Fotos: Wikimedia Commons
 

O aviso final foi dado!

Os Rolling Stones estão ameaçando processar o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se ele insistir no uso de músicas da banda em seus comícios eleitorais.

Anteriormente, o grupo já tinha declarado que era contra suas músicas tocando em eventos políticos com a presença de Trump e no último sábado, dia 27, emitiu junto a uma organização de direitos musicais do país um comunicado avisando sobre sua decisão:

Se Donald Trump desconsiderar a exclusão e persistir, ele enfrentará um processo por quebrar o embargo e tocar músicas que não foram licenciadas.

Rolling Stones e Donald Trump

Segundo a imprensa americana (via CoS), a equipe de campanha de Trump tem uma licença de uso que lhes permite tocar mais de 15 milhões de músicas em seus eventos. Porém, uma cláusula do contrato garante que se o artista for contra a execução de sua obra, ela deve ser retirada da biblioteca de opções.

Além dos Rolling Stones, a família do cantor Tom Petty também notificou o presidente para parar de tocar suas canções em seus eventos. Num comício no último dia 20, em Tulsa, Oklahoma, tanto faixas dos Rolling Stones quanto de Tom Petty foram ouvidas nas caixas de som.

A banda informou em comunicado que a decisão de processar Trump por uso indevido de suas músicas vem após vários pedidos não atendidos para que isso acontecesse. Aliás, outros artistas como Rihanna, Panic! at The Disco, Village People e mais também já pediram pelo mesmo de “forma amigável”, ainda sem ameaça de processo.

Por enquanto.

 
 
Compartilhar