Jonathan Schwartz, ex-empresário de Alanis Morissette, foi condenado a seis anos de prisão por roubar da cantora US$4,8 milhões (cerca de R$15 milhões) entre 2010 e 2014. Além de ter desviado esse valor da canadense, ele também roubou US$ 1,7 milhões de outros clientes que não tiveram seus nomes revelados.

Entre os métodos de Schwartz para fazer o desvio de dinheiro estava a falsificação da assinatura da cantora. Ela testemunhou durante a audiência e disse ao tribunal que sua capacidade de confiança “foi abalada até o âmago” por causa de Schwartz. Alanis Morissette contou também que o ex-empresário falava abertamente sobre a cantora ser consumista, mascarando seu roubo, e chorava quando era confrontado sobre as finanças.

No mês passado, Schwartz escreveu uma carta aberta onde prometeu reparar a comunidade e seus clientes, e explicou que seu comportamento foi impulsionado por um vício em jogos de azar. Além da prisão, ele também foi condenado a pagar US$8,6 milhões em restituição.

 
 
Compartilhar