Depois de um hiato de 7 anos, o Ludovic anuncia sua volta aos palcos.

Comemorando 15 anos de sua fundação, os paulistanos irão se apresentar no Festival Transborda, que acontece em Belo Horizonte entre os dias 5 e 20 de junho.

Formada em 2000, a Ludovic lançou dois discos: Servil (2004) e Idioma Morto, de 2006. A formação para esses shows de reunião é composta por Jair Naves (voz e baixo), Eduardo Praça (guitarra), Zeek Underwood (guitarra) e Thiago Babalu (bateria).

A banda rapidamente tornou-se um dos nomes mais importantes do underground brasileiro e encerrou as atividades em 2008. Jair Naves lançou bons trabalhos em carreira solo e os outros integrantes trabalharam em projetos como Quarto Negro e Mudhill.

Em sua página do Facebook, a banda publicou uma declaração a respeito do retorno:

Nem uma volta, nem uma despedida. Algo no nebuloso e indefinível intervalo entre isso.
Conforme avisamos no post anterior, no próximo mês de junho completam-se quinze anos do início do Ludovic. Minha maior escola, minha antiga paixão, meu plano inconsequente e fantasioso de ter a minha própria banda de rock. Tendo a data em mente, surgiu a ideia de celebrar essa marca lançando algum material ainda inédito e reunindo alguns dos integrantes que passaram pela banda durante seus oito anos de existência para um show comemorativo.
Sendo assim, Eduardo, Zeek e eu resolvemos atender aos insistentes pedidos que ouvimos desde nosso último show, em 2008, e decidimos nos reunir mais uma vez para tocar as músicas que marcaram nossa juventude. A bem da verdade, o timing nem sequer é dos melhores: o Edu acaba de lançar o brilhante novo disco do seu Quarto Negro, Zeek está em estúdio preparando o álbum de estreia do promissor Mudhill e eu continuo em turnê divulgando meu registro solo mais recente, do qual eu me orgulho profundamente. Honestamente, são essas as prioridades para nós três no momento.
Porém, quando surgiu o convite da produção do Festival Transborda, resolvemos aproveitar a coincidência das agendas e reviver a banda pela primeira vez em muitos anos. E é basicamente isso. Com toda a franqueza, não há como dizer se faremos outras apresentações ou se será apenas um único brinde aos velhos tempos.
Por ora, tudo o que podemos fazer é convidar todos que viveram a banda conosco para o show do dia 20 na Autêntica, em Belo Horizonte. É o que fará esse acontecimento ter algum sentido.
Ao futuro, sempre. Com amor,
Jair Naves e Ludovic

Para mais informações clique aqui e acesse a página do festival no Facebook.