Humberto Gessinger explora a simplicidade dos trios em novo disco
Foto: Reprodução / Facebook
 

Enquanto viaja pelo país em turnê para divulgar Não Vejo a Hora, seu disco mais recente, Humberto Gessinger lançou um minidocumentário sobre a produção do álbum.

Com duração de 12 minutos, a obra explora o processo de gravação, as ideias para as composições e produção em si. Para tanto, são utilizadas imagens de estúdio e também da viagem que o artista fez para a Suécia para visitar a filha. A estadia em Estocolmo serviu bastante de inspiração para o registro.

Novo disco de Humberto Gessinger

O trabalho foi gravado no Estúdio Soma, em Porto Alegre. O artista decidiu focar a obra em duas formações de dois trios distintos: o “power trio” e o trio acústico. “Foram dias muito intensos quando gravamos as 8 canções com power trio (baixo de seis cordas, guitarra e bateria) e as três com o trio acústico (viola caipira, baixo acústico e acordeon)”, explica.

Nesse contexto, ele percebeu que o material pedia uma produção ágil e sem muitas complicações para que a força das composições não se perdesse em firulas no estúdio. “Foi o que a gente fez. Com exceção de alguns vocais que eu dobrei, não há overdub no disco,” completa.