Kerry King, do Slayer
   

Kerry King, guitarrista do Slayer, deu uma entrevista para jornais da Bélgica após um show da banda no último dia 17 de Novembro em Bruxelas.

O site Blabbermouth teve acesso a trechos dessa entrevista, bem como traduções das conversas e das perguntas, e Kerry falou sobre como acha que “demorou” para que shows de rock se tornassem alvo de terroristas, se referindo ao ataque em Paris durante apresentação do Eagles Of Death Metal:

Estou surpreso que levou tanto tempo para que os terroristas tivessem um show de rock como alvo. Porque eles odeiam rock. Eles odeiam nosso estilo de vida. Odeiam nossa liberdade e odeiam como a gente se diverte. E, é claro, isso é uma merda. O que aconteceu faz com que todo mundo pense duas vezes sobre arriscar a sua vida para ver uma banda tocar. Mas se você parar de ir a shows ou parar de tocá-los, faz o que os terroristas querem que faça. É muito importante seguir em frente e fazer o que faz, o que ama fazer. E, sabe, eu não sou o tipo de cara que passa a vida se preocupando. Nós pegamos aviões logo depois do 11 de Setembro. Fizemos shows logo depois que Dimebag foi baleado e morto [no palco]. Claro, as coisas podem dar errado. Mas você também pode sair desse prédio e ser atropelado. Faça o que você ama e não se preocupe.

Eu escrevi várias canções sobre a influência negativa da religião organizada. O que aconteceu em Paris é mais um exemplo disso. Eu não acredito no que o ISIS – ou ISIL, ou como você queira chamar – acredita, então eu devo ser destruído. É a coisa mais ridícula que já ouvi na minha vida. As pessoas têm se matado há séculos por conta da religião organizada.

Você pode ler mais trechos da entrevista clicando aqui.