Donald Trump e Madonna
Fotos Stock via Shutterstock
   

O segundo impeachment de Donald Trump, agora não mais presidente dos EUA, foi julgado pelo Senado americano e o magnata foi absolvido.

Em um esforço para reverter a situação e favorecer o político, seus advogados recorreram a alguns vídeos bem inusitados — incluindo imagens de Madonna e Johnny Depp. A intenção, segundo eles, foi de mostrar que os Democratas usam uma linguagem provocativa e incitam ódio, criando uma retórica de “luta”.

David Schoen, um dos advogados de Trump, acusou a Câmara de ter editado um vídeo do ex-presidente para deturpar seu discurso. O vídeo mostraria Donald incentivando a invasão ao Capitólio no dia 6 de janeiro.

No vídeo de “rebate” (via CoS), nomes como Joe Biden, Nancy Pelosi e Elizabeth Warren aparecem. Já os artistas também serviram como “prova”, e em um clipe, Depp apareceu dizendo: “Quando foi a última vez que um ator assassinou um presidente?” Dias depois, o ator se desculpou pelas palavras.

Já Madonna aparece dizendo que gostaria de explodir a Casa Branca, mas que não o faria pois “não vale a pena” — essa segunda parte foi excluída do vídeo da defesa de Donald Trump.

Até agora, nenhum dos artistas se pronunciou sobre o caso.