Max Cavalera
Foto: Reprodução

Lenda do Metal brasileiro, Max Cavalera participou recentemente de uma nova entrevista em que mais uma vez a separação da formação clássica do Sepultura foi abordada.

O músico, que foi fundador, guitarrista e vocalista da aclamada banda de Metal, deixou o quarteto depois de mais de uma década e seis discos lançados para apostar em novos projetos.

Durante sua participação no programa The Dan Can Show, Max foi questionado se ele imaginava que os outros integrantes do Sepultura iriam continuar a banda mesmo depois de sua saída. Ele respondeu, de acordo com a transcrição da Blabbermouth (via Whiplash):

Acho que a julgar por suas personalidades, sim, eu [pensei] que eles continuariam.

O grupo de fato seguiu com suas atividade após a entrada de Derrick Green, que assumiu os vocais.

Max Cavalera fala sobre saída do Sepultura

O vocalista que hoje comanda o Soulfly, o Cavalera Conspiracy e outros projetos também falou como foi para ele descobrir que a banda iria seguir com um novo cantor:

É realmente uma mistura de emoções, especialmente porque eu e Igor estávamos lá, bem no começo, e ninguém que está na banda agora estava lá, nem mesmo Paulo [Xisto, baixista] estava lá no começo. Então, é algo que parece muito pessoal e sagrado estar lá no início e não estar agora. Ao mesmo tempo, é uma daquelas coisas na vida que simplesmente acontecem e você tem que seguir em frente com outras coisas. Eu não me arrependo. É como qualquer outra coisa — seguiu seu curso.

Na entrevista, Max Cavalera também refletiu sobre a atitude dos fãs que apontaram (e ainda apontam) que a separação da banda tinha sido causada por Gloria, sua esposa:

Uma dessas coisas, porém, vou dizer, é extremamente frustrante para mim que alguns fãs não entendam, e é muito fácil culpar as pessoas por isso. Muita gente acaba culpando minha esposa, Gloria. Eles sempre dizem: ‘Ela acabou com a banda’. E a verdade é que nos distanciamos; começamos a nos odiar, cara.

Aconteceu com os Beatles e aconteceu com muitas outras bandas, [como o] Pantera. É apenas como as coisas são. Nós simplesmente não encontrávamos mais a alegria de tocar um com o outro e era hora de seguir em frente. Portanto, é injusto culpá-la: ‘Vamos apenas culpá-la. Ela deve ser a razão pela qual isso aconteceu’. E não, de jeito nenhum. Nós somos a razão. Prefiro que me culpem do que ela ou outra pessoa. Me culpe pela separação do Sepultura. Eu preferiria muito mais isso.

Durante o período em que foi líder do Sepultura, Max gravou os discos Morbid Visions (1986), Schizophrenia (1987), Beneath The Remains (1989), Arise (1991), Chaos A.D. (1993) e o lendário Roots (1996).

Seu próximo trabalho previsto para ser lançado é o novo álbum do Soulfly, Totem, que deve chegar em 5 de Agosto.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar