Slipknot mostra novas máscaras de 2019
Foto por Alexandria Crahan Conway
 

A cada dia que passa a ansiedade aumenta pelo novo disco do Slipknot.

Em boa parte, isso tem sido alimentado pelo vocalista Corey Taylor, já que ele tem falado com frequência a respeito da sonoridade do trabalho, o comparando a clássicos da banda como Iowa (2001).

Agora, porém, ele foi em outra direção e falou a respeito de como We Are Not Your Kind, com data de lançamento marcada para 09 de Agosto, é experimental:

Como um todo – e eu posso dizer isso honestamente – provavelmente é o mais longe que nós levamos os limites de criatividade e experimentação, ao mesmo tempo que não perdemos a nossa identidade. Então as bandas que estão por aí e mergulham de cabeça na experimentação e se esquecem quem são, elas esquecem que há um público que quer ouvir um certo tipo – não deve necessariamente ser a mesma coisa, mas tem que ter uma certa emoção que elas estão procurando, que gostariam de ouvir.

Tem que existir essa marca. E você pode ir o mais longe que quiser, mas tem que ter a habilidade para trazê-los de volta para o sentimento que os transformou em fãs lá no início. E eu realmente acho que fizemos isso com esse disco. Nós não apenas fomos a lugares com os quais experimentamos um pouco ao longo dos anos mas nunca nos aprofundamos, como também estamos fazendo coisas mais pesadas do que tudo que já fizemos.

Ainda somos uma banda que sempre compôs músicas para nós mesmos. Se não nos impressionamos com elas, não iremos lançar esse lixo, sabe? Mesmo coisas antigas onde talvez a gente ouça depois e pense, ‘Ah, eu não sei se isso simbolizava a gente.’ Mas naquele momento, estamos apoiando absolutamente aquele som, sabe, não importa o que. Então enquanto continuarmos compondo para nós em primeiro lugar, e para o público em segundo lugar, é assim que você mantém a empolgação.

     
 
FonteThe PRP
Compartilhar