Moises
Reprodução/moises.ai
Assista ao novo clipe de Bruno Chelles, Camila Zasoul e Natalhão!  

A cultura de sampling tem sido cada vez mais presente na música contemporânea. No entanto, muitos artistas ainda têm dificuldade em separar as faixas de voz e de instrumentos.

Para evitar que ótimas ideias sejam descartadas por isso, o Moises é a grande solução. Desenvolvida pelo brasileiro Geraldo Ramos, a ferramenta facilita a vida dos músicos amadores e profissionais. Ela utiliza uma tecnologia da Deezer, mas permite que pessoas sem conhecimento de programação possam obter os mesmos resultados.

O próprio Geraldo explica (via G1):

O único problema é que [a ferramenta da Deezer] não foi feita para ser usada por pessoas que não sejam da área de tecnologia, já que para funcionar, o usuário precisa instalar várias bibliotecas da linguagem de programação Python e outros programas. Com isso em mente, eu tive a ideia de criar um serviço simples que faz esse trabalho de processar os dados do algoritmo do Deezer remotamente, por meio da nuvem. O resultado foi esse projeto, feito em um fim de semana.

Atualmente morando em Salt Lake City, Geraldo é formado em publicidade por uma universidade de João Pessoa, na Paraíba, mas aprendeu engenharia de software sozinho. Depois de 10 anos atuando em uma empresa de hospedagem web que fundou, foi para os EUA. Lá, o baterista amador nas horas vagas se tornou líder técnico de uma empresa de desenvolvimento.

Moises

Definitivamente uma das melhores partes da ferramenta é o uso gratuito. Basta acessar o site do Moises e se cadastrar para usufruir do serviço! A ideia é mantê-lo assim enquanto for possível, mas o desenvolvedor explica que “como tudo é hospedado em algum lugar, eventualmente vamos precisar cobrar para poder ter espaço extra de armazenamento”. Mas o paraibano garante que “a ideia é ter ainda a versão gratuita, talvez com limite diário”, por exemplo.

É possível que o usuário escolha em quantas faixas quer dividir a canção, até cinco. Geraldo explica que, naturalmente, o software não é perfeito – mas utiliza machine learning para ir se otimizando constantemente:

Muitos usuários cadastrados são DJs, que fazem beats ou mashups utilizando o sistema, mas também tem muita gente usando para fazer versões karaokê que não existem oficialmente. A separação das pistas da música não é perfeita, mas o resultado varia de acordo com a qualidade do material enviado e o sistema usa o aprendizado de máquina para se aprimorar a cada faixa nova enviada.

Para a demonstração do Moises, disponível na página principal do site, ele escolheu uma música banda paraibana Etnia. Tá aí uma boa forma de divulgação, hein?

 
Compartilhar