Stevie Wonder
Foto de Stevie Wonder via Shutterstock
 

A última segunda-feira (18) celebrou o dia de Martin Luther King nos EUA, e Stevie Wonder aproveitou a ocasião para relembrar o ícone e clamar pela justiça racial no país com a chegada da nova administração, comandada por Joe Biden, no dia 20 de Janeiro.

Conforme conta a Billboard, o lendário músico relembrou seu encontro com King quando tinha cerca de 14 anos e o chamou de “verdadeiro herói e inspiração” antes de declarar que, mesmo depois de tanto, nada parece ter mudado:

É doloroso saber que a agulha não se moveu nem um pingo. Você não acreditaria na falta de progresso. Me deixa fisicamente mal. Eu fico mal que a verdade esteja lutando para ser ouvida e defendida. Aqueles que promovem mentiras e falsas verdades precisam ser responsabilizados. É a única forma de seguirmos em frente.

Para isso, Wonder pede que Biden crie uma comissão da verdade quando o assunto é desigualdade, para que seja “estabelecida a verdade da desigualdade” no país. Ele explica, relembrando MLK:

Sem a verdade, não podemos ter responsabilização. Sem responsabilização, não podemos ter perdão. Sem perdão, não podemos curar. Nesse dia, um dia em sua honra, eu prometo ter a coragem de dizer o que eu vejo e reconhecer o que eu ouço. Em seu espírito, eu clamo por todos aqueles no Senado para que falem a verdade do que sabem, do que podem fisicamente ver. E comecem os passos de responsabilização, perdão e aí cura.

Você pode ver o vídeo de Stevie ao final da matéria.

Stevie Wonder e outros artistas pedindo justiça racial

Outras estrelas da música também se pronunciaram na mesma intenção, em uma iniciativa comandada por Alicia Keys e que inclui nomes como Mary J Blige TI. O projeto veio acompanhado de um clipe que mostra 17 maneiras nas quais pessoas negras são assassinadas nos EUA.

Alicia e companhia estabelecem também um prazo de 100 dias para que Biden e Kamala Harris façam algo sobre isso, e citam nominalmente um projeto da deputada Barbara Lee (da Califórnia) que se chama Comissão da Verdade, Cura Racial e Transformação dos EUA. A ideia seria “reconhecer apropriadamente, memorializar e ser um catalista para o progresso, incluindo na direção de eliminar permanentemente desigualdades raciais persistentes”.

Você também pode ver o vídeo dos outros músicos abaixo ou clicando aqui.