Les Claypool é um baixista talentoso conhecido por suas características tanto na aparência quanto, principalmente, na sonoridade.

Essa semana publicamos aqui uma matéria sobre o líder do Primus, onde ele contou a história de como fez um teste para entrar no Metallica, e agora ele aparece falando de outra grande banda dos anos 80 e 90, o Red Hot Chili Peppers.

Ao falar sobre músicos que influenciaram o heavy metal dos anos 90 para o livro “Survival of the Fittest: Heavy Metal in the 1990’s”, ele fez uma série de elogios à banda quando ela ainda tinha Hillel Slovak e Jack Irons na formação:

Eu acho que um dos melhores discos daquele período – quando falo de contemporâneos – que foi extremamente influente tanto musicalmente quanto inspirador, do tipo, “Isso é maravilhoso!”, foi “Uplift Mofo Party Plan” do Red Hot Chili Peppers. Para mim, esse é o melhor álbum deles, de longe. Quero dizer, Chad Smith é um cara ótimo e grande músico, mas quando Hillel e Jack Irons e Flea e Anthony estavam juntos – e a gente tocava com esses caras na época – era como o Led Zeppelin. Era inacreditável. Muito, muito legal. Michael Beinhorn produziu o disco, o álbum soa gigantesco. E há muito espaço, várias pequenas complexidades nele. É um álbum maravilhoso.

The Uplift Mofo Party Plan, lançado em 1987, é o terceiro disco de estúdio do Red Hot Chili Peppers. O disco foi o primeiro da banda a aparecer nas paradas, ocupando a posição de número 148 na importante Billboard 200.

Pouco tempo depois da turnê de divulgação do álbum, Hillel Slovak morreu em decorrência de uma overdose de heroína.

Jack Irons decidiu deixar o grupo, pois não queria continuar em uma banda “onde seus amigos estavam morrendo”. Anos depois ele trabalhou com nomes como Pearl Jam, The Wallflowers, Joe Strummer, Spinnerette e o próprio Les Claypool.

Anthony Kiedis e Flea resolveram seguir em frente apesar de todos os problemas, e o resto é história.

Fonte: Alternative Nation