Dave Grohl Fresh Pots
Foto: Reprodução/YouTube
 

Qualquer fã mais dedicado de Dave Grohl sabe muito bem do que estou falando quando digo: FRESH POTS!

No longínquo ano de 2009, quando o supergrupo Them Crooked Vultures com Grohl, Josh Homme e John Paul Jones se lançava na música, um vídeo hilário sobre o vício do músico em café foi usado para promover o único disco da banda.

O clipe viralizou e virou um marco na carreira do cara, e é exatamente esse momento que Dave lembrou durante uma entrevista recente.

Enquanto participava do podcast Bon Appétit, Grohl falou sobre o quão “constrangedor” era o vídeo, mas que acabou entrando na brincadeira e deixando que fosse usado para promover o material do grupo.

A história de Fresh Pots

Leia (via Alternative Nation):

Então, essa coisa toda do Fresh Pots. Quando o disco estava saindo, nós não tínhamos um vídeo, nós não fizemos um vídeo para uma música, mas meu amigo Liam fez isso como uma brincadeira, essa coisa idiota do Fresh Pots. Meu manager disse algo tipo: ‘você se importa se colocarmos isso do Fresh Pots em vez de um clipe?’, e eu disse, ‘você assistiu? É tão constrangedor!’ […] Não é tão bom quanto o filme do Queen, é bem vergonhoso, mas eu levei na esportiva e disse tipo: ‘sim, claro’. Lançaram e em um dia teve um milhão de visualizações no YouTube. No dia seguinte, eu vou ao supermercado e estou passando no caixa, o cara que está ensacando minhas coisas diz: ‘Ei cara, você quer uma xícara de café?’

O vocalista do Foo Fighters ainda elaborou mais a história, contando em detalhes como estava sua situação à época.

Nós estávamos fazendo esse disco e eu estava bebendo tanto café, eu estava na verdade fazendo dois discos e tendo minha segunda filha ao mesmo tempo. Então eu estava dormindo quatro horas por noite, eu tenho insônia, eu dormia quatro horas por noite. Eu não dormia e tomava um bule de café sozinho. Depois disso, eu ia ao estúdio e bebia outro bule de café, trabalhando em algo do Foo Fighters. Entre os cafés, eu bebia essa coisa de Tejevas. É tipo um chá, chá de ervas. […] Café quente e chá frio, então eu tomava outro bule, ia ao estúdio com o Vultures e bebia outro bule assim em um dia eu estava bebendo — sem exagero — 3 ou 4 potes de café. Eu chegava em casa do estúdio à uma hora da manhã e dizia: ‘por que não consigo dormir?’ e eu tentava dormir por quatro horas, acordar e fazer tudo de novo.

Perigoso, mas que a gente riu, a gente riu sim.