Rage Against The Machine em 2020
Foto: RATM.com
 

A turnê de reunião do Rage Against The Machine está dando o que falar.

Se só o fato do grupo finalmente voltar ao palco já seria o suficiente para causar muito barulho, agora são os ingressos para os shows que têm sido debatidos.

Para combater os cambistas, a banda anunciou que uma porcentagem de todos os ingressos de todos os shows iria para instituições de caridade. Além disso, todo dinheiro acima do “valor base” de cada ingresso será repassado a organizações sem fins lucrativos também.

Ingressos do Rage Against The Machine

A grande questão é que a iniciativa da banda tem dois aspectos bem diferentes.

Primeiro, o lado positivo é que as vendas já arrecadaram 3 milhões de dólares para caridade, o equivalente a cerca de 13 milhões de reais.

Segundo, o negativo, é que os preços dos ingressos variam automaticamente de acordo com a atividade de cambistas para que ela seja evitada. Quem “explicou” foi o próprio guitarrista Tom Morello, que respondeu um fã no Twitter quando esse mandou um print da tela de compras de ingressos mostrando que cada um custava 921 dólares (mais de 4 mil reais), além das taxas.

Por lá, ele falou:

Leia. 10% de todos os ingressos são reservados para caridade. 100% do dinheiro acima do preço base de cada ingresso vai para as instituições da cidade do show. O preço de caridade varia para combater o cambismo. Quando tivermos números finais, iremos listar as instituições atendidas. Mais de 3 milhões de dólares foram arrecadados nas primeiras 48 horas.

Convenceu?

LEIA TAMBÉM: em 2000, perto do fim, Rage Against The Machine fazia show surpresa intenso em Los Angeles