Slash-no-Brasil

O Velvet Revolver, como muitos sabem, está em hiato desde 2008. O supergrupo que reúne Slash, Duff McKagan, Matt Sorum e Dave Kushner segue sem vocalista até hoje, já que Scott Weiland foi demitido por conta de seu temperamento problemático. Entretanto, os caras permanecem buscando uma nova voz e notórios candidatos já se dispuseram a preencher a vaga.

Numa recente entrevista concedida à Rolling Stone australiana, Slash revelou os motivos pelos quais Sebastian Bach, ex Skid Row, e Corey Taylor, líder do Slipknot e Stone Sour, não entraram na banda.

Bom, Sebastian fez uma audição até mesmo antes de Scott. E eu amo Sebastian, mas, como você pode imaginar, iria soar algo como Skid n’ Roses. Foi legal, mas era claro que todo mundo que escutasse ia ficar, tipo, “é, isso faz sentido.” Era muito previsível.

O guitarrista também revela que Taylor foi quem mais se aproximou, de fato, da chance de ocupar o lugar de Weiland. Em 2010, eles se reuniram para vários ensaios e até compuseram juntos.  “Eu amo Corey até a morte, mas algo era muito… Qual a palavra pra isso? Você sabe como Corey canta. É algo muito ‘macho’. Não tinha certos elementos que eu achei serem necessários. Então não decidimos por esse caminho e foi o mais próximo até então.”

Vale lembrar que, lá em 2012, ao ser indagado pela ESPN.com acerca de sua tentativa de integrar o Velvet Revolver, Corey Taylor foi enfático.

O que eu traria para a banda seria mais da atitude que eu acho que eles queriam do Scott, mas eles captaram o lado negativo disso tudo. (…) Digo, ele faz aquela dança esquisita de lagarto e tudo mais, só que isso fica velho depois de um tempo. Quando você precisava de um vocalista forte, ele não correspondia, já que estava muito ocupado apaixonado por si mesmo ao invés de entreter a audiência. (…) O que eu queria era basicamente construir uma ponte entre o que os ex membros do Guns n’ Roses tinham com Axl e o que eles tiveram com o Scott, só que com um lado mais positivo. Eu acho que eles podiam ter relaxado quanto a isso, porque não precisariam se preocupar com o que eu faria, se eu apareceria no horário certo, se eu erraria as letras. Eu acredito em dar aos fãs o que eles querem. Faça o que quiser, mas dê aos fãs o que eles querem. Eles são o grande motivo de você estar aqui e eles merecem tudo que pode ser oferecido.

Posteriormente, em uma entrevista à uma rádio, Corey concordou que, se não estava funcionando para Slash, ele não iria discutir. “Ele é o Slash e tem todo direito de achar isso. De qualquer maneira, foi legal estar com esses caras e tocar com eles. Fiz grandes amigos.”, finaliza.

Fonte: Blabbermouth