Brian May, do Queen, em 2017
Foto de Brian May via Shutterstock
 

Brian May, o icônico guitarrista do Queen, está cada vez mais convicto de que a evolução da humanidade e o veganismo estão relacionados.

Recentemente, May se pronunciou a respeito da pandemia do novo coronavírus e relacionou a doença ao consumo de carne. Baseado nas principais suspeitas da origem do novo vírus, ele disse que comer animais foi quem nos colocou nesta situação e “nos deixou de joelhos”.

Ainda não existe um estudo conclusivo sobre a origem da difusão da COVID-19. No entanto, as principais teorias apontam para os mercados de animais vivos bastante populares na cidade de Wuhan, na China. Estes mercados são conhecidos lá fora como “wet markets”.

Para a NME, Brian disse que se estivermos dispostos a olhar para esta situação com profundidade, deveremos repensar nossa alimentação:

Existe um problema central aqui. Esta pandemia parece ter vindo de pessoas comendo animais e está cada vez mais difundida a informação de que comer animais não é a melhor coisa para a nossa saúde.

Veganismo e coronavírus

O músico se tornou vegano há pouco tempo. Entretanto, ele diz que “flerta” com a causa há tempos e que agora falará mais a respeito:

Eu aceitei o Desafio Vegan em janeiro e estou há três meses vegano. Para mim era um experimento, porque há muito tempo eu tenho feito campanha a favor dos animais, mas me atrapalhava o fato de que eu ainda os comia ocasionalmente.

Me tornar vegano foi apenas uma decisão, e eu não tenho falado muito sobre isso. Mas agora nós temos visto os efeitos de como comer animais têm nos deixado de joelhos como espécie. Eu acho que é hora de reexaminar nosso mundo de um jeito que não abuse de outras espécies.

Brian May não é o único a defender a alimentação sem carne e esperar que o coronavírus sirva de alerta. Há não muito tempo, Paul McCartney também se pronunciou a respeito e não mediu palavras ao falar sobre a China. Confira aqui.

 
 
Compartilhar