Jimi Hendrix
Foto: Wikimedia Commons

Jimi Hendrix foi um dos maiores guitarristas que já passou pela história do Rock e seu precioso legado é exaltado até hoje.

Apesar de fazer shows de impacto e performances eletrizantes nos palcos, o músico norte-americano era na verdade um rapaz introvertido e preferia elogiar os artistas que admirava ao invés de ficar se vangloriando por suas obras.

Ao longo de sua carreira, que terminou muito cedo após o artista falecer precocemente aos 27 anos, Hendrix enalteceu algumas bandas e artistas importantes dos Anos 60 que o inspiraram e o ajudaram a moldar o estilo único que acompanhava seus trabalhos.

A revista Far Out reuniu algumas das declarações de Jimi Hendrix sobre seus 5 artistas preferidos. Confira logo abaixo!

Os 5 artistas preferidos de Jimi Hendrix

King Crimson

Jimi Hendrix parece ter ficado tão impressionado com o King Crimson que fez questão de cumprimentar o guitarrista e fundador do grupo Robert Fripp depois de um show de 1969.

O músico da banda britânica de Rock Progressivo contou que, após uma determinada apresentação, Hendrix o encontrou e apertou sua mão esquerda, dizendo: “Ei, aperte minha mão esquerda; está mais perto do meu coração’.

Anos depois, Fripp encontrou a cunhada de Michael Giles, o primeiro baterista do King Crimson, e ela, que estava ao lado de Hendrix na noite do aperto de mão, disse que o guitarrista “pulava pra cima e pra baixo” enquanto gritava durante o show: “Este é o melhor grupo do mundo!”.

The Beatles

Não é surpresa que os Beatles foram e ainda são referência para quase todos os tipos de artistas e com o lendário guitarrista não foi diferente.

Apesar de ter crescido nos EUA, Hendrix alcançou sua fama principalmente no Reino Unido depois de ter sido convencido por Chas Chandler, do The Animals, a criar sua banda The Jimi Hendrix Experience em Londres.

Uma das obras dos Beatles mais especiais para Hendrix foi o disco psicodélico Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, de 1967. O artista ficou tão apegado ao álbum que fez uma cover da faixa-título durante um dos seus primeiros shows no Reino Unido, em que Paul McCartney estava presente.

Em conversa com Stephen Colbert, Macca declarou sobre aquela noite:

Jimi era um querido, um cara muito legal. Eu lembro dele fazendo a abertura no Saville em um domingo à noite [4 de Junho de 1967]. […] Jimi abriu, as cortinas se abriram e ele veio andando tocando ‘Sgt. Pepper’, e tinha sido  lançado na quinta-feira, então esse foi o maior elogio que poderíamos ter recebido.

Obviamente, ainda é uma lembrança brilhante para mim, porque eu o admirava muito de qualquer maneira, ele era tão talentoso.

Pensar que aquele álbum significou tanto para ele a ponto de realmente aprendê-lo até a noite de domingo, três dias após o lançamento. Ele deve ter gostado muito, porque normalmente pode levar um dia para ensaiar, e então você pode ainda se perguntar se vale a pena fazer isso, mas ele simplesmente abriu com isso.

Bob Dylan

Outra forte influência para Jimi foi o icônico Bob Dylan, que deixava o guitarrista emocionado com suas composições. Em 1967, Hendrix disse a Steve Barker:

Todas aquelas pessoas que não gostam das músicas de Bob Dylan deveriam ler suas letras. Elas estão cheias das alegrias e tristezas da vida. Mas eu realmente gosto dele. Eu gosto daquele álbum ‘Highway 61 Revisited’ e especialmente de ‘Just Like Tom Thumb’s Blues’!

Ele não me inspira, na verdade, porque eu nunca conseguiria escrever os tipos de palavras que ele escreve. Mas ele me ajudou a tentar escrever duas ou três palavras porque eu tenho mil músicas que nunca serão finalizadas. Eu apenas fico deitado e escrevo cerca de duas ou três palavras, mas agora tenho um pouco mais de confiança para tentar terminar uma.

Uma das homenagens mais marcantes de Jimi para Bob foi sua cover de 1968 de “All Along the Watchtower”. Apesar da faixa ter sido lançada por Dylan um ano antes, a versão de Hendrix causou maior impacto e alcançou o top 20 dos EUA e do Reino Unido.

Cream

No final dos anos 60, Jimi Hendrix passou a ficar mais próximo de outros grupos da cena do Rock Psicodélico, e um deles foi o Cream, que contava com o baixista e vocalista Jack Bruce, o guitarrista Eric Clapton e o baterista Ginger Baker. Apesar do grupo ter durado apenas três anos, seus quatro discos foram importantes para estabelecer as bases para a era do Rock Progressivo.

Um dos momentos memoráveis da relação do guitarrista com o grupo aconteceu em 1969, quando Jimi e sua banda tocaram no programa de TV Happening For Lulu no dia em que o Cream se separou. Na ocasião, a apresentadora Lulu pediu para que ele tocasse “Hey Joe” — porém, depois de apenas alguns acordes, Hendrix interrompeu a música e declarou:

Gostaríamos de parar de tocar essa porcaria e dedicar uma música ao Cream, independentemente do tipo de grupo em que estejam. Dedicamos isso a Eric Clapton, Ginger Baker e Jack Bruce.

Em seguida, ele lançou uma cover de “Sunshine of Your Love” e, apesar da reação positiva do público, os produtores da BBC ficaram chateados com o comportamento do músico e o baniram para sempre da emissora.

Muddy Waters

Pode-se dizer que Muddy Waters foi um dos primeiros ídolos de Jimi Hendrix. O artista de destaque do blues elétrico nas décadas de 1950 e 1960 foi responsável por lançar as bases do Rock nos anos 60 e influenciar bandas históricas como Beatles, Rolling Stones, The Who, The Kinks e muitas outras.

Em entrevista à Rolling Stone em 1968, Jimi, que chegou a gravar uma cover de “Mannish Boy”, falou sobre o “Pai do Chicago Blues”:

O primeiro guitarrista que conheci foi Muddy Waters. Ouvi um de seus discos antigos quando era criança e fiquei morrendo de medo porque ouvi todos aqueles sons. ‘Uau, o que é isso?’ Foi ótimo.

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! BRASIL

Música brasileira de primeira: MPB, Indie, Rock Nacional, Rap e mais: o melhor das bandas e artistas brasileiros na Playlist TMDQA! Brasil para você ouvir e conhecer agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!