Gene Simmons, do KISS
 

Gene Simmons, lendário baixista do Kiss, tem duras palavras sobre a situação atual da pandemia e, em especial, para os que não estão querendo se vacinar mesmo com imunizantes disponíveis nos EUA.

Em uma conversa com a UCR, o músico expressou seu desejo de que “todos fossem obrigados a receber vacinas” e explicou como vão ser as regras para a turnê do Kiss durante essa fase, que se reinicia no dia 18 de Agosto:

Eu espero que todo mundo esteja usando suas máscaras, mas a gente só pode controlar o que podemos controlar e estados diferentes e países diferentes têm regras diferentes. No camarim, não faremos ‘meet and greets’. Obviamente, estamos abrindo mão de uma boa grana, porque fãs pagam um valor alto para vir e tirar fotos e tudo mais. Isso já era. Não estamos permitindo roadies ou quaisquer outras pessoas em qualquer lugar do camarim a não ser que estejam vacinados e usando máscaras o tempo todo.

Em seguida, Gene dispara contra as pessoas que usam a desculpa de ter “direito” de recusar a vacina, citando o trânsito como uma metáfora e também culpando o ex-presidente Donald Trump por validar alguns desses discursos:

[As pessoas dizem] ‘Eu tenho meus direitos, não me diga o que fazer’. O que é curioso, porque você não tem o direito de dirigir na estrada em um carro sem cinto. Você precisa parar no sinal vermelho. Esse não é um direito que você tem. E você não tem o direito de andar pelado pela rua. Essas ideias não ameaçam a vida. Nós estamos falando da porra de uma pandemia e as pessoas estão brigando com isso.

Eu culpo o nosso antigo presidente. Eu conhecia o cara antes dele entrar na política. Mas ele se vacinou e a maioria do outro partido também.

Para finalizar, o músico não economiza e mostra que sua empatia tem limite ao falar sobre o que ele enxerga como o verdadeiro problema com algumas pessoas — no caso dos EUA, cerca de 50% da população até o momento — recusarem a vacina:

Eu não estou preocupado — e não é gentil dizer isso — eu não estou preocupado se um idiota pegar COVID e morrer. Eu estou preocupado que ele leve outras pessoas consigo, que não tiveram uma escolha. Não precisa ser morte. Estar em um hospital é horripilante. Há tantos casos de pessoas que são negacionistas e que estão implorando no hospital para receber a vacina, mas é tarde demais.

Que sirva de lição para o povo brasileiro, que finalmente tem visto um aumento na disponibilidade de vacinas!

 
Compartilhar