Mel Gibson
Foto via Shutterstock

Mel Gibson está mais uma vez no olho do furacão — e, de novo, por um motivo bem ruim.

Uma entrevista com Winona Ryder reacendeu uma discussão complicada sobre alguns comentários preconceituosos do ator. Ao falar para o The Sunday Times (via CoS), Winona relembrou uma conversa na qual Gibson foi antissemita e homofóbico.

Leia o relato:

Estávamos em uma festa lotada com um dos meus melhores amigos. Mel Gibson estava fumando um charuto enquanto conversamos, e ele disse ao meu amigo, que é gay: ‘Ah, espera, eu vou pegar AIDS?’ E então surgiu [algum assunto] sobre os judeus, e ele disse: ‘Você não é um ‘oven dodger’, né?

“Oven dodger”, algo como “fujão do forno”, é uma expressão bastante pesada sobre o povo judeu, que remete ao holocausto e a forma como milhões de judeus foram mortos queimados neste evento trágico da história.

Isso, é claro, não pegou nada bem — mas também não surpreendeu. Em 2006, enquanto estava sendo preso por dirigir bêbado, Gibson chegou a dizer a um policial que os judeus eram “responsáveis por todas as guerras do mundo”. Pouco depois, em 2010, o ator disse à sua então namorada: “Espero que você seja estuprada por um bando de negros” — usando uma gíria racial pra lá de preconceituosa.

Mel Gibson responde

Após perder seu papel como dublador da sequência de A Fuga das Galinhas (2000), o ator respondeu às acusações. Através de um comunicado, ele diz:

[As alegações de Winona Ryder são] 100% falsas. Ela mentiu sobre isso há mais de uma década, quando conversou com a imprensa, e está mentindo sobre isso agora.

 
Compartilhar