Billie Eilish em ensaio para a Vogue
Foto por Craig McDean para Vogue

Billie Eilish revelou durante participação recente no programa de Howard Stern que teve uma batalha contra a COVID-19 em Agosto de 2021.

A jovem cantora trouxe a informação depois de tossir várias vezes durante a gravação, logo após deixar claro para o apresentador de que havia acabado de testar e não estava com a doença naquele momento (via Consequence):

[Eu] acabei de testar, eu não tenho COVID. Eu também já tive COVID. Ninguém sabe disso. Mas foda-se essa merda, cara.

Foi ruim. Digo, eu não morri, e eu não ia morrer, mas isso não reduz o quão miserável foi passar por isso. Digo, foi terrível. Eu ainda tenho efeitos colaterais. Eu fiquei doente por, tipo, quase dois meses. Isso foi em Agosto, uns dois meses atrás.

Após Stern apontar que ela pegou COVID-19 mesmo depois de estar vacinada, Billie deixou bem claro que enxergou o imunizante como o principal motivo para que ela esteja bem atualmente:

Eu quero deixar claro que é por conta da vacina que eu estou bem. Eu acho que se eu não estivesse vacinada, eu teria morrido, porque foi ruim. Quando eu digo que foi ruim, eu quero dizer mais que foi uma sensação horrível. Mas de verdade, no que diz respeito à COVID, não foi ruim. Sabe o que quero dizer? Quando você está doente, você se sente horrível pra caralho.

A vacina é incrível pra caralho e também impediu o FINNEAS de pegar [a doença], impediu meus pais de pegá-la, impediu meus amigos de pegá-la.

Quanto à tosse em questão, Eilish tem até uma ideia de quem deve ser o culpado: ninguém menos que Lorne Michaels, criador e produtor do Saturday Night Live, que segundo a cantora estava “tossindo por todo lado” enquanto ela se apresentava no programa.

Poxa, Lorne!

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!

 

Compartilhar