Gene Simmons, do KISS
 

Gene Simmons é conhecido por ser um cara que tem muito orgulho da sua fortuna, estimada em 400 milhões de dólares.

Pois parece que o baixista e cofundador do KISS se sente mal por “não poder” jogar na cara das pessoas que vale mais de 2 bilhões de reais, e em uma entrevista ao American Songwriter, ele falou sobre isso.

Por lá, o repórter perguntou: “Você cresceu pobre e agora não é mais. O que esse simples fato significa para você?”, e Gene respondeu:

O mundo diz que nós não devemos celebrar as nossas riquezas. Mas isso é uma porcaria. É uma porcaria porque todo mundo – se eu entrar em uma sala e dizer que meu valor é de algumas centenas de milhões de dólares, ou um bilhão, ou seja lá o valor que eles digam, eu não fico contando. [Se eu falasse sobre minha riqueza] as pessoas iriam dizer, ‘Vejam só esse cara, que idiota!’ Mas se eu ganhasse na loteria e não trabalhasse um dia da minha vida por essa fortuna, todo mundo diria, ‘Fantástico! Você ganhou uma cacetada de dinheiro e nem precisou trabalhar para isso!’ Eu trabalhei por cada centavo que eu tenho. Eu deveria ser a pessoa que poderia dizer, ‘Veja todo dinheiro que eu tenho.’ Mas não, eu não posso fazer isso. Então eu não sei como dizer isso, mas é melhor ser rico do que ser pobre. Simplesmente é.

Você pode criar empregos se for rico. Você pode doar dinheiro se for rico. Uma pessoa pobre nunca me deu emprego. E a pessoa que criou a frase, ‘O dinheiro é a raiz de todo mal’ é imbecil. O dinheiro não é a raiz de todo mal. A falta de dinheiro é a raiz de todo mal.

O motivo para a existência de crime é que as pessoas não têm dinheiro suficiente. Uma das curas para diminuir o crime é dar emprego às pessoas, dar algo para que elas possam fazer para alimentar as suas famílias, então elas não precisam sair para roubar. Essa é a saída.

E nem venha me falar sobre viciados em drogas, esse é outro assunto. Há vários moleques brancos ricos viciados em opioides e crack – essa é outra história e eu não tenho qualificações para comentá-la.

Entrevista de Gene Simmons, do KISS

Em outro momento, o artista foi questionado a respeito do que mais gosta em relação à música e deixou claro que a música está, na verdade, em outro plano:

Não é só a música. É a música e os efeitos visuais que vêm com ela. O estilo, a moda e tudo que essas coisas significam. Porque a música faz parte da vida de todo mundo. Você se casa e ouve sua música favorita. Você morre, e há músicas lá. Você vai à igreja, há músicas. Música é a trilha sonora das nossas vidas e quando você tem as músicas certas, irá chorar, irá se portar com uma lágrima nos olhos e jurar fidelidade. Em jogos de futebol ao jurar fidelidade à bandeira dos Estados Unidos ou qualquer bandeira, a música está em todo lugar.

E por falar nisso, nós não somos os únicos a fazer isso. Pássaros fazem isso, abelhas fazem isso. Até mesmo as baleias. Todos são musicais. Existe até mesmo uma coisa chamada música dos planetas, mas não vou entrar nesse assunto. E às vezes eu gosto de trancar a porta e ouvir a minha playlist favorita, que envolve todos os tipos de música, tudo de Ray Charles até Jackie Wilson, Patsy Cline, ABBA – o que você disser.

Você pode ler a entrevista, em Inglês, clicando aqui.

LEIA TAMBÉM: em 2008, Gene Simmons era demitido por Donald Trump no reality show “O Aprendiz”

   
Compartilhar