Foto por Stephanie Hahne/TMDQA!

A estreia do Knotfest Brasil é só neste domingo (18), mas a METAL WEEK da produtora 30e segue a todo vapor e o capítulo mais recente dessa semana dominada pelo som pesado no Brasil foi a passagem do Bring Me the Horizon pelo Vibra São Paulo.

Inicialmente contando com a presença também do Motionless in White, que cancelou seus shows no país por motivos de saúde, a apresentação teve abertura do Vended, banda dos filhos de Corey Taylor e Shawn Crahan, ambos integrantes do Slipknot.

Os garotos fizeram bonito, conquistando o público em diversos momentos e mostrando que podem, sim, ser o próximo grande nome do Metal. Ao mesmo tempo, ainda davam claros sinais de uma banda relativamente imatura — algo totalmente normal visto que se tratava da primeira passagem dos jovens pelo Brasil, além do fato de não terem sequer um disco cheio lançado.

Ainda assim, Griffin Taylor e companhia pareceram muito gratos pela oportunidade de última hora e definitivamente saíram de lá com alguns novos fãs na conta, além de terem feito um ótimo trabalho aquecendo a plateia para a atração principal da noite.

Estrutura espetacular e estética cyberpunk marcam show do BMTH

Estamos falando, claro, do Bring Me the Horizon, que já começou seu show colocando o público para cantar junto a plenos pulmões o hit “Can You Feel My Heart”, que se inicia logo após uma introdução super tecnológica e quase cyberpunk, assim como é toda a estética do show de Oli Sykes e seus companheiros de banda.

Continua após o vídeo

Os telões são uma atração à parte, e a segunda música da noite, “Happy Song”, ajuda a mostrar isso quando faz toda uma espécie de cerimônia de inicialização antes de colocar a plateia para entoar o “S P I R I T” que já virou clássico nos shows dos britânicos. Em outros momentos, no entanto, a estrutura do show chama ainda mais atenção.

É o caso da pesadíssima “Dear Diary,”, que explora a estética de jogos de videogame envolvendo zumbis (como House of the Dead e afins) após uma “falha” no sistema que só pode ser corrigida, segundo as instruções exibidas no telão, caso o público crie diversas rodas punk para dar o clima da maior pedrada do setlist.

Continua após o vídeo

De repente, Pabllo Vittar

Apesar de ter presenteado os fãs com um setlist bem completo e que inclui algumas músicas que devem ficar de fora da apresentação (mais curta) no Knotfest Brasil, a grande sensação da noite foi a participação especial escolhida pelo BMTH e trazida como surpresa para a plateia.

Talvez você já tenha até visto nas redes sociais, mas é claro que estamos falando de Pabllo Vittar. A cantora brasileira, que já tem uma relação de longa data com o vocalista Oli Sykes através justamente da internet, apareceu para muito mais do que apenas um aceno ao público.

Ela apresentou junto com a banda o hino “Antivist”, que está no disco Sempiternal e também compõe a lista das mais pesadas canções do Bring Me. Tudo isso gerou uma cena inesquecível, com Vittar se soltando bastante no palco e mandando ver em gritos ao seu estilo enquanto o BMTH mostrava, mais uma vez, por que é uma banda que está sempre rompendo barreiras.

Continua após os vídeos

Ficou até difícil focar em outra coisa depois desse momento histórico, mas o show seguiu com seu momento mais leve: a sequência “DiE4U”, “Follow You” (apresentada em formato acústico) e “Drown”, para levar os emos de plantão à loucura antes de um bis que contou com “Obey” e o sucesso “Throne”, que fechou a noite com chave de ouro.

Continua após o vídeo

Bring Me the Horizon no Vibra São Paulo

Em resumo, a apresentação do Bring Me the Horizon em São Paulo foi muito mais do que um esquenta para o Knotfest Brasil.

Bastava olhar para o público presente para entender o impacto que essa banda vem tendo. Por lá, era possível ver muito mais do que os caras barbudos com camisetas pretas que geralmente vemos em shows de Metal — e digo isso como um cara barbudo de camiseta preta que costuma ir a shows de Metal — e o feat com Pabllo Vittar eleva ainda mais toda essa diversidade, praticamente abrindo as portas do Metal para um novo público.

A cereja do bolo foi o final do show: enquanto o telão exibia a mensagem “Bring Me the Horizon just rocked my fucking world”, o sistema de som tocava o funk “E Nós Tem Um Charme Que é Dahora”, da MC Dricka, e os integrantes da banda jogavam palhetas e baquetas para o público.

Continua após o vídeo

Assim como toda a apresentação, um verdadeiro dedo do meio para quem ainda tem o pensamento elitista que está muito ligado ao Metal e acha que estilos tão diferentes não podem conversar entre si. Que o futuro da cena pesada seja cada vez mais assim!

O Bring Me the Horizon se apresenta novamente no Brasil como parte do Knotfest em São Paulo, neste domingo (18), às 18h25.

Bring Me the Horizon e Vended em São Paulo – fotos e setlist

Setlist

  1. Can You Feel My Heart
  2. Happy Song
  3. Teardrops
  4. MANTRA
  5. Dear Diary,
  6. Parasite Eve
  7. sTraNgeRs
  8. Shadow Moses
    Itch for the Cure (When Will We Be Free?)
  9. Kingslayer
  10. Antivist (com Pabllo Vittar)
  11. DiE4U
  12. Follow You (acústico)
  13. Drown
    Bis:
  14. Obey
  15. Throne

I WANNA BE TOUR

Em poucos dias o Brasil receberá uma turnê incrível com gigantes do Emo e Rock Alternativo; garanta o seu ingresso por aqui!