Djavan
Foto: Reprodução / Instagram @djavanoficial
 

Um dos maiores nomes da música brasileira, Djavan é o artista mais recente a se pronunciar contra o governo do presidente Jair Bolsonaro.

O cantor e compositor utilizou sua conta do Instagram nesta quarta-feira (23) para esclarecer aos seus fãs, de uma vez por todas, que não votou em Bolsonaro e não apoia a gestão do atual presidente.

Acompanhado por uma imagem com a frase “eu não apoio Bolsonaro”, o cantor assinou um texto lembrando de uma entrevista de 2018 em que teriam tentando o associar ao atual governo após ele dizer que “tinha esperança no futuro do Brasil”.

Djavan e Bolsonaro

Djavan disse que tentou desmentir o assunto na internet mas não adiantou. O cantor reforçou na nova declaração que muitos conhecem seus posicionamentos e seria “impossível haver qualquer compatibilidade” entre ele e “um governo errático”.

Leia o texto de Djavan na íntegra:

Em 2018, tentaram me associar a esse governo por eu ter dito em entrevista que tinha esperança no futuro do Brasil. O futuro, para mim, pertence ao povo que sempre poderá buscar – nas ruas e nas urnas – as transformações sociais que farão do Brasil um país livre e próspero.

Depois de dizer algumas vezes que aquilo era mentira, eu percebi que de nada adiantaria: o desmentido na internet tem efeito contrário, coloca a mentira em evidência.

Tenho décadas de vida pública e uma longa carreira, e quem me conhece sabe dos meus posicionamentos sobre política, problemas sociais, culturais, raciais, homofobia, xenofobia etc. Por isso, é impossível haver qualquer compatibilidade entre mim e um governo errático, que tem atuado na contramão da ciência e que, sempre que pode, demonstra seu desprezo pela democracia.
Não tem cabimento.

Eu NÃO votei no Bolsonaro e NÃO apoio o seu governo.

Djavan

Djavan agora integra a extensa lista de artistas que já se pronunciaram contra o atual governo brasileiro. Nos últimos dias, artistas como Nando Reis e Anitta compartilharam suas indignações com a gestão do país e pediram a saída de Jair Bolsonaro.

   
Compartilhar