Não é de hoje que se fala sobre como o Rock And Roll deixou de ser um gênero popular e deu lugar a tantos outros como Hip Hop, Pop e aqui no Brasil, Sertanejo e Funk.

Não há dúvidas de que existem boas bandas fazendo barulho com suas guitarras, baixos e baterias, mas de um lado temos o mercado e a chamada “indústria da música” priorizando estilos como os citados acima e de outro também encontramos uma enorme resistência dos fãs de Rock que há algum tempo se mostram fechado às novidades, correndo para abraçar os clássicos.

É difícil traçar um mapa completo dos motivos pelos quais o Rock, tão popular em décadas como as de 70, 90 e também no início dos Anos 2000, teve essa queda enorme de popularidade, e com certeza absoluta seriam necessárias longas discussões para entender tudo que acontece hoje em dia e leva a esses números.

Ainda assim, dando uma olhada na parada de Rock da Billboard, a mais importante lista de desempenho comercial da indústria da música, é possível ter um baita panorama sobre o que nos trouxe até aqui.

Parada de Rock da Billboard

Sabemos que desempenho comercial não é necessariamente ligado à qualidade musical mas, feliz ou infelizmente, é o que move a indústria e seus caminhos para atirar em novas direções ou simplesmente continuar produzindo e vendendo o que dá certo.

Se olharmos hoje, 06 de Fevereiro de 2019, para o Top 50 com o que mais se consome de Rock nos Estados Unidos, logo de cara teremos a primeira posição com o Weezer e seu mais recente The Teal Album, um disco de… covers.

Nós já dissemos por aqui que adoramos a iniciativa da banda de Rivers Cuomo de chacoalhar a indústria com várias sacadas foras do padrão, mas é simbólico que um disco com versões de bandas que nem são de Rock (A-Ha, TLC, Michael Jackson entre outras) esteja em primeiro lugar nessa parada, mostrando que boa parte do que guia o Rock And Roll hoje em dia é a nostalgia.

Nostalgia

A nostalgia continua dando as caras quando vemos que uma parte enorme da lista, incluindo posições importantes, é dominada por coletâneas de Greatest Hits de artistas do passado.

Elton John, Queen (três vezes), Journey, Billy Joel, Creedence Clearwater Revival, Tom Petty, Red Hot Chili Peppers, Guns N’ Roses, Bob Seger, Eagles, The Rolling Stones, The Beatles, Lynyrd Skynyrd, Bon Jovi, Simon And Garfunkel, Fleetwood Mac e Foo Fighters são 17 artistas que ocupam 19 posições na parada com coletâneas de maiores sucessos.

Somando o Weezer, isso representa cerca de 40% de toda a principal parada de Rock na Billboard sendo ocupada pelo sentimento de saudades, por canções que marcaram época e tornaram-se gigantescas, ecoando por estádios mundo afora, mas que já foram lançadas há muito tempo. Várias décadas, em diversos casos.

Outro ponto é que além das coletâneas, temos também discos lançados no início das carreiras de bandas que emplacaram hits do Rock no mainstream há um bom tempo e, algumas delas, nem existem mais.

Clássicos de Nirvana, Beatles (duas vezes), Linkin Park, Pink Floyd (duas vezes), AC/DC, Fleetwood Mac e Metallica tomam outras 9 posições da parada e, assim, ultrapassamos a metade dela com músicas que não são novidade há muito tempo.

A Minoria

O que sobra na parada de Rock da Billboard é uma minoria de artistas sendo que os que mais se destacam são aquelas que aliam o Rock And Roll ao Pop.

A banda Imagine Dragons, por exemplo, aparece três vezes, e a dupla Twenty One Pilots está em duas posições da lista. O Bring Me The Horizon e amo, seu novo disco cheio de influências do pop e da música eletrônica, aparece em terceiro lugar, e outro nome que segue a fórmula do Pop/Rock é o Panic! At The Disco, também com duas aparições na lista.

Esse número repetido das mesmas atrações, inclusive, ainda mostra outro fator: além de poucas novidades (se é que bandas com o tempo de carreira de Panic!, BMTH e Twenty One Pilots podem ser chamadas assim), elas estão concentradas, diminuindo a diversidade.

Exceções à regra aparecem na forma do Rival Sons, que chegou à lista com sua mistura de Blues, Rock e Stoner e o Five Finger Death Punch, que faz rock pesado e é praticamente o único representante do gênero na parada. Mumford & Sons, que foi do folk a experimentações com o rock alternativo e o pop/rock, também está lá com seu último disco.

 

Para o final, separamos o Greta Van Fleet, e não foi à toa.

O grupo norte-americano aparece no Top 50 com dois títulos: o disco Anthem Of The Peaceful Army e o EP duplo From The Fires, e parece resumir muito bem o que é o Rock hoje em dia, explicando por que a banda tem sido tão comentada e celebrada.

Tocando hard rock, o Greta se baseia no sentimento nostálgico que toma conta dos fãs mundo afora e repete a fórmula mais conhecida do Rock And Roll: um quarteto de voz, guitarra, baixo e bateria.

Sendo muitas vezes até criticado pela semelhança com bandas como Led Zeppelin, o grupo mostrou ao mundo seus riffs e suas distorções chamando a atenção de uma parcela gigantesca da população que, como a parada da Billboard deixa bem claro, só consome os clássicos.

 

Se isso é benéfico ou não para o gênero, só o tempo dirá. O fato é que o fã de Rock e sua comum falta de vontade de ir atrás de novos sons tem feito com que o estilo seja cada vez mais lembrado pelo seu passado, ao contrário das bases de fãs de outros estilos musicais como o Rap e o Pop, onde temos novos nomes aparecendo e estourando quase que semanalmente.

 

Outras Épocas

Dando uma vasculhada pela parada de Rock, onde é possível procurar por datas específicas, dá pra ver muito bem que esse fenômeno é bem recente e que até há alguns anos a parada era composta em sua maioria por lançamentos.

Em 2015, por exemplo, tínhamos nomes como Jack White, Royal Blood, Ryan Adams, Slipknot, Pink Floyd, Arctic Monkeys e mais na parada. Coletâneas de Greatest Hits? Zero.

Voltando no tempo para a primeira lista disponibilizada no site, em Janeiro de 2006, os únicos Greatest Hits que aparecem por lá são os do blink-182 (!) e do Guns N’ Roses.

Definitivamente é um novo ciclo para o Rock And Roll e os últimos anos têm sido prova disso. Quando ele irá passar? Só o tempo irá dizer, mas ir atrás de novos sons, ir a shows, divulgar os artistas e consumir já é uma baita maneira de fazer a máquina girar.

LEIA TAMBÉM: Fantastic Negrito vem ao Brasil para show em São Paulo

 

Playlist

Em tempo, se você quiser conhecer muita coisa boa e nova, ao mesmo tempo em que ouve seus clássicos, siga a playlist oficial do TMDQA!

Por lá a gente sempre atualiza nossa seleção com novos nomes ao mesmo tempo em que celebra canções consagradas.