Steve Aoki
Foto via Wikimedia Commons

Steve Aoki é, além de um dos maiores DJs do mundo, um dos grandes defensores do mercado de criptomoedas e dos NFTs.

Em uma participação recente em um evento na Califórnia, o músico falou um pouco mais sobre a relação entre as duas coisas e fez uma revelação chocante sobre o quanto o pagamento de artistas no modelo atual está aquém do que é possível atingir com a adoção de novas tecnologias, como os próprios NFTs.

Ele explica (via Decrypt):

Se fosse para eu realmente dissecar, ok, nos 10 anos que eu tenho feito música… seis álbuns, e se você [combinar] tudo que recebi de advance, o que eu ganhei com um drop de NFTs no ano passado foi mais dinheiro. E, também, eu era muito mais desequilibrado com a música.

O tal “advance” citado por Aoki é uma prática comum nas grandes gravadoras do mundo, onde o artista recebe uma quantia (supostamente) generosa como um adiantamento pelas vendas do disco, funcionando efetivamente como se fosse um empréstimo da própria gravadora ao artista — inclusive, ocasionalmente gerando dívidas aos músicos.

Ainda na mesma conversa, Steve deixou claro que “nem vale a pena” pensar no dinheiro que entra por meio de royalties em comparação a tudo isso. Complicado, hein?

Steve Aoki e NFTs

No papo, as gravadoras também foram alvo de críticas de Aoki. Ele explicou que, se as novas tecnologias se popularizarem, os executivos vão ser obrigados a fazer mais pelos artistas:

Conforme os NFTs de música se tornam uma parte maior de como integramos e apoiamos artistas, as gravadoras terão que fazer mais do que só colocar a música em uma playlist.

E você, o que acha dessa novidade?

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar