Josh Homme no Bedtime Stories da BBC
Foto: Divulgação/BBC
 

Quando Josh Homme anunciou que Mark Ronson iria trabalhar no novo álbum do Queens of the Stone Age, muitos fãs viraram a cara.

Embora não seja necessariamente preso ao estilo, Ronson havia deixado sua marca ao trabalhar com vários discos importantes da música pop, tendo produzido nomes como Bruno Mars e Lady Gaga. Por isso, quando Villains foi finalmente lançado, vários fãs resolveram reclamar bastante da nova fase da banda.

Agora, em uma nova entrevista para o Current, Homme falou diretamente sobre o assunto. Quando perguntado se havia se surpreendido com as críticas, vindas de fãs até mesmo da época do Kyuss, primeira banda do músico, Homme foi direto:

Não, eu estava esperando isso. Seria seguro achar que eu saberia o que iria acontecer. Eu acredito que não existe ‘estática’ na vida. Ou você está crescendo, ou morrendo. E eu sinto que, se eu estou me desafiando e se estamos desafiando um ao outro, nós estamos dando um passo na direção certa. O resultado disso é que todo fã que curte nosso som deveria esperar esse soco no peito, porque nós fazemos isso uns com os outros antes. Parte de mim acha que toda vez que lançamos um álbum novo, nós perdemos uns 20% dos fãs. Aquele 20% que diz: ‘O som deles mudou! Cadê a minha banda de antigamente?’ Já dá pra supor essas coisas. Eu disse para o Ronson, ‘se 15% das pessoas não te odiarem, você é um bosta’. Ele disse: ‘Eu estou tentando elevar isso pra 40%’.

Você pode conferir a entrevista na íntegra clicando aqui. Vale lembrar que Villains entrou na nossa lista dos 50 melhores discos internacionais de 2017.