Cena do clipe de
 

Após o aclamado sucesso do seu disco de estreia, SOUR, acredita-se que Olivia Rodrigo precisou pagar uma enorme quantia de royalties para alguns artistas por creditá-los retroativamente em algumas de suas músicas mais famosas.

Há poucos dias, a jovem cantora incluiu Hayley Williams e Josh Farro, do Paramore, nos créditos da composição do seu hit “good 4 u”, depois de muitas pessoas apontarem semelhanças entre a faixa e o single de 2007, “Misery Business”.

De acordo com o BuzzFeed News, a equipe da cantora já havia entrado em contato com Williams e Farro lá em Maio, quando o álbum foi lançado e os fãs passaram a relacionar as duas músicas. A situação se resolveu recentemente, como te contamos por aqui, e parece ter resultado em um pagamento de cerca de US$1,2 milhão à dupla, mais de R$5 milhões.

Porém, os integrantes do Paramore não foram os únicos artistas a influenciarem diretamente o trabalho da cantora californiana.

Olivia Rodrigo e os pagamentos de royalties

Ainda segundo o portal, em Julho, Olivia incluiu Tylor Swift, Jack Antonoff e St. Vincent nos créditos da música “deja vu”. Isso ocorreu por causa da interpolação da música “Cruel Summer”, lançada por Swift em seu álbum Lover, de 2019 — o termo é usado quando partes de uma composição são regravadas e transformadas em algo novo.

Outro exemplo de interpolação encontrado no álbum de Rodrigo foi com a faixa “1 Step Forward, 3 Steps Back” que recria a melodia de piano da canção “New Year’s Day”, de 2017, e dá crédito a Taylor e Antonoff.

Só por conta disso, o portal prevê que Taylor já lucrou cerca de US$411 mil, enquanto Antonoff levou por volta de US$346 mil. Annie Clark, a St. Vincent, deve ter um pouco menos já que está apenas em uma das faixas: cerca de US$65 mil.

Daqui pra frente, acredita-se que os royalties de “good 4 u” serão divididos meio a meio entre a dupla Williams e Farro e a cantora, que por sua vez divide sua parte com o parceiro de composição Daniel Nigro. No caso de “deja vu”, o trio Swift, Antonoff e Clark fica também com 50%, e Rodrigo e Nigro dividem a outra metade.

A única diferença fica em “1 Step Forward, 3 Steps Back”, que tem Olivia como única compositora. Portanto, ela fica com 50% enquanto Swift e Antonoff dividem os outros 50%.

Plágio ou inspiração?

Um artista que não se incomodou com uma possível cópia do seu trabalho foi Elvis Costello, que levou numa boa a “acusação” de plágio entre a faixa “Brutal” de Olivia e sua música “Pump It Up”, como te falamos mais por aqui.

Na última semana, Adam Levine (Maroon 5) foi outro que se manifestou a favor da cantora, defendendo Rodrigo das acusações de cópia de outros artistas, descrevendo a ação como uma “área cinzenta” na indústria da música.

E aí, o que você acha?