Há alguns dias publicamos aqui uma matéria a respeito do mais novo serviço de streaming do mercado, a Apple Music, da gigante Apple.

A empresa disse que todas as músicas que estavam no iTunes seriam disponibilizadas no serviço, mas não levou muito tempo até que a cantora Taylor Swift anunciasse que seu mais novo álbum, o mega sucesso 1989 não estaria na plataforma.

Em uma carta aberta, a cantora que já se posicionou diversas vezes contra as formas de pagamento de serviços que já estão no mercado, se mostrou bastante chateada com a Apple, principalmente porque a empresa pretendia não repassar direitos autorais de usuários da Apple Music que estivessem no período de 3 meses gratuitos de teste:

Eu acho chocante, decepcionante e completamente na contra mão do que essa empresa representou historicamente de forma progressiva e generosa. Três meses é muito tempo para não receber dinheiro, e não é justo pedir para que alguém trabalhe de graça.

Não pedimos iPhones gratuitos para vocês. Por favor não nos peçam para que a gente dê música sem nenhuma compensação.

Apple muda de ideia

Após a publicação de Taylor, um dos nomes mais quentes da música no mundo todo, a Apple voltou atrás e garantiu que irá repassar direitos autorais mesmo durante o período de teste de 3 meses que os novos assinantes terão.

O executivo da empresa Eddy Cue chegou a publicar uma mensagem no Twitter dizendo que “ouviu Taylor Swift e os artistas independentes,” e que a empresa entendeu que deveria fazer os pagamentos.