O último domingo (13) marcou o 19º ano sem Tupac Shakur, assassinado em circunstâncias até hoje incertas. Para homenageá-lo, Kendrick Lamar, um dos rappers da atualidade que mais beberam da fonte de Shakur (incluindo incrível tributo na faixa “A Mortal Man”, presente em seu disco mais recente, o aclamado To Pimp a Butterfly), redigiu um emocionante relato na página oficial do músico falecido em 1996.

“Eu tinha 8 anos quando te vi pela primeira vez. Não posso descrever como me senti naquele momento. Foram muitas emoções. Eu estava muito animado, cheio de alegria e bastante apreensivo. 20 anos depois posso entender exatamente o que era aquele sentimento: inspiração”, ele escreve. “As pessoas que você tocou naquele breve encontro tiveram suas vidas modificadas para sempre. Eu disse a mim mesmo ‘eu quero ser a voz para os homens um dia’ e quem diria que falei alto o suficiente para você ouvir. Obrigado, K.L”, finaliza.

Lamar contou o episódio em uma edição da revista Rolling Stone. Na ocasião, ele estava nos ombros de seu pai e presenciou Tupac e Dr. Dre gravando o vídeo para a faixa “California Love”, retirada do álbum All Eyez On Me (1996), no Compton Swap Meet, mesmo local onde anos depois Lamar gravaria uma cena de seu clipe “King Kunta”. “Eu gostaria de dizer que eles estavam num Bentley branco e que policiais de moto estavam tentando organizar o tráfego naquela área e quase arranharam o carro. Aí Pac levantou do banco do passageiro e gritou ‘que porra é essa?’ para um dos caras, exatamente como em suas músicas. Ele nos deu o que queríamos”, conclui.

O texto, na íntegra, pode ser lido ao clicar neste link.