Charles Manson em Junho de 2016
 

Leslie Van Houten, integrante da seita de Charles Manson, já condenada à morte, pode ganhar liberdade condicional nos próximos meses, segundo o Mirror.

A mulher, hoje com 70 anos, participou do assassinato dos donos de um supermercado em Los Angeles, em agosto de 1969, na noite seguinte à morte da atriz Sharon Tate, executada pelo mesmo grupo. Ela, porém, não participou desse crime.

Segundo a publicação, o caso está em revisão e deve ter uma decisão em 120 dias por parte do governador da Califórnia, Gavin Newsom. Essa é a quarta vez que a defesa de Houten entra com um pedido de liberdade condicional à assassina, que tinha 19 anos quando cometeu o crime.

Leslie Van Houten e Charles Manson

Leslie Van Houten integrava o que se chama de a Família Manson, liderada por Charles Manson, famoso após o massacre na casa da atriz grávida de oito meses, Sharon Tate. No dia do crime, ela e mais quatro pessoas foram assassinadas brutalmente.

O crime cometido por Houten ocorreu no dia seguinte ao de Sharon Tate e teve como vítimas Leno e Rosemary LaBianca, um casal que foi assassinado, teve as partes de seu corpo cortadas e seu sangue espalhado pelas paredes do supermercado que eram donos.

Sua pena de morte foi transformada em prisão perpétua depois que uma decisão do Supremo Tribunal da Califórnia invalidou todas as penas de morte no estado antes de 1972. Na época, Leslie Van Houten tornou-se a mulher mais jovem condenada à morte.

O líder da seita, Charles Manson, morreu em 2017 de causas naturais enquanto também cumpria prisão perpétua. Um pouco de sua história é contada no filme Era Uma Vez Em… Hollywood. Assista ao trailer: