper carioca é realmente referência no gênero e melhora a cada álbum.

Bob Mould – Blue Hearts\

Bob Mould - "Blue Hearts"

Lenda do Punk e famoso guitarrista e vocalista do Hüsker DüBob Mould mostra que quem é rei nunca perde a majestade mesmo em seu ótimo novo disco Blue Hearts. Com forte pegada do gênero que o consagrou mas se aproximando um pouco da sonoridade mais radiofônica do Rock Alternativo, Mould pode estar em um segundo auge tardio!

Cynthia Luz – Não É Só Isso

Cynthia Luz - "Não É Só Isso"

Com participações de grandes nomes como Tassia Reis FroidNão É Só Isso mostra tudo que Cynthia Luz tem a oferecer de melhor: batidas envolventes, uma voz poderosa e um instrumental que parece cada vez mais qualificado. Sem dúvidas uma das artistas para ficar bem de olho agora e no futuro!

Declan McKenna – Zeros

Declan McKenna - "Zeros"

Dono do hit “Brazil”, Declan McKenna está de volta com o disco Zeros e expande a sua sonoridade Indie Pop para incluir mais elementos modernos, soando um pouco mais atualizado e pronto para tocar em grandes arenas do que em seus trabalhos anteriores. Ainda assim, o cara disponibilizou versões mais cruas de algumas canções para quem prefere dessa forma.

Deftones – Ohms

Deftones - "Ohms"

O aguardadíssimo nono disco de estúdio dos Deftones é uma introdução perfeita para quem quer conhecer a banda agora, e um verdadeiro presente aos fãs de longa data. A reunião da banda com Terry Date deu certo demais e, se Gore dividiu opiniões, Ohms não deixou muito espaço para críticas.

Everything Everything – RE-ANIMATOR

Everything Everything - "RE-ANIMATOR"

O Indie dançante do Everything Everything está de volta com tudo em RE-ANIMATOR. Liderado pelo single “Violent Sun”, o grupo se prende ao que sabe fazer bem e oferece um novo “cardápio” aos fãs que estavam há 3 anos no aguardo do sucessor de A Fever Dream.

The Flaming Lips – American Head

The Flaming Lips - "American Head"

Sem deixar o experimentalismo de lado, o The Flaming Lips abraça uma sonoridade mais agradável em um de seus melhores discos da carreira, certamente um dos mais fáceis de digerir também. American Head conta ainda com a participação da ótima Kacey Musgraves em “God and the Policeman”.

Fleet Foxes – Shore

Capa do álbum Shore, do Fleet Foxes

Com participação de Tim Bernardes na faixa “Going-to-the-Sun Road”, o novo disco do Fleet Foxes chegou para trazer paz aos fãs em meio às loucuras do mundo. Shore é belíssimo do começo ao fim e faz jus ao nome, te transportando de fato para a beira do mar e abraçando as influências de brasileiros como João Gilberto Tim Maia.

FLETCHER – The S(ex) Tapes

FLETCHER - The S(ex) Tapes

Dona de sucessos como “Undrunk” e “All Love”, FLETCHER voltou melhor do que nunca no sensual The S(ex) Tapes. Seja por meio de sua belíssima voz ou das batidas que reforçam a intenção sexy do álbum, o trabalho se destaca por não se acanhar nem um pouco em tratar do amor de uma forma bem visceral.

The Hives – Live at Third Man Records

The Hives - "Live at Third Man Records"

Se você já teve a sorte de ver o The Hives ao vivo, sabe que a banda está entre as melhores do mundo nesse formato. Pela primeira vez, uma gravação conseguiu realmente capturar a energia dos caras em suas apresentações e Live at Third Man Records é um ótica nova para quem já conhece as músicas da banda.

Hot e Oreia – Crianças Selvagens

Hot e Oreia - "Crianças Selvagens"

Há algum tempo a dupla Hot e Oreia vem se estabelecendo como um dos destaques da recheadíssima cena do Rap nacional. Crianças Selvagens faz com que os mineiros ganhem ainda mais respeito ao unir letras incríveis, batidas envolventes e flows sensacionais. Tudo isso com ótimo uso dos samples e das participações especiais!

Hurts – Faith

Hurts - "Faith"

A belíssima “All I Have to Give” é um clássico instantâneo e Faith é um daqueles discos que une emoção, poder e muito potencial Pop. É daqueles que você precisa ouvir bem alto e se preparar para sentir de tudo um pouco!

IDLES – ULTRA MONO

IDLES - "ULTRA MONO"

Em meio a polêmicas, o IDLES entrega um trabalho que, ao menos musicalmente, representa o que eles sempre propuseram: muitas críticas, mensagens fortes e uma pegada visceral que remete fortemente ao Punk. ULTRA MONO provavelmente vai dividir opiniões, mas vale ouvir para decidir qual é a sua.

Knuckle Puck – 20/20

Knuckle Puck - "20/20"

Fiel ao Pop Punk, o Knuckle Puck volta a mostrar que é um dos poucos grandes nomes restantes na cena com o novo disco 20/20. Sucessos como “Earthquake” e a faixa-título te transportam direto para a década passada, e pode ser um belo conforto para quem está se esforçando para passar por esse ano tão difícil (e quem não está?).

Lil Peep – HELLBOY

Lil Peep - "HELLBOY"

Pioneiro do Emo Trap, o saudoso Lil Peep ganha um álbum póstumo de respeito com o ótimo HELLBOY e traz até sample de Avenged Sevenfold. O trabalho serve para nos mostrar mais uma vez que ele poderia estar contribuindo com muita coisa boa à música se ainda estivesse vivo. Baita disco, mas deixa um gosto amargo pela situação que o envolve.

Lydia Loveless – Daughter

Lydia Loveless - "Daughter"

“Wringer” é uma das músicas do ano com seu ritmo dançante e destacando a voz poderosa de Lydia Loveless, que vai se mostrando uma das mais belas da última década. Somando-se a isso outras boas faixas como “Love Is Not Enough” e “September”, parceria com a icônica Laura Jane Grace, o disco Daughter rapidamente se transforma em presença obrigatória nessa lista.

Machine Gun Kelly – Tickets to My Downfall

Machine Gun Kelly - "Tickets to My Downfall"

Mais conhecido como uma figura do Rap ou do Pop, Machine Gun Kelly não teve medo de apostar para o ótimo Tickets to My Downfall. Com produção de Travis Barker e forte pegada Pop Punk, o disco estabelece MGK como uma figura de referência para aproximar a nova geração de um gênero que vem ressurgido depois de um período sem tanta popularidade e se destaca por trazer uma sonoridade atualizada, com elementos das outras vertentes musicais do artista.

Marcelo D2 – Assim tocam os MEUS TAMBORES

Marcelo D2 - "Assim tocam os MEUS TAMBORES"

Único da lista a ainda não ter sido disponibilizado, Assim tocam os MEUS TAMBORES é mais um trabalho pioneiro de Marcelo D2, que o escreveu integralmente durante suas transmissões ao vivo na Twitch.

Chega no dia 26 de Setembro, sábado, e não podemos deixar de ouvir!

Marilyn Manson – WE ARE CHAOS

Marilyn Manson - We Are Chaos

Apesar de manter a mesma estética dark de sempre, Marilyn Manson voltou um pouco mais “digerível” em WE ARE CHAOS. Substituindo o peso por uma pegada mais Rock clássico, o novo disco mostra um lado interessante do polêmico artista e talvez seja uma direção explorada mais vezes no futuro.

Matuê – Máquina do Tempo

Matuê - "Máquina do Tempo"

Com direito a sample de Charlie Brown Jr. e mostrando que seu talento vai além do Rap, o aguardado disco de estreia de Matuê correspondeu às expectativas e vem fazendo muito barulho na cena brasileira. Nem todos curtem o trabalho do cara, é verdade, mas vale a pena dar uma chance se você não conhece.

MAX – Colour Vision

MAX - "Colour Vision"

MAX é um nome pra ficar (bem) de olho dessa nova geração do Pop, e em Colour Vision ele mostra que já deixou de ser promessa e é realidade. Os sucessos bombásticos de “Love Me Less”, parceria com Quinn XCII e de “Blueberry Eyes”, parceria com SUGA (BTS) são provas disso.

The Menzingers – From Exile

The Menzingers - "From Exile"

Diretamente de seu “exílio”, o The Menzingers gravou versões mais intimistas de suas músicas e compilou tudo no álbum From Exile, que se tornou um daqueles discos que você ouve do começo ao fim sem nem perceber.

Movements – No Goods Left to Give

Movements - "No Good Left to Give"

Conhecido por suas belas e emotivas canções que acumulam influências do Emo, do Rock Alternativo e até do Metalcore, o Movements entrega exatamente isso no novo disco No Goods Left to Give. Prato cheio pra quem curte!

Napalm Death – Throes of Joy in Jaws of Defeatism

Napalm Death - "Throes of Joy in the Jaws of Defeatism"

Com letras cheias de mensagens fortes e uma sonoridade absolutamente renovada, o Napalm Death volta a mostrar o porquê de ser considerada uma das melhores bandas de Metal da história. Throes of Joy in Jaws of Defeatism é um dos melhores discos pesados de 2020 sem dúvida alguma, e entra instantaneamente para a seleção de clássicos da banda.

Public Enemy – What You Gonna Do When the Grid Goes Down?

Public Enemy

“Fight the Power”, clássico do Public Enemy, nunca esteve mais atual. Literalmente: a versão 2020 da faixa é um dos grandes destaques do novo What You Gonna Do When the Grid Goes Down?, que ainda inclui ótimas novidades como “Public Enemy Number Won” com participação dos Beastie Boys e “State of the Union (STFU)”, parceria com o DJ Premier. Um dos discos mais necessários do ano!

RADWIMPS – 夏のせい

RADWIMPS - "夏のせい"

Se você já assistiu ao aclamado filme de animação Your Name, já deve estar familiarizado (talvez mesmo sem saber) com os japoneses do RADWIMPS. Em seu novo EP, primeiro lançamento desde 2018, os caras voltam a explorar a sonoridade que transita entre o Rock alternativo e o Soft Rock, sempre com bom uso de elementos orquestrais e eletrônicos. Vale a pena conferir — tem até versão do single principal em inglês (“Blame Summer”) para quem sente muito a diferença linguística.

Sad13 – Haunted Painting

Sad13 - "Haunted Painting"

Depois de uma boa estreia com Slugger em 2016, demorou mas Sadie Dupuis (Speedy Ortiz) voltou com seu projeto solo Sad13. O novo disco de estúdio Haunted Painting traz o que se esperaria da frontwoman, mas isso está longe de ser ruim — depois de 4 anos, é ótimo refrescar o repertório de suas canções.

Sufjan Stevens – The Ascension

Sufjan Stevens - "The Ascension"

Com uma mescla perfeita entre melancolia e misticismo, Sufjan Stevens voltou com tudo em The Ascension. Recheado de elementos eletrônicos mas sem perder a proximidade com o Folk, o trabalho entra para a seleção dos melhores do músico e é um dos grandes de 2020.

Thurston Moore – By the Fire

Thurston Moore - "By the Fire"

É claro que o trabalho solo de Thurston Moore remete muito ao Sonic Youth, mas By the Fire entra em uma nova categoria por trazer uma versão verdadeiramente confortável do músico em sua carreira solo através de canções como a épica “Siren”, além da pancada “Cantaloupe”. Vale muito a pena ouvir.

Will Butler – Generations

Will Butler - GenerationsMulti-instrumentista conhecido pelo seu trabalho no Arcade Fire, Will Butler chega ao terceiro disco solo da carreira, o primeiro em quatro anos.

Como falou em entrevista ao TMDQA!, o norte-americano pensou nessas músicas antes mesmo da pandemia, sendo que algumas composições são de 2015 e as eleições norte-americanas, que “deixaram tudo muito estranho”, influenciaram o processo.

 

Yellow Days – A Day In A Yellow Beat

Yellow Days - A Day In A Yellow BeatO jovem músico britânico está chamando a atenção da cena alternativa por conta da sua mistura de indie, rock alternativo e música psicodélica.

Não à toa, Yellow Days convidou nomes como Mac DeMarco para o álbum, sendo que o ícone da psicodelia empresta seus tons à faixa “The Curse”.

 

YoungBoy Never Broke Again – Top

YoungBoy Never Broke Again - "Top"

Você já deve ter percebido que o Rap tem revelado alguns dos melhores talentos nos últimos anos, e hoje em dia é bem difícil traçar a linha entre esse gênero e o Pop. Isso fica ainda mais complicado quando vemos alguém como YoungBoy Never Broke Again, que com o ótimo Top se mostra absolutamente pronto para dominar as paradas mundiais.

Chadwick Boseman ganha homenagem em mural na Disney

Mural de Chadwick Boseman na Disney
Foto: Reprodução/Instagram

Um mural feito em homenagem ao ator Chadwick Boseman foi realizado pelo artista Nikkolas Smith na Disney.

Foi o próprio Smith que compartilhou a novidade em suas redes sociais, postando fotos de sua obra que mostra o ator, intérprete do personagem Pantera Negra, saudando uma criança.

O desenho tem referências tanto ao principal filme da carreira do ator, mostrando Chadwick fazendo a saudação Wakanda Forever para o menino, quanto às fotos divulgadas na internet que mostraram Boseman visitando um hospital.

No mural, o garoto aparece vestido com um traje de internação e usando a máscara do Pantera Negra.

Meu tributo ao rei Chad está agora em uma parede em exibição no Downtown Disney.

Chadwick Boseman

Na legenda de sua publicação, o artista Nikkolas Smith ainda escreveu que para milhões de crianças, T’Challa era uma lenda maior do que a vida, e que não havia ninguém mais digno de ocupar esse lugar do que Chadwick Boseman.

Estou muito grato por poder honrar a vida e o propósito de Chadwick desta forma. Sou grato à família Disney por apoiar tanto minha jornada como artista.

Chadwick Boseman faleceu no mês passado vítima de um câncer diagnosticado em 2016, mas tratado em segredo até então.

Confira abaixo as imagens do mural em homenagem a Chadwick Boseman na Disney e, a seguir, um vídeo que nós aqui do TMDQA! preparamos sobre sua vida e carreira.

View this post on Instagram

This one is special. My King Chad tribute is now on a wall on display at Downtown Disney. 🐾 It is a full circle moment for me: my final two projects as a Disney Imagineer last summer were working on the Children’s Hospital project and the Avengers Campus. To millions of kids, T'Challa was a legend larger than life, and there was no one more worthy to fill those shoes than Chadwick Boseman. I'm so thankful to be able to honor Chadwick's life and purpose in this way. I am grateful to the Disney family for being so supportive of my journey as an artist. @waltdisneyimagineering @disney @marvelstudios @disneyland 🐾✨ #LongLiveTheKing #KingChad #WakandaForever #Phambili #DowntownDisney #BlackPanther #ChadwickBoseman #RIPChadwick #WDI

A post shared by Nikkolas Smith (@nikkolas_smith) on

40 anos sem John Bonham: 5 vídeos que mostram o talento do maior baterista de todos os tempos

John Bonham

No dia 25 de Setembro de 1980, o mundo da música sofreu uma perda absolutamente irreparável: John Bonham, considerado por muitos o maior baterista de todos os tempos, nos deixou vítima de uma tragédia com o álcool.

A perda acabou sendo dupla, já que a morte do cara acabou fazendo com que o Led Zeppelin também encerrasse suas atividades, e fomos privados de ver quatro das mentes mais geniais do Rock envelhecendo juntas (em uma situação hipotética onde a banda continuaria ativa até hoje, claro).

De toda forma, em homenagem aos 40 anos dessa trágica noite, resolvemos celebrar o legado de Bonham — um dos maiores dentro do seu instrumento, do Rock e da própria música como um todo.

Separamos 5 vídeos que mostram o porquê dele ter ganhado o título do melhor de todos os tempos, tanto por suas performances ao vivo como por seu pioneirismo e por suas incríveis linhas em músicas do Led. Curta a seguir!

5A performance ao vivo de “The Ocean” no Madison Square Garden em 1973

4“When the Levee Breaks”

3Os grooves absolutamente únicos

2A faixa isolada de John Bonham gravando baterias no estúdio

1O maior solo de bateria de todos os tempos

Spin-off de The Boys, da Amazon, já começou a ser produzido, diz site

The Boys (Foto: Divulgação)

A série The Boys vai ganhar um spin-off em breve.

A produção da Amazon, que acabou de estrear sua segunda temporada, está fazendo tanto sucesso que a empresa decidiu produzir uma série derivada dela.

Segundo a Variety, o processo de desenvolvimento do novo produto está acelerado, com Craig Rosenberg escrevendo o piloto e já certo como showrunner e produtor executivo, assim como o criador de The Boys, Eric Kripke.

The Boys

A Amazon divulgou nos últimos dias que a segunda temporada da série, liberada há três semanas, teve o lançamento global mais assistido de sua história.

Além disso, os números também mostraram um aumento de 89% de audiência na primeira temporada. Vale ressaltar, inclusive, que a terceira já foi confirmada antes mesmo da estreia dos episódios divulgados recentemente.

Assista abaixo ao trailer da segunda temporada de The Boys, série baseada na história em quadrinho de mesmo nome publicada no The New York Times:

CPM 22 irá lançar uma inédita por mês e Badauí revela sonoridade das músicas

CPM 22 na Live do João Rock
Foto por Matheus Ramos

Recentemente, o CPM 22 nos presenteou com “Escravos”, single que surpreendeu pela sonoridade mais pesada do que de costume, e não apenas no instrumental, mas também na letra, que mistura críticas aos políticos, questões sociais, fake news e outros temas.

Além disso, foi a primeira música gravada após turbulentas trocas de integrantes na banda, mostrando que o ânimo e a produtividade não foram abalados. A nova formação, tem Ali Zaher (ex-Reffer) no baixo e Daniel Siqueira (Garage Fuzz) na bateria, além do vocalista Badauí e dos guitarristas Luciano Garcia e Phil Fargnolli.

Em conversa com o Podcast TMDQA!, Badauí disse que a faixa foi composta no começo do ano, antes dos acontecimentos internos e da pandemia, quando a banda planejava lançar um EP e sair em turnê comemorativa dos 25 anos de CPM 22.

Apesar de não ser tão recente, ‘Escravos’ tem esse clima mais ‘pegado’ e atual mesmo, graças à energia dos novos integrantes. Antes da pandemia, a ideia era soltar algumas poucas inéditas e incluir numa turnê especial que começaria em maio, em Porto Alegre, e seria cheia de homenagens e músicas antigas. A gente queria inclusive tocar o Felicidade Instantânea na íntegra, porque o disco também tá comemorando 15 anos. Mas, quando veio o isolamento, eu o Luciano ficamos presos em casa e começamos a compor uma atrás da outra, saíram mais 18 músicas novas. Aí depois de tudo que rolou com a banda, e quando a pandemia deu uma acalmada, começamos a gravar cada um no seu canto.

O cantor revelou, em primeira mão, que a banda irá lançar um single novo por mês de outubro a janeiro, e antecipou o que os fãs podem esperar das canções.

A gente nunca foi muito de lançar uma música por vez, mas é uma tendência nova de consumo, então vamos fazer assim. Dessas que vão sair nos próximos meses, tem um pouco de tudo. A banda sempre levou em conta diferentes influências do punk, hardcore, emo, indie e ska. Mas tudo isso tá dentro de um contexto alternativo, de uma forma ‘visceral’ de música, e a gente sabe encaixar as coisas dentro da ‘cara’ do CPM. O que muda é só o amadurecimento, porque nos primeiros discos eu tinha 20 anos, o vocabulário muda e as experiências que você adiquire na estrada também. A que vai sair em dezembro é meio diferente de tudo, mas também tem algumas reconhecíveis de cara, como uma que eu fiz pra minha mulher, ou outra chamada ‘Ditados’ que faz uma brincadeira com frases populares que o Brasil tem.

Você pode assistir a esse trecho específico através de vídeo publicado no canal do Tenho Mais Discos Que Amigos! no YouTube.

Para ouvir o episódio completo, é só usar o player abaixo e/ou procurar pelo Podcast do Tenho Mais Discos em sua plataforma de streaming/podcasts favorita.

Rincon Sapiência faz belo remix em homenagem a Gerson King Combo no Instagram

Rincon Sapiência e Gerson King Combo
Foto de Rincon via Reprodução/Instagram

Conhecido como Rei do Soul e até comparado a James Brown, Gerson King Combo é referência musical para inúmeros artistas brasileiros, como o incrível Rincon Sapiência.

Infelizmente, nos últimos dias te contamos por aqui que o lendário e mega influente músico autor de hits como “Mandamentos Black” nos deixou aos 76 anos de idade.

O rapper e produtor da nova geração resolveu, então, fazer uma homenagem a King Combo por meio de uma espécie de remix da faixa “Swing do Rei”, parte do disco de estreia do cantor em 1977. Adicionando uma batida mais moderna e alguns sintetizadores que embelezam a faixa, a versão ficou excelente.

Mais do que isso, é uma afirmação de como a música de Gerson King Combo é atemporal e vai viver por gerações a fio. Uma pena que não houve a possibilidade desse encontro musical acontecer em vida, mas quem sabe não ganhamos uma versão cheia desse remix, hein?

Você pode curtir o vídeo do Rincon logo abaixo.

Rincon Sapiência homenageia Gerson King Combo

Pearl Jam fala sobre Breonna Taylor e reconhece privilégio branco

Pearl Jam
Foto por Danny Clinch

Mike McCready, guitarrista do Pearl Jam, assinou um comunicado importante em nome da banda sobre o caso de Breonna Taylor.

Falando sobre a decisão judicial que não indiciou os policiais que mataram a mulher de 26 anos, Mike descreveu as acusações como “escandalosas e injustas” e disse que elas “não valorizam a vida [de Breonna] e continuam a validar o sistema quebrado que não apoia aqueles que mais precisam”.

Mais ainda, o músico se mostrou compreensivo com os protestos violentos que ocasionalmente têm acontecido nos EUA. Segundo ele, “decidir qual é a forma apropriada das comunidades de cor reagirem não é o meu lugar”, uma vez que ele é uma “pessoa branca que se beneficia do racismo”.

Você pode ver a fala de McCready na íntegra a seguir, bem como o Tweet original publicado pelo PJ em sua conta oficial.

LEIA TAMBÉM: Alicia Keys, Snoop Dogg e mais reagem à decisão do caso Breonna Taylor

Pearl Jam fala sobre caso de Breonna Taylor

As acusações de Breonna Taylor são escandalosas e injustas. O perigo arbitrário faz o policial ser indiciado por balas que não atingiram Breonna Taylor, e não indicia os policiais pelas balas que tomaram a sua vida. Essas acusações não valorizam a sua vida e continuam a validar o sistema quebrado que não apoia aqueles que mais precisam, especialmente comunidades de cor.

Ainda que eu não concorde com protestos violentos, eu sou uma pessoa branca que se beneficia do racismo, e decidir qual é a forma apropriada das comunidades de cor reagirem não é o meu lugar nem o lugar de qualquer outra pessoa branca. O que eu acredito que é o meu trabalho como um homem branco é ser um aliado às comunidades de cor, trabalhar em ser antirracista, e ouvir para ajudar a efetivar mudanças para as comunidades que mais precisam.

Neil Peart (Rush) é eleito o maior músico da história do Rock Progressivo

Neil Peart recebe prêmio em 2012
Foto de Neil Peart via Shutterstock

O saudoso Neil Peart, baterista do Rush que nos deixou no comecinho deste ano, acaba de ser eleito o maior músico da história do Prog. Isso que é título, hein?

A publicação Prog Magazine promoveu uma votação com seus leitores, que incluía 250 personalidades do gênero. Entre os nomes estavam seu parceiro de banda Geddy Lee, e  David Gilmour, Rick Wakeman e Robert Fripp.

Jerry Ewing, editor da revista, declarou (via Louder Sound):

Obviamente é muito apropriado que Neil Peart tenha sido eleito o Melhor Músico Prog de todos os tempos pelos leitores da Prog, já que ele infelizmente faleceu este ano. Mas ele é visto há cinco décadas como um mestre em sua profissão e, como mostram os tributos de seus colegas nesta nova edição, este é um prêmio mais do que merecedor.

O editor ainda continua: “A enquete atraiu nosso maior número de votos de todos os tempos — mais de 80 mil -, então as pessoas levam isso muito a sério.”

Merecido mesmo, hein?

Neil Peart

O baterista faleceu no dia 7 de janeiro deste ano, após anos de uma luta silenciosa contra um câncer no cérebro. O músico enfrentou a doença por quase três anos.

LEIA TAMBÉM: Geddy Lee revela músicas mais importantes da vida e elege pior obra do Rush

Vin Diesel (!) se arrisca na música eletrônica com a tropical “Feel Like I Do”; ouça

Vin Diesel -

Olha só quem está se aventurando pelo mundo da música: famoso pelo seu trabalho como ator, Vin Diesel acaba de lançar seu primeiro single, “Feel Like I Do”.

O trabalho foi lançado pela Palm Tree Records, do produtor e DJ Kygo, e a influência de seu estilo mais tropical é bem clara na canção de Diesel ainda que ela tenha sido produzida por Peter Martin, um dos colaboradores de Kygo.

Bem good vibes e com uma mensagem positiva e cheia de amor, “Feel Like I Do” é uma estreia digna, ainda que não traga nada de absolutamente novo para a cena — além, é claro, de uma das maiores estrelas do cinema fazendo a transição para outro ramo. Será que vem uma nova carreira por aí?

De toda forma, você pode ouvir o single a seguir e conhecer um lado bem menos durão do eterno Dominic Toretto.

Vin Diesel – “Feel Like I Do”

LIVES DO DIA (25/09): Metallica, Duda Beat e Nando Reis, The xx e mais

James Hetfield com o Metallica em San Francisco (2016)

Mesmo tanto tempo após o início da pandemia, as lives continuam acontecendo com grande frequência e a importância do formato parece sempre se renovar, trazendo ao menos um pouco de entretenimento àqueles que estão respeitando a quarentena.

Para te ajudar a se manter ligado no que acontece nesse mundo, montamos uma agenda diária com alguns dos principais destaques além da nossa programação geral.

Nesta sexta-feira, o grande destaque fica por conta da edição virtual do festival Bonnaroo, com a presença de nomes como MetallicaThe xxTears for FearsDave MatthewsNathaniel Rateliff e mais. Aqui no Brasil, uma live conjunta de Duda BeatNando Reis é a atração principal.

Confira a programação completa de hoje a seguir!

LEIA TAMBÉM: Agenda de Lives: veja apresentações entre 21 e 27 de Setembro

Lives do Dia 25 de Setembro (sexta-feira)

Virtual ROO-ALITY: A edição online do aclamado festival Bonnaroo acontece entre os dias 24 e 26 de Setembro, sempre com início às 18h30 e transmissão pelo YouTube. Por lá, serão exibidos shows de arquivo de nomes como Jack WhiteBeastie Boys (a última performance do grupo), Alabama ShakesJames BrownMetallicaMy Morning JacketNile Rodgers & ChicRun the JewelsTears for FearsThe White StripesThe xx e mais. Ainda haverá participação ao vivo de nomes como Hayley WilliamsBruce HornsbyCharli XCXChromeoDavid LynchDenzel CurryLaura Jane Grace e muito mais.

Lamb of God: Com início às 18h, a aclamada banda de Metal tocará o disco Ashes of the Wake (2004) na íntegra em show com abertura do Whitechapel. Os ingressos estão à venda por aqui.

Duda Beat e Nando Reis: Unindo gerações da música brasileira, Duda e Nando se apresentam como parte do Devassa Tropical Ao Vivo a partir das 21h no YouTube.

Modern EnglishA icônica banda New Wave/Post-Punk fará um show completo do disco After the Snowque inclui a clássica canção “I Melt with You”. A performance com início às 21h30 é paga e os ingressos estão disponíveis neste link.

Slay at Home: A série mensal da Metal Injection terá participações de The Ocean & Jonas Renkse (Katatonia), Green CarnationBearPsychonautSaver Arabrot, além de covers com integrantes de MastodonAbortedDethklokCarnation e mais. Assista pelo YouTube a partir das 16h.

Blood Incantation: Belo nome da cena moderna do Metal, a banda fará uma apresentação de seu espaço de ensaio tocando o disco Hidden History of the Human Race a partir das 15h. Assista pelo YouTube.

Philly Music Fest: Com shows de Clap Your Hands Say YeahLanghorne Slim e mais, o festival inicia sua transmissão às 20h pelo seu site oficial.

Turma do Pagode: Para animar a noite de sexta-feira, a Turma faz transmissão ao vivo às 20h30 no YouTube.

Matheus & Kauan: A aclamada dupla sertaneja faz live a partir das 20h, com transmissão pelo YouTube.

Say Hi: O artista fará uma “turnê” usando o aplicativo Zoom com salas de 30 a 50 pessoas por vez e isso terá início às 20h. Compre os ingressos aqui.