Taylor Swift - The Man
Foto: Reprodução/YouTube

Taylor Swift mais uma vez não brinca em serviço. No clipe de “The Man”, faixa do disco Lover, a cantora se transforma em um executivo com comportamentos machistas.

Confusão no trabalho, sentar no transporte público com as pernas abertas (o famoso manspread), urinar onde quiser e ficar histérico em uma partida de tênis para “caridade feminina” são as ações no enredo do clipe. Anos depois, ele se casa com a mulher de 20 e poucos anos que sempre quis, mas segue com as mesmas atitudes de outrora.

No fim do vídeo, o homem sai do set de filmagem para receber dicas superficiais da diretora. Também interpretada por Taylor Swift como tal, ela pede para que ele seja “mais sexy e mais adorável”, coisas normalmente pedidas para as mulheres em seus trabalhos.

O clipe também mostra o processo de maquiagem feito na cantora para ser o protagonista. Além disso, os créditos revelam que além de Taylor assinar a direção, roteiro e atuação, também é “propriedade” dela. Mais uma das críticas e “menções honrosas” que iremos falar abaixo.

Referências e… The Rock!

Dentre as aparições, como o pai de Taylor Swift, e easter eggs que o vídeo proporciona, as referências são bem nítidas, principalmente as que são voltadas para Scooter Braun. No ano passado, a cantora teve uma briga com ele por conta dos direitos de sua discografia.

Uma cena no metrô mostra um cartaz à direita que diz “Bo$$ Scotch, lucre com os sentimentos”, ao lado de uma pichação com a palavra “ganancioso”. Isso refere-se ao dono da ex-gravadora de Taylor, Scott Borchetta, por ter vendido os direitos para Scooter Braun por 300 milhões de dólares.

Numa cena seguinte, o homem está urinando na parede da estação da rua 13 (seu número da sorte), onde estão pichados os nomes do seus discos, junto com um aviso: “Perdidos. Se achar, favor devolver para Taylor Swift.” E no canto à direita, tem um sinal de “proibido patinetes”, que, em inglês, se chama scooter. Mais uma referência sobre a perda dos direitos da cantora sobre seu próprio trabalho.

E ao final dos créditos, mostra-se que o clipe é propriedade dela. Isso soa mais como um aviso a Braun, dizendo que, tudo que Taylor Swift faz, agora pertence a ela mesma.

Na canção, Swift também faz alusão direta a Leonardo DiCaprio. Já no vídeo, à cena inicial em que o homem recebe os parabéns é uma menção a uma das cenas de O Lobo de Wall Street (2013), protagonizado pelo ator.

Outra cena em que Swift fala de DiCaprio é a que o homem está no iate, regado a mulheres e champagne. Isso é sintetizado na letra: “And we would toast to me, oh, let the players play. I’d be just like Leo, in Saint-Tropez” (E nós brindaríamos a mim, deixe os jogadores jogarem. Eu seria como o Leo em Saint-Tropez).

Além dos shades, o clipe também contou com participações especiais. A principal foi a de Dwayne Johnson, que cedeu sua voz para o protagonista. Com um tom “macho” distinto do The Rock, o papel do antagonista soa mais intenso.

“Obrigada, The Rock, por dublar The Man e por apoiar minha música por tantos anos (e agora minha estreia como diretora!)”, agradeceu Swift, em seu Twitter.

Em resposta, ele está preparado em fazer um dueto mais “oficial” com a cantora. “Parabéns minha amiga! É um prazer dublar o HOMEM. Que transformação e, mais importante, grande mensagem sobre a igualdade das mulheres e a importância de ser gentil e bom com as pessoas. Na próxima cantamos nosso dueto. Você traz o violão, eu trago a tequila.”

 

E, sem mais delongas, confira o clipe no player abaixo:

 
Compartilhar