Público acompanha show de Céu e Boogarins no Rock in Rio
Foto: Lucas Dumphreys/TMDQA
 

Parece que o público de festivais no Reino Unido já se sente confortável para voltar a frequentar eventos ao vivo mesmo ainda diante da ameaça da COVID-19.

Um estudo encomendado pela empresa Festicket, que trabalha em parceria com festivais, indicou que 90% das pessoas que costumam assistir a apresentações de música topariam voltar aos festivais já em 2021.

É esperado que haja o retorno de shows presenciais por lá nos próximos meses, já que o governo britânico planeja afrouxar as medidas de restrição contra o coronavírus a partir de 21 de Junho.

Dessa forma, festivais como Reading & Leeds, TRNSMT e All Points East se programam para retornar ainda neste ano, com a adição do “passaporte covid”.

Os dois primeiros, por exemplo, estão agendados para os dias 27, 28 e 29 de Agosto, mas por enquanto não foi especificado no que consistiria este passaporte relacionado à COVID-19.

A programação de Reading & Leeds, festivais que acontecem simultaneamente nas cidades de mesmo nome com o mesmo line-up alternando datas, conta com shows de Stormzy, Liam Gallagher, Post Malone e Queens of the Stone Age.

O estudo

A pesquisa ouviu 140 mil fãs de música e descobriu que 79% dos participantes sentem segurança para comparecer a um grande evento durante o verão do Reino Unido, que acontece entre os meses de Junho e Agosto.

A porcentagem se torna ainda maior quando foi perguntado a estas pessoas se elas iriam a algum festival até o final do ano. Dentro deste contexto, o nível de aprovação subiu de 79% para 90%.

Os resultados do estudo também apontaram que 82% dos entrevistados disseram que planejam ir a mais de um festival ao vivo em 2021 e mais da metade afirmaram que comprariam ingressos até mesmo para eventos fora do território do Reino Unido.

Apenas 7,9% dos participantes da pesquisa disseram que só se sentiriam confortáveis caso todos estivessem vacinados antes de comparecer aos eventos. A Festicket também atestou que 58% consideram necessários cuidados extras com a higiene e limpeza dos locais que receberão os os shows em 2021

O CEO da Festicket, Zack Sabban, afirmou que “está claro que houve uma mudança de perspectiva no Reino Unido desde o mês passado”.

Shows no Brasil

Enquanto recebemos essas notícias do mundo todo, assistimos a casas de shows fechando em todo Brasil, como foram os casos recentes da independente Casa do Mancha e do gigantesco UnimedHall.

No ritmo que o governo federal tem planejado a campanhas de vacinação, será que teremos a mesma sorte dos britânicos tão cedo?