Robert De Niro
Foto por Josh Jensen/Flickr
 

Desde o final de 2018, quando se separou da sua ex-mulher, Grace Hightower, Robert De Niro encara uma batalha judicial cheia de capítulos.

O mais recente aconteceu em uma corte americana na última sexta-feira (16), quando a advogada do ator, Caroline Strauss, afirmou que De Niro está trabalhando em “ritmo insustentável” para pagar o divórcio.

Segundo ela, para arcar com os custos do processo e também da pensão da ex, o astro de clássicos como Touro Indomável (1980) precisa “pegar qualquer projeto que aparece” e “trabalha seis dias por semana e 12 horas por dia”.

“Sr. De Niro está com 77 anos,” disse Krauss durante uma audiência virtual referente ao divórcio.

Mesmo que ele ame seu trabalho, ele não deveria ser obrigado a este ritmo alucinado porque ele precisa. Quando isso acaba? Ele pode ficar doente amanhã e então a festa acabou.

Caroline destaca que De Niro sofreu um duro golpe financeiro por causa da pandemia da COVID-19, já que sua rede de restaurantes japonês Nobu e também The Greenwich Hotel, da qual ele participa, ficaram fechadas totalmente ou parcialmente por meses durante a crise.

Aumento de pensão

Grace Hightower solicitou um aumento de pensão de US$ 50 mil a US$ 100 mil (o que representa aproximadamente R$ 550 mil).

Enquanto o imbróglio segue na Justiça, Robert De Niro está atualmente filmando o novo longa de Martin Scorsese, Killers of the Flower Moon.

O vencedor de dois Oscars também está no elenco de dois filmes em pré-produção (“Armageddon Time” e “After Exile”) e outros dois em pós-produção (sendo um deles “Wash Me in the River”), além de ter sido escalado para o novo longa de Jonathan Jakubowicz.

Parece que a advogada de De Niro tem razão.

 
 
Compartilhar