Spotify
Foto Stock via Shutterstock
 

O Spotify acaba de anunciar uma iniciativa de transparência para acalmar os ânimos de músicos e compositores.

Dias após o início de um protesto pelo baixo pagamento que artistas recebem na plataforma, a empresa anunciou o Loud & Clear. O site oferece uma visão geral de como os pagamentos são distribuídos.

Apesar de não muito específico, o projeto inclui alguns números bem próximos da realidade. Um deles, por exemplo, é o de que o Spotify paga cerca de 2/3 de seus ganhos para “detentores de direitos musicais”.

Spotify Loud & Clear

Por lá também estão algumas estatísticas acerca do mundo do streaming. Em 2020, por exemplo, cerca de 13.400 catálogos de artistas geraram pelo menos U$ 50.000 em royalties. Deste número, aproximadamente 7.800 catálogos arrecadaram mais de U$ 100.000 e 870 chegaram a U$ 1 milhão.

É por lá também que é mostrada a grande diferença no pagamento entre artistas de diferentes tamanhos, além dos tais “detentores de direitos” — que são as gravadoras, distribuidoras e agregadores do Spotify.

Uma coisa é certa: já passou da hora das várias peças da indústria da música conversarem para entender os valores que acabam sobrando para os compositores e intérpretes.

Direitos Autorais – Curso

Uma dica para os artistas é estudar cada vez mais sobre seus direitos, contratos, formas de arrecadar e mais. O curso Música Como Profissão tem um módulo inteiro a respeito disso, além dos pilares de Produção, Imprensa, Design e Marketing Digital.

Você pode acessá-lo no link oficial.

LEIA TAMBÉM: Paul McCartney quer que streaming pague mais aos artistas: “é uma porcentagem tão pequena”

 
 
Compartilhar