Foto: Divulgação
 

Uma das bandas mais consagradas do Ska-punk está retornando ao Brasil pela quarta vez em mais uma turnê sul americana.

Less Than Jake chega ao nosso continente para promover o seu último lançamento, o disco Sound The Alarm (lançado no ano passado).

O grupo da cidade de Gainesville, Flórida fará 5 shows pelo Brasil em Maio no Rio de Janeiro (23/05), Curitiba (24/05), Criciúma (25/05), São Paulo (26/05) e Porto Alegre (27/05). A banda ainda passa pela Argentina para um show em Buenos Aires (29/05) e por Santiago do Chile (30/05) para o encerramento da turnê, produzida pela Solid Music Entertainment.

Enquanto o quinteto não chega aqui para dar o pontapé inicial nessa maratona de bate-cabeças ao som de trombone e saxofone, nós conversamos com o baterista (e principal compositor da banda) Vinnie Fiorello sobre experiências passadas no Brasil, arte de rua, participações em festivais gringos, músicas novas do Less Than Jake e o futuro da banda na estrada. Confira abaixo:

TMDQA: Fala Vinnie! Enquanto a quarta turnê do Less Than Jake pelo Brasil se aproxima, você tem alguma história especial, experiências bizarras ou lembranças interessantes das suas  últimas passagens por aqui pra compartilhar com a gente?

Vinnie: A primeira vez que nós estivemos aí o horário dos shows era bem tarde e o nosso horário de encontro no lobby do hotel na manhã seguinte era cedo demais, então eu lembro de não dormir muito ao longo da viagem, mas o que se destacou demais foram as pessoas pulando do mezanino para a pista e fazendo mosh direto do ombro das outras pessoas no Rio. Foi uma época absurdamente louca que ficou pra sempre marcada na minha memória. Eu também amo arte de rua e poder ver todas as obras dos Gêmeos nas ruas me deixou em êxtase. A grande quantidade de beleza e arte interessante nas ruas explodiu o meu cérebro. Enquanto eu penso nisso agora, também lembrei das crianças se agarrando na parte traseira dos ônibus públicos! Elas ficavam só pegando carona no para-choque e na janela traseira e viajando pelas ruas.

TMDQA: Nós nos lembramos de um incidente (2007) quando vocês tocaram em um clube pequeno, quente e suado em Curitiba por somente 20 minutos. Aparentemente vocês estavam tomando vários choques ao longo do show. Você se lembra do que aconteceu aquele dia?

Vinnie: Eu lembro desse show e o palco estava molhado e a fiação completamente precária. O choque foi tão forte que fez o nosso técnico de guitarra desmaiar! A situação estava extremamente perigosa e por mais que nós não quiséssemos parar de tocar, nós também não queríamos nos machucar ou morrer eletrocutados. Foi um saco para nós viajar até lá para a turnê, isso acontecer e nós acabamos decepcionando os fãs que foram até aquele show.

(Nota do editor: na época o show estava marcado para um lugar, mudou para outro em cima da hora e, aparentemente, ele ficou pequeno demais para a banda. O baixista Roger, que é filho de brasileiros, chegou a falar em Português, “Da próxima vez coloca a gente em um lugar que cabe”.)

TMDQA: Vocês têm a vantagem de excursionar por aqui com um local (o baixista Roger Manganelli, natural de Porto Alegre/RS). Ele já foi útil ajudando vocês a se localizarem por aqui, na hora de conhecer novas pessoas ou ao visitar locais no Brasil diferentes daqueles clichês turísticos que a maioria dos produtores levariam vocês pra conhecer normalmente?

Vinnie: Por mais que o Roger fale o idioma, ele não é local. Então enquanto algumas coisas são mais fáceis de serem compreendidas e traduzidas através do filtro do nosso amigo e companheiro de banda, você ainda tem que confiar nos fãs e produtores para te descolarem boas refeições e rolês legais.

TMDQA: De acordo com o Spotify, o Brasil é o 3º país no mundo que mais ouve as músicas do Less Than Jake na plataforma (Estados Unidos e Inglaterra são os 2 primeiros públicos mundiais). Nós temos muitas bandas nacionais que tocam SKA, então o estilo é bem familiar para nós. Você acha que esse gênero de música tem um apelo maior em países tropicais, com clima quente e toda aquela vibe de verão e calor?

Vinnie: Bom, a Inglaterra não é nada tropical mas eu acho que é mais o foco na música em todos esses países que ajuda as bandas. Música é uma parte importante da vida no Brasil e na Inglaterra e é essa atitude que permite que as bandas sejam a trilha sonora das vidas das pessoas.

TMDQA: Falando sobre praia, vocês acabaram de tocar no festival Back To The Beach com um line-up de respeito (The Mad Caddies, Goldfinger, Sublime, The Aquabats, Suicide Machines). Essa grande reunião de bandas de ska-punk já aconteceu alguma vez antes? Como foi tocar no evento e como é a relação do Less Than Jake com os outros artistas que participaram do festival?

Vinnie: Nós acabamos de tocar lá e foi uma coisa muito única e verdadeira. O festival vendeu mais de 30.000 ingressos ao longo do fim de semana no total. Foi muito bom ver amigos e fãs de longa data. Muita história estava presente naquele palco e foi incrível ser parte disso.

TMDQA: Vocês também farão parte do lineup da última edição itinerante da Vans Warped Tour. Essa turnê foi muito importante para estabelecer uma cena do punk/hardcore ao longo dos anos e colocou muitas bandas no holofote. Como estão as expectativas para essa última viagem? Afinal de contas, vocês são veteranos da Warped.

Vinnie: Nós tocamos mais vezes na Warped Tour do que qualquer outra banda. É um festival extremamente importante que vai deixar um vazio na cena musical dos Estados Unidos. Eu acho que vai ser uma turnê muito divertida e muito nostálgica ao mesmo tempo. Estamos bem ansiosos por ela.

TMDQA: Você já disse em outras entrevistas que o último lançamento do Less Than Jake, Sound The Alarm (2017) “não é exatamente um disco completo e é mais extenso que um EP tradicional.” – por que vocês decidiram fazer um disco mais conciso? O resultado ao lançar discos mais curtos é melhor do que um álbum completo? Vocês pretendem lançar faixas bônus ou b-sides que não entraram para o corte final do disco no futuro?

Vinnie: Nós escrevemos várias músicas mas percebemos depois que estávamos rodando em círculos musicalmente ao redor de algumas ideias e decidimos afiar um número menor de músicas e fazer o sentimento ao redor delas e do lançamento parecer mais imediatista. Nós consideramos que nós não necessariamente precisávamos seguir as regras tradicionais de um lançamento e no fim nós podemos lançar músicas em todas as extensões e formatos que quisermos.

TMDQA:  Vocês circularam por gravadoras major indie ao longo do ano, tendo os seus álbuns lançados através da Capitol Records, Warner Music/Sire Records, e pelos últimos 10 anos vocês têm lançado suas músicas através do seu próprio selo, a Sleep It Off Records. Ao mesmo tempo, o Sound The Alarm foi lançado através da Pure Noise Records. Em qual situação você acha que o Less Than Jake se encaixa melhor e quais foram as maiores diferenças em trabalhar com gravadoras e selos tão variados?

Vinnie: Todas as situações encaixaram por razões diferentes em épocas diferentes, então o que fazia sentido em 1996 não combina necessariamente com a nossa banda agora em 2018.

TMDQA:  Uma das minhas músicas favoritas desse último disco é a “Years Of Living Dangerously”. Existe um sentimento de nostalgia e de se sentir orgulhoso por onde vocês estão agora nesse momento em todos os sons de Sound The Alarm. O que estava passando pela sua mente durante o processo de gravação e como você vê o Less Than Jake agora em comparação com o Less Than Jake do começo, nos anos 90?

Vinnie: Nós estávamos gravando esse disco no estúdio do Roger em Gainesville (Florida), então realmente nós só relaxamos e aproveitamos o nosso tempo pensando nas músicas e nas letras, mas também mantivemos esse relógio no plano de fundo como um lembrete para garantir que nós completássemos o trabalho de forma (meio que) rápida.

TMDQA: O que o futuro reserva pro Less Than Jake? Vocês planejam lançar músicas novas em 2018?

Vinnie: Não temos planos para músicas novas, mas para muitas turnês que foram anunciadas e muitas outras que ainda serão! Música nova só em 2019!

TMDQA: Nosso site se chama “Tenho mais discos que amigos” em português, então eu tenho que te perguntar: você tem mais discos que amigos? Quais são os discos que você mais está ouvindo agora?

Vinnie: Eu tenho mais ou menos 5.000 discos, então eu definitivamente tenho mais discos que amigos! Ultimamente eu tenho ouvido Jeff Rosenstock, Jukebox Romantics, Red City Radio, o novo do Pennywise, Willie Nelson, discos antigos do Slayer e muito reggae das antigas!

TMDQA: Você quer deixar uma mensagem para os fãs brasileiros que leem o nosso site?

Vinnie: Nós mal podemos esperar para tocar no país fantástico de vocês de novo! Estamos ansiosos por dias incríveis com os nossos grandes amigos brasileiros.

Pôster oficial da turnê sul americana do Less Than Jake.

 

 

 

 

 

 

 

 

As bandas brasileiras escaladas para abrir a festa com o Less Than Jake são a Audere (para a data de Porto Alegre), Phone Trio (para a data do Rio de Janeiro) e o Skatula (que abre o show em São Paulo).

Ingressos para os shows e informações adicionais sobre as datas podem ser encontradas no site Pixel Ticket.

 
 
Compartilhar