Disclosure no Rio de Janeiro
 

Por Vinícius Cunha

Fotos por Camila Oliveira

As sextas-feiras são popularmente conhecidas como “dia da maldade”, ansiosamente esperado para sair com os amigos, beber, cair na farra… e ir ao show do Disclosure, que estreava no Rio de Janeiro após passagem pelo Lollapalooza Brasil, em 2014, quando disputou público com o gigante Muse. E os cariocas abraçaram a festa promovida pelos irmãos Guy e Howard Lawrence, que apostaram na atualização do house e disco e em show de luzes no debute da turnê brasileira de mais recente disco, Caracal (2015).

O desafio de tocar música eletrônica “ao vivo” não é dos mais fáceis, e no caso do Disclosure há um agravante. A dupla se sustenta com time de vocalistas convidados nos seus dois discos e um EP, que incluem a neozelandesa Lorde, o queridinho Sam Smith e o canadense The Weeknd. Na impossibilidade de contar com esses e tantos outros parceiros em shows, eles disparam o playback enquanto dão eletricidade às músicas desde início enquanto o público jovem e caloroso grita e dança com a trinca “White Noise”, “F For You” e “Jaded”.

Uma noite em que a The Week e a Fosfobox mudaram de endereço e foram parar no Metropolitan e conforme o repertório era percorrido por Guy e Howard, a pressão na pista só aumentava. A frequência de drinks pedindo passagem aumentava e quando o duo pesava a mão na complexidade e drum and bass (“Echoes” e “Holding On”), mas sempre vão existir hits como “Bang That” e “When a Fire Starts to Burn”, esta com enorme prelúdio de improviso. Elas despertam a multidão e a levam ao êxtase junto com as figuras em movimento do telão, que sugerem os temas de cada canção.

Visivelmente emocionado com o dedicado, mas mediano público que suava e se entregava à dança, Guy Lawrence foi direto: “É incrível estar no Rio pela primeira vez e encontrar pessoas tão empolgadas em nos ver. Dancem sempre e como se fosse o último dia de suas vidas”.

Quem não tem Sam Smith ou Aluna Francis traz Brendan Reilly, que deu as caras em “Moving Mountains”. A colaboração ali, ao vivo, mostra o quanto a performance faz diferença e se mantém fiel à gravação do disco. Com “Help Me Lose My Mind” e o megasucesso “Latch”, mesma sequência de encerramento do Lolla há dois anos, o Disclosure ofereceu uma pré de primeiríssima classe, e tem sua festa final em São Paulo, neste domingo, 2/10.

Setlist:

  1. Intro
  2. White Noise
  3. F for You
  4. Jaded
  5. Magnets
  6. Omen
  7. You & Me
  8. Echoes
  9. Nocturnal
  10. Bang That
  11. When a Fire Starts to Burn
  12. Boss
  13. Holding On
    Bis:
  14. Moving Mountains (com Brendan Reilly)
  15. Help Me Lose My Mind
  16. Latch