Os fãs de The Strokes já perceberam que Julian Casablancas não é mais aquele garoto rebelde que revolucionou o rock em 2001, com o disco Is This It.

Mas num bom sentido! O cantor tem demonstrado em seus trabalhos recentes uma maturidade política e um envolvimento com questões importantes pra sociedade. Além de ter resolvido seus problemas com a bebida.

Isso ficou evidente nos discos Future Present Past (2016), do Strokes, e Tryanny (2014), do The Voidz.

Quem acompanha o site da gravadora Cult Records, criada pelo próprio Julian, também já pode ter visto alguns textos sobre política escritos pelo cara por lá.

A entrevista

Agora, pra não deixar dúvidas, Casablancas soltou, via Rolling Stone, uma entrevista com o teórico da educação e crítico social Henry Giroux. Trata-se de um dos maiores intelectuais vivos dos Estados Unidos.

No vídeo, que tem 12 minutos de duração e você pode ver mais abaixo, o músico e o teórico falam sobre o poder dos bancos, governos corruptos, manipulação da mídia e até a “ilusão da democracia”. Julian explica de onde surgiu a ideia:

Eu queria fazer a ponte entre as entrevistas profundas e progressivas que Henry normalmente dá com algo mais simplificado, conversado. Eu, pessoalmente, sinto a necessidade de transmitir a mordacidade do que eu considero ser a verdade. Ou, pelo menos, ajudar a exibir uma narrativa alternativa, porque só assim muitas vezes essas coisas são varridas pra baixo do tapete.

Ok, diferentão.

Strokes e trabalhos paralelos

Summer Moon, banda nova de Nikolai Fraiture
Summer Moon, banda nova de Nikolai Fraiture

Vale lembrar que os membros do The Strokes estão a toda velocidade. Enquanto divulgam o EP Future Present Past, o baixista Nikolai Fraiture e o guitarrista Nick Valensi acharam tempo pra criar bandas paralelas.