Ringo Starr no programa de Howard Stern
Reprodução/YouTube
 

Ringo Starr desistiu de processar os fabricantes de uma linha de brinquedos sexuais que recebeu um nome semelhante ao seu, Ring O.

Em 2019, os advogados do ex-baterista do Beatles entraram com uma ação judicial contra a empresa contestando o nome do produto e alegando que a reputação do artista poderia ser prejudicada se o nome fosse registrado como marca nos Estados Unidos, onde o nome de Starr já é uma marca registrada.

De acordo com o Loudersound, os documentos que foram apresentados anteriormente pela equipe jurídica do baterista diziam que:

Os consumidores provavelmente acreditarão que o mais novo empreendimento de Ringo Starr são brinquedos sexuais – e esta é uma associação que ele não quer.

Ainda segundo os representantes de Starr, qualquer conexão entre os brinquedos, que prometem aumentar a ereção, e o artista, poderiam manchar seu “nome, semelhantes e marca”.

Ringo Starr e brinquedos sexuais

Agora, a disputa chegou ao fim após o ex-Beatle e a Pacific Holdings and Momentum Management entrarem em um acordo.

A empresa assumiu o compromisso de “evitar qualquer atividade que possa levar à confusão” entre sua linha de produtos e o artista.

O acordo determina que os fabricantes só podem usar o nome para brinquedos voltados ao público adulto e em sprays, e eles devem colocar um espaço entre a palavra “ring” (“anel”) e a letra “O”.