Gabriela Brown
Foto: Almir Vargas
 
Ouça o novo single da Majur!

Zeugma é uma palavra que vem do grego “zeygma” e significa algo como “conexão” ou “ligação”. Também se trata de uma figura de linguagem, que implica a omissão de termos antes citados. Por exemplo, ao dizer “Você adorou esse disco e eu também”, você está ocultando o verbo “adorei”.

Dada a aula de Língua Portuguesa, podemos dizer que Zeugma também é o nome do álbum de estreia da capixaba Gabriela Brown. A cantora, que anda conquistando visibilidade local, juntou em álbum músicas inspiradas pelo jazz, pelo soul, pelo R&B e pelo pop (olha a figura de linguagem de novo!).

 

Exaltação às mulheres, liberdade, afetos e desafetos

Capa de "Zeugma" (Gabriela Brown)

Com produção de Rodolfo Simor (indicado ao Grammy Latino graças ao trabalho de produção feito em Silva Canta Marisa), o álbum foi lançado em Agosto, mês da visibilidade lésbica. O tema é abordado em letras que versam sobre liberdade, exílio, exaltação às mulheres, afetos e desafetos. Tudo isso de uma forma leve, desenhada por belos arranjos, melodias dançantes e pela serena voz de Gabriela.

A rebuscada musicalidade da cantora se reflete em diversas referências espalhadas pelo álbum. “Incêndio“, por exemplo, conta com o verso “Todo dia ela faz tudo sempre igual”, eternizado por Chico Buarque na canção “Cotidiano“. Enquanto isso, “Megalomania“, um dos dois interlúdios do álbum, é claramente inspirado em “In the Hall of the Mountain King“, de Edvard Grieg (ou, como alguns fãs notaram, em “Mulher Kama Sutra“, de MC Livinho).

Um pouco de cada gênero e idioma

As canções passeiam pelos gêneros citados de maneira orgânica. Vai desde a já divulgada MPB de “Bonito É o Quê” até os beats pop de “Lira“, o claro jazz de “Volta” e a soul envolvente de “Garota, Tô no Céu“.

Mas ele não fica restrito à língua portuguesa. Zeugma também apresenta canções em inglês (“Look Who I Found“) e em francês (“Bon Voyage“, e vale citar que Gabriela nasceu na França). A cantora arrisca também no espanhol, em alguns trechos de “Abelha Rainha“, canção com influências estéticas do tecnobrega.

Gabriela estreia o seu disco esta terça (13/08), no teatro SESI de Jardim da Penha, em Vitória. Os ingressos podem ser comprados na hora e em dinheiro, com preços entre 10 e 20 reais.

Confira abaixo o disco na íntegra. O que achou? Deixe sua opinião nos comentários!

     
 
Compartilhar