Ginger Baker na MTV, 1985
Foto: Reprodução / Facebook
 

Há alguns dias recebemos a notícia de que o baterista Ginger Baker, um dos fundadores do Cream, havia nos deixado.

O lendário músico ficou conhecido pela influência que gerou ao lado de Jack Bruce e Eric Clapton, mas também tornou-se famoso por causa da sua personalidade sempre ácida e sincera.

Para celebrar o cara, a MTV resgatou uma entrevista que fez com ele em 1985 onde, nada modesto, Baker diz que é “BEM melhor” que os outros bateristas de sua geração.

Além disso, ele faz questão de distanciar o Cream do Rock And Roll, citando o Blues e o Jazz e dizendo que as baterias do Rock eram “um monte de merda”:

O Cream era uma banda de jazz. Era uma banda de blues com dois músicos de jazz. A gente não tocava Rock And Roll. As pessoas – sabe, eu fico puto quando as pessoas dizem ‘o grande baterista de Rock.’

Para mim o Rock é [‘toca’ bateria no ar], o que é um monte de merda, sabe? Não tem nenhum apelo para mim. Nunca teve e nunca terá.

MTV News Interviews Ginger Baker in 1985

In honor of Ginger Baker's life and legacy, we’re throwing it back to our 1985 interview where the Cream drummer talked about how the group was a jazz band, and what being a drummer meant to him: “I can play things that nobody can play.”

Posted by MTV Classic on Sunday, October 13, 2019

 

Ginger Baker

Em outro momento, Baker fala sobre seu retorno, e aqui é importante contextualizar: em 1986 o cara lançou seu quarto disco de estúdio, Horses & Trees, utilizando bases do jazz para fazer músicas instrumentais com pegadas dançantes.

Além disso, mesmo dizendo que estaria voltando e que era o melhor de todos, nesse período ele se mudou para Los Angeles para tentar a vida como ator, sem sucesso:

Eu estou voltando. E estou tocando melhor do que qualquer merda de baterista nesse planeta novamente. Melhor. De longe. Porque eu consigo tocar coisas que ninguém consegue.

LEIA TAMBÉM: “Amor e Ódio”: família de Jack Bruce presta homenagem a Ginger Baker

 
Compartilhar