Jon Snow (Kit Harington) em Game of Thrones
Foto: Divulgação/HBO
 

O final de Game of Thrones deixou fãs de séries ouriçados em todo o mundo.

As escolhas de roteiro por parte dos showrunners e a trajetória rasa que todos os personagens herdaram nas últimas temporadas estão deixando um pessoal revoltado por aí. Mas engana-se quem acha que está sozinho nessa onda de ficar decepcionado com sua série preferida.

A seguir, escolhemos cinco exemplos de como a conclusão pode destruir anos de preparação das séries – ou apenas fechar o caixão para produções já fadadas ao fracasso.

Two and a Half Men

Não era difícil perceber que Two and a Half Men já estava em uma situação difícil mesmo com Charlie Sheen, mas tudo piorou porque a Warner não cancelou a série quando o protagonista saiu. Ashton Kutcher foi, então, contratado como o ator mais bem pago da TV americana na época (US$ 700 mil por episódio), mas não conseguiu chegar nem perto de salvar o programa.

Foram quatro temporadas sofríveis – especialmente as duas últimas – e um final que deixou claro que nem os roteiristas estavam se importando mais. O irônico é que foi tanta galhofa no último episódio que acabou sendo engraçado.

Two and a Half Men e um dos piores finais de séries
Foto: Divulgação

How I Met Your Mother

Nove longas temporadas para resolver o grande mistério de How I Met Your Mother: quem era a mãe dos filhos de Ted? Essa resposta, porém, acabou tendo um peso muito menor do que todos esperavam. Além disso, o casamento de determinados personagens foi usado como a engrenagem para toda a última temporada acontecer e, no fim das contas, ele também não foi tão relevante quanto parecia.

O anticlímax foi geral e as redes sociais não perdoaram o desfecho dos personagens principais.

Elenco da série How I Met Your Mother
Foto: Divulgação

The Sopranos

Para muitos, Família Soprano (The Sopranos) foi a melhor série de todos os tempos. A conclusão do programa, porém, divide o público até hoje. A cena final acaba em um corte seco para uma tela preta e ninguém faz ideia do que acontece com o protagonista.

O criador, David Chase, declarou recentemente que não aguenta mais ouvir sempre a mesma pergunta sobre o que aconteceu com Tony no final da série.

Eu não tenho nenhum interesse em explicar, defender, interpretar ou adicionar qualquer coisa acerca do que foi mostrado ali

“Nós não queríamos ser ousados, juro por Deus. Nós fizemos o que achamos que tínhamos de fazer. Não queríamos explodir a cabeça de ninguém. E ninguém pensou ‘Nossa, isso vai deixá-los incomodados’. Só queríamos entreter. Quem quiser entender, está tudo lá,” finalizou.

Cena final de Sopranos
Foto: Divulgação

Dexter

O final de Dexter nem foi polêmico por ter dividido os espectadores entre quem gostou e quem odiou. O negócio foi tão ruim que absolutamente ninguém curtiu.

Dexter Morgan era um dos personagens mais carismáticos da TV por causa do seu caráter dúbio e da incrível capacidade de cometer atos questionáveis e, mesmo assim, ser amado pelo público. A reta final da série, porém, descaracterizou tudo o que ele havia feito para conquistar aquele status e o resultado foi pavoroso.

LEIA TAMBÉM: com uma reviravolta mixuruca, Game Of Thrones chega ao fim após 8 anos

Dexter no último episódio da série
Foto: Divulgação

Lost

Lost, sim, dividiu fortemente os fãs entre os que gostaram e os que odiaram o final. Uma das maiores febres da cultura pop no século XX, a série tentou cruzar uma fronteira que não agradou bastante gente. Para os mais críticos, as soluções do roteiro se desconectaram do que foi construído anteriormente, além de “esquecer” muitos dos mistérios criados ao longo de tantas temporadas.

Bom ou ruim, este encerramento entrou para a história como um dos finais mais polêmicos de toda a história da TV. Por isso, toda série que termina de forma minimamente questionável é “apelidada carinhosamente” de Nova Lost. Game of Thrones está ocupando esse posto, por enquanto.

Cartaz da série Lost
Foto: Divulgação