Integrante do Mumford & Sons elogia livro de jornalista de extrema-direita
Reprodução / Instagram | Reprodução / YouTube
   

O tocador de banjo Winston Marshall, da banda Mumford & Sons, foi criticado nas redes sociais após elogiar o jornalista conversador americano Andy Ngo, associado à extrema-direita.

No último sábado (6 de Março), o músico utilizou sua conta do Twitter para parabenizar Ngo por seu “importante” livro sobre o “plano radical da ANTIFA para destruir a democracia”.

Parabéns Sr. Andy Ngo. Finalmente tive tempo para ler seu importante livro. Você é um homem corajoso.

Com a repercussão negativa, Mashall decidiu deletar seu tweet.

Andy Ngo

Andy Ngo passou a ganhar destaque na extrema-direita após publicar reportagens sobre os grupos de esquerda.

Críticos do jornalista apontam que ele tem o costume de compartilhar conteúdos editados e enganosos com o intuito de passar ao público uma imagem negativa dos ativistas de esquerda, como se eles fossem pessoas violentas. Ao mesmo tempo, ele minimiza atitudes semelhantes realizadas por pessoas da direita (via CoS).

Além disso, Ngo foi acusado de estar associado a grupos de extrema-direita como os Proud Boys e o grupo de supremacia branca Patriot Prayer, com o qual ele foi visto em um vídeo planejando um ataque aos membros da ANTIFA, movimento de grupos antifascistas.

Em seu novo livro, que foi elogiado por Marshall, o jornalista minimiza o assassinato da ativista Heather Heye por supremacistas brancos em Charlottesville.

Ele ainda se refere aos Proud Boys como uma “fraternidade pró-Trump” e apontou que o comício “Stop the Steal” que ocorreu em Novembro do ano passado em Washington foi “pacífico e comemorativo”.

O conservador aproveitou o conteúdo do livro para comparar os ativistas de esquerda a uma “gangue de saqueadores”, que tem como missão “destruir o estado-nação, a América em particular”.

Mumford & Sons e política

Muitos fãs da banda britânica de folk se revoltaram com o elogio feito por Winston Marshall. Um seguidor declarou que por causa da posição do músico, ele terá que esquecer a banda.

Oh merda, uma banda decente que eu tenho que limpar da memória. O banjoísta do Mumford and Sons confessa ser um idiota de extrema direita nazista elogiando Ngo.

Esta foi a segunda vez que membros da banda foram relacionados a uma polêmica política.

Em 2018, Marshall junto com o tecladista Ben Lovett e o baixista Ted Dwane apareceram em uma foto ao lado de Jordan Peterson, um psicólogo que se tornou ídolo da extrema-direita pelas suas opiniões sobre privilégio branco, identidade de gênero e feminismo.