The Notorious BIG
Foto: Wikimedia Commons

Um ex-segurança de Diddy na década de 1990 chamado Gene Deal deu entrevista ao Art of Dialogue e revelou que a história em torno da morte do saudoso The Notorious B.I.G. foi uma “mentira descarada”.

Em seu relato, Deal afirmou que foi pressionado sobre seu envolvimento em um dos mais notórios assassinatos da música e que nunca foi totalmente esclarecido. O homem alega ter testemunhado o crime e disse que Biggie não foi morto em um fechamento de carro, como muitos foram levados a acreditar.

Gene disse, inclusive, que é difícil para ele assistir a reencenações da morte do rapper em filmes e programas de TV, já que o assassinato é retratado de forma imprecisa:

Só dói porque eles mentem demais. Muito dessa merda é mentira do jeito que eles montaram porque eles ouviram esses meninos brancos que nem estavam lá. Eu não quero fazer isso ser sobre racismo, mas eles pegam esses meninos brancos que nem estavam lá e querem usar as histórias que eles querem contar, o que não é verdade. Não foi um fechamento de carro. O carro estava parado ali na esquina. As histórias que eles contam não são verdadeiras. E agora as pessoas estão sentadas aqui acreditando.

Assista ao depoimento de Gene Deal ao final da matéria!

Atentado a Notorious B.I.G.

Na entrevista, Gene ainda disse que sentiu que alguém morreria naquela noite de 9 de Março de 1997, que interrompeu a vida de Notorious aos 24 anos (via Complex):

Antes de sairmos da casa de Andre Harrell, Puff me disse que eu não precisava ir. Agora, eu fui porque sabia que alguém ia morrer naquela noite, alguém ia levar um tiro. Eu fiz tudo ao meu alcance para impedir que fosse Puff, e não era Puff… As pessoas que estavam protegendo Big não fizeram tudo ao seu alcance para impedir que fosse Big [a morrer] – e isso me machuca, mesmo que fosse esse o meu princípio.

Biggie foi morto a tiros naquela madrugada depois de sair de uma festa após o Soul Train Awards, quando um Chevy Impala supostamente parou ao lado do SUV do rapper e abriu fogo.

O rapper foi baleado quatro vezes e declarado morto pouco depois. Deal, na ocasião, teria corrido para ajudá-lo, o puxando para fora do veículo:

Eu não colocaria ninguém no meu lugar porque não sinto que eles possam lidar com isso. Se eu não tivesse Deus na minha vida, se não tivesse pessoas orando por mim, não sei se teria aguentado.

Veja o relato na íntegra abaixo.

LEIA TAMBÉM: Quase 30 anos após a morte de Kurt Cobain, Nirvana é reconhecido no Grammy e celebra novos fãs

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! BRASIL

Música brasileira de primeira: MPB, Indie, Rock Nacional, Rap e mais: o melhor das bandas e artistas brasileiros na Playlist TMDQA! Brasil para você ouvir e conhecer agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!