(What's the Story) Morning Glory?-20 anos
 

Em 1995 a banda britânica Oasis resolveu não esperar muito tempo desde a sua estreia bem sucedida com o álbum Definitely Maybe para continuar na crista da onda das paradas do rock.

Para tanto, começou a trabalhar no seu segundo disco de estúdio com o produtor Owen Morris (The Fratellis, Ash, The Verve) auxiliando Noel Gallagher na condução do trabalho, que acabou utilizando as bases da estreia para moldar uma nova sonoridade recheada de grandes refrães e canções encorpadas.

Nascia ali (What’s The Story) Morning Glory?, disco que foi fundamental para os anos 90 e trouxe hits como “Wonderwall”, “Don’t Look Back In Anger” e “Champagne Supernova”, só para citar três.

Formação

Vale destacar os papeis dos músicos nesse disco.

Noel Gallagher é, sem dúvidas, a mente brilhante por trás do álbum e além da produção também foi responsável por guitarras, baixos e teclados, sem contar que cantou em “Don’t Look Back In Anger” e “Bonehead’s Bank Holiday” (da versão em vinil).

Liam Gallagher gravou os vocais, Paul “Bonehead” Arthurs também tocou guitarras e teclados, Paul McGuigan ficou com o baixo e Alan White tocou bateria em todas as músicas menos “Some Might Say”, a cargo de Tony McCarroll, expulso do grupo.

Quem também realizou participações especiais foi Paul Weller (The Jam) em “Champagne Supernova” e “Untitled”, e o time estava fechado.

As músicas são praticamente todas compostas por Noel e a maioria dos integrantes do grupo estava lá na fundação do Oasis, o que acabou rendendo um conjunto mesmo que existisse a figura clara de um líder na forma do produtor, guitarrista, vocalista, tecladista e tudo mais.

O disco foi gravado, efetivamente, por uma banda, e isso é um dos grandes motivos para que ele tenha saído da forma que saiu.

 

Hits e estilo

O segundo disco do Oasis tem a cara do britpop, mas também se apega a diversos elementos do bom e velho rock and roll.

Guitarras cheias, refrães pegajosos e um vocal que alterna melodias com provocações deram o tom de um disco longo, que tem 50 minutos de duração mas é daqueles que passa muito rápido em função de seus grandes hits.

Das 12 músicas, seis foram transformadas em single, e outras que não foram exploradas comercialmente têm grande apelo, como “She’s Electric”. Se contarmos que outras duas são apenas vinhetas de 40 segundos, o disco todo é praticamente uma sequência de grandes canções.

 

“Wonderwall”

Além dos outros grandes hits, o disco ainda traz aquela que talvez seja a música mais conhecida do Oasis, “Wonderwall”.

A balada foi composta por Noel Gallagher, que garante que a letra fala sobre um amigo imaginário que “irá chegar e te salvar de você mesmo.”

Essa explicação veio depois que a imprensa revelou que o som seria sobre uma namorada de Noel, Meg Matthews, da qual ele se separou.

O som tornou-se um dos mais conhecidos do planeta desde o seu lançamento e favorita dos fãs em todos os shows.

Shows, aliás, que começaram a ter uma nova versão da canção a partir do início dos anos 2000, quando Noel admitiu ter sido influenciado por uma cover de Ryan Adams para “Wonderwall” ao mudar sua abordagem.

 

Capa

Outra característica marcante do álbum é a sua capa.

A foto foi tirada no badalado bairro de SoHo, de Londres, na Berwick Street. Nela é possível ver alguns ícones da música na cidade, como a loja de discos Reckless Records.

Lá, hoje em dia, há inclusive uma cópia da capa colada na vitrine com a frase “You Are Here”, como a gente contou por aqui.

Os dois homens na capa são o DJ Sean Rowley e Brian Cannon, que fez o design da arte.



Booking.com

 

Recepção e legado

Morning Glory foi o grande responsável por transformar o Oasis de promessa indie, status alcançado com o primeiro álbum, em uma das maiores bandas de rock do planeta.

Isso, aliado ao fato de que os irmãos Gallagher já utilizavam bastante a mídia para suas polêmicas, catapultou a banda e a expôs das mais diversas formas, tanto musicalmente quando jornalisticamente.

O disco entrou em diversas listas de melhores álbuns de todos os tempos e em 2010 foi premiado no BRIT Awards com uma honra muito especial: levou a escolha do público como melhor disco entre todos que já haviam vencido a categoria de uma das premiações mais importantes do Reino Unido.

Foram vendidas mais de 4.600.000 cópias do álbum no Reino Unido e 4 milhões nos Estados Unidos.

(What’s The Story) Morning Glory? foi lançado em 02 de Outubro de 1995.

     
 
Compartilhar