John Bonham

O falecimento precoce do lendário John Bonham em 1980, quando ele tinha apenas 32 anos, não permitiu que seu talento excepcional na bateria fosse visto ao vivo por ainda mais pessoas.

Apesar disso, o legado deixado pelo músico continua servindo de inspiração para muitos artistas, assim como um dia ele foi referência para lendas como Dave Grohl (Nirvana, Foo Fighters), Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) e mais.

John Bonham

John Bonham começou a tocar bateria muito cedo, mas se consolidou como um dos maiores bateristas de todos os tempo por conta do seu trabalho em um dos quartetos mais famosos da história: o Led Zeppelin, que ficou na estrada entre 1968 e 1980 e encerrou suas atividades após o falecimento do artista.

O saudoso baterista ficou conhecido principalmente pelo groove de suas obras, em que aliava técnica com velocidade e um senso de precisão raro entre os artistas da época. Apesar de ter se dedicado ao Heavy Metal, algumas de suas maiores referências eram lendas do Jazz. Seu técnico de bateria de longa data, Jeff Ocheltree, disse uma vez:

John ouvia Max Roach, Alphonse Mouzon, Elvin Jones e muitos bateristas de fusion e jazz. Isso é o que mais me impressiona em John Bonham – todo mundo pensa que ele gostava de bateria grande e batia com força. Bonham gostava de swing e tocava com técnica.

Embora John Bonham não tenha tido a oportunidade de revelar precisamente seus bateristas favoritos, o portal Far Out reuniu declarações dadas por ele e montou uma lista com os artistas que possivelmente estariam na lista do ex-Zeppelin como alguns dos melhores bateristas da história. Confira o resultado a seguir!

Os 5 melhores bateristas segundo John Bonham

Gene Krupa

Para John Bonham, o astro do jazz Gene Krupa era uma de suas maiores influências quando o assunto era bateria. Em seu site oficial, o irmão de John, Michael, apontou que o músico foi fortemente influenciado pelo filme biográfico de 1956 The Benny Goodman Story, estrelado por Krupa. Para o jovem Bonham, “Gene Krupa era Deus”, de acordo com o relato de Michael.

Outro filme de Krupa que tinha a admiração de Bonham era Beat The Band (1947), onde o baterista aparecia tocando alguns tubos. O estilo extravagante do carismático baterista do Led Zeppelin pode ser explicado pela influência que Gene Krupa teve em seu jeito de tocar.

Ginger Baker

Quem também era considerado por John como um dos melhores bateristas da história era o lendário Ginger Baker, que integrou uma das bandas favoritas do músico, The Graham Bond Organization, e mais tarde formou o Cream ao lado de Eric Clapton e Jack Bruce.

A forma de tocar de Ginger chamava bastante atenção por sua virtuosidade, técnica e o uso de instrumentos de percussão que ainda não haviam sido popularizados no Rock. Além disso, sua experiência com Jazz também era um diferencial do artista, que trabalhou com bandas do gênero durante o final dos anos 50 e começo dos 60.

Apesar de Bonham ter sido comparado com Baker em alguns momentos, o veterano não era muito a favor da comparação. Em seu livro de memórias, Hellraiser: A Autobiografia do Maior Baterista do Mundo, Baker declarou:

John Bonham certa vez fez uma declaração de que havia apenas dois bateristas no Rock and Roll britânico; ele mesmo e Ginger Baker. Minha reação a isso foi: ‘Seu filho da mãe atrevido!’

Buddy Rich

Outro baterista que provavelmente deveria integrar a lista de favoritos de John Bonham era o icónico Buddy Rich. O músico de Jazz americano também foi um dos nomes mais importantes da história da bateria e inspirou artistas como Ringo Starr, Keith Moon e muitos outros.

Apesar de tocarem estilos diferentes, Bonham sempre foi visto ouvindo os discos de Rich ou enaltecendo o baterista. Mas, assim como outros músicos do Jazz, Buddy Rich não se declarava fã do baterista do Led Zeppelin, já que considerava os músicos de Rock abaixo dos padrões dele e de outros artistas do Jazz.

Max Roach

Um dos bateristas veteranos citados com frequência por Bonham como um de seus músicos preferidos foi o gênio Max Roach. Pioneiro da música Bebop – uma das correntes mais influentes do Jazz – Max trabalhou com renomados artistas do gênero, incluindo Coleman Hawkins, Dizzy Gillespie, Charlie Parker, Miles Davis, Duke Ellington, Thelonious Monk e muitos outros.

É provável que uma das maiores homenagens que John fez para Max Roach foi sua emblemática música “Moby Dick”, do Led Zeppelin. A faixa se destaca por seu solo de bateria intenso, que faz referência a “The Drum Also Waltzes” de Roach, com John repetindo algumas de suas frases de bateria.

Keith Moon

Apesar de quase todos os integrantes da lista serem grandes astros do Jazz, um músico que também merece ser incluído entre as inspirações de John Bonham é o saudoso Keith Moon. Mick Bonham aponta em seu livro que o baterista do Led Zeppelin ficou surpreso ao ver o jovem Moon tocando:

John ficou tão impressionado quando viu o baterista do The Who, o jovem Keith Moon, pela primeira vez na TV, que começou a testar coisas de moda.

Diferente de outros artistas bateristas de Rock, Moon não ficava satisfeito em ficar no fundo e em lugares mais discretos do grupo: ele era um artista de presença e seu estilo costumava chamar atenção.

Por coincidência, um dos últimos shows de Keith foi tocando ao lado do Led Zeppelin em 1977, no The Forum, em Los Angeles. O público teve a oportunidade de ver duas grandes lendas tocando bateria juntas, durante a interpretação de “Moby Dick” e “Whole Lotta Love”.

OUÇA AGORA MESMO A PLAYLIST TMDQA! METAL

Nu Metal, Metalcore, Heavy Metal, Thrash e muito mais: todo peso das guitarras aparece na Playlist TMDQA! Metal para você ouvir clássicos e conhecer novas bandas agora mesmo. Siga o TMDQA! no Spotify!