Divulgação/Sent U Feelin

Você já conhece a Sent U Feelin? Pois ela é uma banda do Rio de Janeiro que pretende dar o que falar.

Formada por Pedro Neves (guitarra e voz), Thadeu Galvani (guitarra e backing vocals), Gustavo von Borell (guitarra), Luiz Tepedino (baixo), Vic Delnur (teclado e guitarra) e Vinicius Filgueiras (bateria). Entre as músicas que mais se destacam de seu primeiro álbum, Keep Moving, todo gravado em inglês, estão “One Day”, “Be Yourself” e “As I Say”. Agora, a Sent U Feelin se prepara para lançar canções em português e assim tentar consolidar seu público no Brasil. O Tenho Mais Discos Que Amigos conversou com a banda para conhecer melhor esses planos e o resultado da entrevista você confere abaixo:

TMDQA:  Como e quando a Sent U Feelin surgiu?

Sent U Feelin: A banda começou em 2012 de uma maneira informal, amigos curtindo juntos, compartilhando seus gostos musicais e referências. Então a gente começou a tocar juntos e assim teve início a história da Sent U Feelin. A partir daí, nós recebemos muitos elogios de amigos e das pessoas que assistiam nossos shows, impulsionando para que tudo fosse ficando cada vez mais sério.

Aos poucos, a Sent U Feelin foi tocando em grandes eventos, como a festa de abertura do WCT Oi Rio Pro 2014 e 2015, que teve os Detonautas como atração principal. Nesta época, abrimos o show da Slightly Stoopid no Circo Voador e, mais recentemente, tocamos juntos com a Citizen Cope e a Pepper, no XII Festivalma, na Praia do Arpoador, em abril deste ano.

TMDQA: A Sent U Feelin faz um som mais puxado para o reggae rock, quais são as influências musicais que a banda carrega?

Sent U Feelin: Nós não gostamos de rótulos. O nosso som é baseado realmente em nossas influências, musicalidade e gosto de cada um dos integrantes, formando uma unidade. A Sent U Feelin toca o que a gente gosta de ouvir, passeando pelo reggae e pelo rock de forma natural. Nossas principais referências na música são Sublime, Audioslave, The Police, Charlie Brown Jr., Ozzy Osbourne, Metallica, Sticky Fingers, Fat Freddy’s Drop entre outras. Além disso, a gente curte escutar grupos como Snarky Puppy, que são conhecidos pelo jazz fusion.

TMDQA: Vocês já têm um CD lançado nas plataformas digitais, existem novas composições que possam vir a compor um segundo álbum?

Sent U Feelin: Em 2016, lançamos na plataformas digitais o nosso primeiro álbum, “Keep Moving”, que tem 12 faixas, todas em inglês, trazendo uma identidade musical bem específica. O disco mistura rock, reggae, entre outras influências. Agora, a Sent U Feelin está gravando um novo single, que fala na letra sobre questões que o nosso país atravessa. A música se chama “Baixar a Arma” e será disponibilizada em nossas plataformas digitais em breve. Para o ano que vem, estamos preparando o segundo disco, que ainda está nos estágios iniciais e será gravado todo em português.

TMDQA: Como a Sent U Feelin enxerga o mercado atual do rock? A cena cresce ou perde espaço?

Sent U Feelin: O cenário hoje em dia está em baixa. Vemos por aí o sertanejo e o funk, por exemplo, ganhando cada vez mais espaço na mídia, em detrimento do rock. É preciso renovação para que as bandas possam voltar a crescer. Falta incentivo de empresários e produtoras de evento para criar uma nova cena, que permita que o rock seja grande novamente, da forma quando surgiram bandas nacionais do gênero, como Legião Urbana, Capital Inicial e Paralamas do Sucesso, nos anos 1980. Não podemos perder a esperança e acreditamos que é possível começar um movimento que influencie nossos jovens, abrindo caminho também para que outras bandas ganhem destaque.

TMDQA: Com relação aos shows, a banda está em turnê?

Sent U Feelin: No início do mês, a Sent U Feelin fez dois shows na Babilônia Feira Hype, no Rio de Janeiro. No momento, estamos compondo as canções do próximo disco e fechando as datas dos shows futuros na agenda. Em novembro, nós vamos tocar na festa Arca de Noé, na Barra da Tijuca.

TMDQA: Olhando para o futuro, onde a Sent U Feelin pretende chegar? Quais são os planos a longo prazo?

Sent U Feelin: Nossa meta é atingir o maior número de pessoas possível. Todos nós temos o desejo que a nossa música possa chegar no mundo inteiro, ultrapassando a barreira da língua. Mas estamos dando um passo de cada vez. Toda vez que a gente conquista um novo fã, nós ficamos muito felizes. Afinal, fazemos o que fazemos para tocar o coração das pessoas, não apenas os ouvidos.

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!