NME anuncia o fim de sua edição impressa após 66 anos de história

A icônica revista britânica irá continuar suas atividades apenas no meio digital

NME
 

Após 66 anos de sua criação, a revista britânica NME acaba de anunciar que irá encerrar sua publicação no formato físico, se dedicando exclusivamente às plataformas digitais.

Apesar de ser algo triste para a cena britânica, o fim do formato físico da revista já era previsto por muita gente. Quando as vendas começaram a ficar muito baixas, em 2015, a empresa decidiu transformar sua revista paga em um folheto gratuito, distribuído apenas em locais específicos.

Ano passado, a empresa foi vendida para a Time Inc. UK. Paul Cheal, o diretor da Time Inc. UK, comentou sobre a decisão:

NME é uma das marcas mais icônicas na mídia britânica e nossa mudança para o formato gratuito nos ajudou a impulsionar essa marca para a maior audiência da história do site da NME. A reinvenção da impressão nos ajudou a atrair uma série de estrelas que a versão paga antiga da revista nunca teria imaginado. Ao mesmo tempo, nós também sofremos com aumento do custo de produção e um difícil mercado de propagandas para revistas. Infelizmente, chegamos num ponto onde a revista gratuita não é mais financeiramente viável.

Ao longo de suas seis décadas, a NME ficou enraizada na cultura britânica como uma das maiores fontes sobre músicas e bandas novas, ajudando a impulsionar uma série de artistas.

Após o anúncio, artistas como Courtney Love, Paul Weller (The Jam) e The Charlatans prestaram suas homenagens à revista, como você pode conferir logo abaixo.

 
Compartilhar

Comentários