Bring Me the Horizon
Foto: Justin Borucki/Divulgação

Oli Sykes, líder do Bring Me The Horizon, se manifestou recentemente sobre a saída do tecladista Jordan Fish, que foi anunciada pela banda sem muitas explicações no fim do ano passado.

Fish entrou na banda em 2012 e contribuiu com a construção do som do grupo, adicionando mais elementos eletrônicos nas gravações dos discos Sempiternal (2013), That’s The Spirit (2015), amo (2019) e POST HUMAN: SURVIVAL HORROR (2020).

De acordo com novos relatos de Sykes à NME (via Metal Injection), foi após o lançamento de POST HUMAN: SURVIVAL HORROR que ele percebeu que suas prioridades e as de Fish começaram a mudar.

O cantor apontou que teve a sensação de que o BMTH só iria crescer até certo ponto e decidiu que não queria se tornar refém das redes sociais para ganhar popularidade, explicando que Jordan tinha um ritmo de trabalho diferente:

Tudo fazia parte de não parar, e aquele medo de: ‘Se pararmos, vamos cair, a banda não vai mais ser grande, alguém vai assumir [nosso lugar], alguém vai ser maior e melhor do que nós’.

Em algum momento, você tem que aceitar que a sua banda é grande o quanto é. Você também precisa se perguntar o quanto deseja fazer para ganhar essa [popularidade] extra. Você quer mesmo entrar no TikTok e fazer todas as danças? Você quer se matar no estúdio todos os dias quando você nem quer escrever músicas só por medo?

Há uma quantidade finita de sucesso por aí. Tínhamos uma mentalidade juntos da qual eu estava tentando me afastar, mas Jordan não conseguia até certo ponto.

Oli Sykes comenta mudanças após a saída de Jordan Fish do Bring Me The Horizon

O vocalista do Bring Me The Horizon também refletiu sobre a produção do disco mais recente da banda, POST HUMAN: NeX GEn, liberado em maio depois de ter seu lançamento adiado em setembro do ano passado.

Oli descreveu o processo de criação do novo álbum como “miserável” e disse que até chegou a pensar em voltar a ser um cara normal, sem a pressão de estar em uma banda. No entanto, ele sentiu que, com a saída de Fish, a dinâmica do grupo mudou:

O que percebi depois que Jordan saiu foi que o clima melhorou. Eu me perguntei como pude chegar ao ponto de odiar o disco quando adoro fazer música, criar, arte. Eu faço isso por diversão. Se não estou fazendo música, escrevo uma história, desenho, faço uma camiseta para a [marca de roupas] Drop Dead ou algo assim. Eu amo isso.

Como as coisas ficaram tão ruins a ponto de eu dizer que queria acabar com isso? Depois disso, percebi que sem Jordan as coisas estavam indo muito mais devagar. Não vou sentar aqui e dizer: ‘Ah, foram só diferenças criativas e desejamos a ele o melhor e estamos todos nos dando bem, e blá, blá, blá’. Nunca é assim. Assim como  em todos os rompimentos – nunca é só acabar.

O músico encerrou o assunto reconhecendo que Jordan foi importante para o crescimento da banda mas que, naquele momento, a união não estava funcionando:

Ele serviu muito bem à nossa banda, e a banda não estaria onde estamos sem ele. Não acho que eu seria capaz de cantar. Ele teve um papel nisso e me ajudou a conseguir isso. Aprendi muito com ele. Acho que ele aprendeu muito comigo, tenho certeza que um dia nos veremos novamente e conversaremos. Nada aconteceu que não possa ser resolvido em um bar. Chegamos a um ponto em que não éramos mais felizes como uma unidade.

BMTH no Brasil

Para a felicidade de muitos fãs, o Bring Me The Horizon estreou ao vivo a faixa “Top 10 staTues that CriEd blood”, um dos destaques do seu novo disco POST HUMAN: NeX GEn, como você pode ver ao final da matéria.

O grupo incluiu a música em seu show realizado no Mystic Festival em Gdańsk, Polônia, no último sábado (8), que marcou a primeira apresentação da banda após o lançamento do sétimo álbum de estúdio.

A performance superproduzida também é uma prévia do que deve vir por aí no aguardado retorno do Bring Me The Horizon ao Brasil, que acontece no dia 30 de Novembro no Allianz Parque, em São Paulo.

O show também contará com outros grandes grupos como Spiritbox, Motionless in White e The Plot in You, tornando a noite ainda mais especial.

Como te falamos anteriormente, praticamente todos os ingressos já foram comercializados e é muito provável que a banda contará com a casa cheia neste dia. Saiba mais detalhes por aqui e, para garantir seu ingresso, acesse este link!

Bring Me The Horizon tocando “Top 10 staTues tHat CriEd blood” pela primeira vez

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! METAL

Nu Metal, Metalcore, Heavy Metal, Thrash e muito mais: todo peso das guitarras aparece na Playlist TMDQA! Metal para você ouvir clássicos e conhecer novas bandas agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!