Foo Fighters no Quilmes Rock 2012

Foo Fighters no Quilmes Rock, dia 04

O Foo Fighters se apresentou hoje pela segunda vez na capital da Argentina como parte do festival Quilmes Rock e sob uma tempestade que caiu em Buenos Aires perto da hora do show da banda, responsável por quebrar parte das luzes do palco do evento.

Para compensar, Dave Grohl, sua voz rouca, e seus parceiros de banda tocaram algumas surpresas e fizeram um set diferente da noite anterior, além de músicas que também não haviam tocado no Lollapalooza Chile.

Abrindo com “All My Life”, a banda já trouxe a primeira mudança logo de cara, a música “Times Like These”, que nos shows anteriores vinha sendo tocada no bis. Em “Breakout” foi possível perceber que a voz de Grohl sofre principalmente quando ele exagera nos berros (o que faz com frequencia) e durante o set outros sons ainda iriam ter essa característica.

Além das músicas, a banda também parecia querer se doar mais ao público, que enfrentou a chuva forte para estar ali, e um exemplo claro foi durante a apresentação dos seus integrantes, quando a banda parecia bem à vontade. Dave apresentou Chris Shiflett e disse que ele era o guitarrista solo, e que apesar do Foo Fighters não ter solos em suas músicas, ele é um ótimo músico. Ao apresentar Nate Mendel, Grohl disse que o público “poderia conhecê-lo” do The Fire Theft, banda que Nate teve com membros do Sunny Day Real Estate após hiato desta.

Dave apresentou Taylor Hawkins dizendo que ele é a espinha dorsal da banda e o melhor músico da banda, sendo retribuído pelo baterista o apresentando como o melhor músico que já conheceu.

A surpresa aqui ficou por conta de Dave assumir as baquetas em “Cold Day In The Sun”, música cantada por Hawkins, que comentou: “Vocês estão tendo um baita presente hoje eim?”. As milhares de pessoas que estavam no estádio do River Plate puderam presenciar o que Dave faz de melhor, segundo ele, que é tocar bateria.

Em “Stacked Actors” vieram as jams, os duelos de guitarra, a cover de “Feel Good Hit Of The Summer” do Queens Of The Stone Age e o fato novo ficou por conta do guitarrista Pat Smear, que estraçalhou sua guitarra na beira do palco durante o som. Como o instrumento dele sempre está com o volume lá embaixo, mal foi possível perceber alguma alteração na música.

Outra que entrou no set pela primeira vez na turnê pela América do Sul foi a clássica “Generator”, tocada sem o talk-box e em “Monkey Wrench” Dave encurtou os trabalhos ao não parar para berrar a famosa frase “one last thing before I quit…” sozinho, como faz em praticamente todos os shows da banda. Sua voz dava claros sinais de desgaste, o que talvez o tenha motivado a fazer isso.

“Hey, Johnny Park!” também entrou pela primeira vez no set e antecedeu “These Days”, onde Grohl fez uma introdução imensa dizendo que a chuva havia quebrado as luzes do palco e eles foram forçados a utilizar as luzes do público, o que ele gostou, já que era possível ver a cara de todo mundo. Além disso, ainda pediu desculpas por ter demorado 17 anos para ir à Argentina e disse não entender porque isso aconteceu, já que o público dali é o melhor do mundo. Isso obviamente gerou vários gritos de “Argentina, Argentina, Argentina”. Por conta de todos os problemas, Dave disse que a banda tocaria várias músicas que não tocava há muito tempo.

Mas antes veio “These Days”, a música preferida de Grohl, e “This Is A Call”, que seguidas de “In The Flesh?” do Pink Floyd e “Best Of You” fecharam o set antes do bis.

Após a pausa e a volta da banda, vieram dois sons antigos, primeiro “Enough Space” e depois “For All The Cows”, do primeiríssimo disco da banda, de 1995. A banda ainda tocou “Dear Rosemary” antes de chamar Joan Jett ao palco para uma cover de “Bad Reputation”.

Grohl apresentou a cantora da forma mais entusiasmada desde então, dizendo que a música funciona através de músicos inspirando músicos e que se não fosse por Jett, o Foo Fighters não estaria ali hoje, além de dizer que ela estava cheirosa. Jett respondeu dizendo que o que Dave falou a fazia querer chorar, em um modo bom.

Após esse som, o vocalista da banda disse que gostou das luzes terem quebrado e da bagunça que aconteceu, pois foi a melhor bagunça de toda a história do Foo Fighters e voltou a repetir que não sabia porque a banda havia esperado tanto tempo para estar ali, prometendo voltar em menos de 17 anos e dizendo que o público argentino é o melhor do mundo.

Para finalizar, nenhuma surpresa, “Everlong” veio para dar adeus à Argentina e colocar o Foo Fighters na rota de São Paulo, Brasil, onde a banda se apresenta no próximo dia 07. O avião deles você pode ver em fotos exclusivas clicando aqui.

O setlist do show você confere logo abaixo.

  1. All My Life
  2. Times Like These
  3. Rope
  4. The Pretender
  5. My Hero
  6. Learn to Fly
  7. White Limo
  8. Arlandria
  9. Breakout
  10. Cold Day in the Sun (Com Dave Grohl na bateria)
  11. Long Road to Ruin
  12. Big Me
  13. Stacked Actors
  14. Walk
  15. Generator
  16. Monkey Wrench
  17. Hey, Johnny Park!
  18. These Days
  19. This is a Call
  20. In the Flesh? (Cover do Pink Floyd)
  21. Best of You
    Bis
  22. Enough Space
  23. For All the Cows
  24. Dear Rosemary
  25. Bad Reputation (Cover de Joan Jett com Joan Jett)
  26. Everlong

 

NOTÍCIAS MAIS QUENTES no RESUMO DA SEMANA

Fique por dentro das notícias mais quentes do mundo da música, bem como dos lançamentos nacionais, ouvindo o Resumo da Semana, programa do Podcast Tenho Mais Discos Que Amigos!